• Você está em: 
  • Home
  • Notcias

19/11/2018 - SINDVIG RIO CONVOCA OS VIGILANTES NO INCA 1 QUE ESTÃO NA LISTA ABAIXO

Pauta da assembleia: Processo de INSALUBRIDADE.

Apenas os Vigilantes que estão na lista abaixo devem vir  à assembleia na sede do Sindicato na rua André Cavalcante 126, nos dias 21 e 22 de novembro ás 10h.

 

Adilson Barbosa da Silva
Adilson da Silva Ferreira
Adriano Teixeira Conrado
Adilson Correa de Souza
Alberto Fernandes Lopes Gomes
Alessandro Alex de S. Santos
Ana Lucia Caetano Nascimento
Anderson Batista de Barros
Anderson Nascimento Alves
Anderson Tresse
Claudio Antonio Moura Lima
Cleverson de Souza Rodrigues
Cristiano de Souza Costa
Delson de Azevedo Coimbra
Durval Tonini
Edemar dos Santos
Edenival Teixeira de Farias
Eliete David dos Santos
Ezequiel da Silva Costinha
Fabio Carvalho da Paixão
Gabriela da Silva Viana
Geremias Babosa de Paiva
Gilmar Thomas de Souza
Givanido Lucindo da Silva
Helton Antônio Arão Correa
Jailson Alexandre Viana
Jeronimo Alves de Araujo
Jordeilson da Silva Remento
Jorge Eduardo de Oliveira
Jorge Luiz de Souza
Jorge Nonato
José Alberto Marinho da Silva
Joseilton Barbosa da Silva
José Roberto dos Santos Dias
Juarez Alves Abraim
Luciano Camargo da Silva Junior
Luciano Coelho Jalles
Luiz Antonio da Silva Macedo
Luiz Carlos da Silva Gonzaga
Luiz Carlos de O. Pinheiro
Luiz Carlos Tertuliano de Oliveira
Maria Cristina Andrade da Silva
Maria Inês Gama de Holanda
Marcio Alves Pereira 
Marco Antonio de R. Soneira
Marco Antonio Nunes dos Santos
Nilton Rogério Cyrineu Mafra
Nilvaldo Fernandes da Rocha
Paulo Roberto
Pedro Ribeiro da S. Filho
Roberto Domingues Azenga
Roberto Eugenio A. Meato
Robson Luis da Silva
Ronaldo Lourenço da Silva
Sonia Jael de Andrade Pata
Ubirajara Santos Silva
Valdecir Rosa Costa
Valdeir Martins Barbosa
Venivaldo Lima de Jesus
Vivaldo Cruz da Rocha

 

19/11/2018 - ASSEMBLEIA GERAL NESTA SEXTA FEIRA DIA 23/11

CAMPANHA SALARIAL 2019

CHEGOU A HORA!!!!

ASSEMBLEIA DIA 23/11, SEXTA FEIRA, AS 8H, NA SEDE DO SINDICATO, RUA ANDRE CAVALCANTE 126, BAIRRO DE FATIMA. 

PARTICIPE!!!

19/11/2018 - SINDICATO NA LUTA PARA DENUNCIAR EMPRESA CLAUFRAN À SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE

O Sindicato do Município do Rio de Janeiro através de sua diretoria, mais uma vez une forças para denunciar a empresa Claufran. Teremos uma reunião com a Secretaria Municipal de Saúde dia 29 de novembro.

 

Pauta: Unidades de saúde sem Vigilantes

14/11/2018 - ATENÇÃO VIGILANTES DO INCA 1

A Diretoria do SINDVIG RIO convoca os Vigilantes que trabalharam no INCA 1 (Praça Cruz Vermelha).

ASSEMBLÉIAS - DIAS 21 E 22 DE NOVEMBRO

10 HORAS

Assunto: INSALUBRIDADE

Processo nº. 0000634-53.2010.5.01.0014:

 

Adilson Barbosa da Silva

Adilson da Silva Ferreira

Adriano Teixeira Conrado

Adilson Correa de Souza

Alberto Fernandes Lopes Gomes

Alessandro Alex de S. Santos

Ana Lucia Caetano Nascimento

Anderson Batista de Barros

Anderson Nascimento Alves

Anderson Tresse

Claudio Antonio Moura Lima

Cleverson de Souza Rodrigues

Cristiano de Souza Costa

Delson de Azevedo Coimbra

Durval Tonini

Edemar dos Santos

Edenival Teixeira de Farias

Eliete David dos Santos

Ezequiel da Silva Costinha

Fabio Carvalho da Paixão

Gabriela da Silva Viana

Geremias Babosa de Paiva

Gilmar Thomas de Souza

Givanido Lucindo da Silva

Helton Antônio Arão Correa

Jailson Alexandre Viana

Jeronimo Alves de Araujo

Jordeilson da Silva Remento

Jorge Eduardo de Oliveira

Jorge Luiz de Souza

Jorge Nonato

João Alberto Marinho da Silva

Joseilton Barbosa da Silva

João Roberto dos Santos Dias

Juarez Alves Abraim

Luciano Camargo da Silva Junior

Luciano Coelho Jalles

Luiz Antonio da Silva Macedo

Luiz Carlos da Silva Gonzaga

Luiz Carlos de O. Pinheiro

Luiz Carlos Tertuliano de Oliveira

Maria Cristina Andrade da Silva

Maria Inês Gama de Holanda

Marcio Alves Pereira

Marco Antonio de R. Soneira

Marco Antonio Nunes dos Santos

Nilton Rogério Cyrineu Mafra

Nilvaldo Fernandes da Rocha

Paulo Roberto

Pedro Ribeiro da S. Filho

Roberto Domingues Azenga

Roberto Eugenio A. Meato

Robson Luis da Silva

Ronaldo Lourenço da Silva

Sonia Jael de Andrade Pata

Ubirajara Santos Silva

Valdecir Rosa Costa

Valdeir Martins Barbosa

Venivaldo Lima de Jesus

Vivaldo Cruz da Rocha

13/11/2018 - VIGILANTES DA CLAUFRAN/PREFEITURA CONTINUAM TOMANDO CALOTE

 Após visita da Diretoria do Sindicato nos postos da Claufran:

Maternidade de São Cristovão, Hospital Barata Ribeiro, Hospital Jesus, Maternidade Carmela Dutra, Maternidade Herculano Pinheiro, Hospital Municipal Francisco da Silva Telles, Porto de Saúde Nascimento Gurgel, Maternidade Leila Diniz, Hospital Lourenço Jorge, com o intuito de atuar e conversar com os Vigilantes nos postos o Sindicato vem reforçar os chamados anteriores para os Vigilantes entrarem na justiça contra a Empresa/Prefeitura para que seus direitos sejam respeitados!

Vários hospitais e maternidades municipais do Rio de Janeiro estão com a segurança comprometida devido a falta de pagamento da empresa Claufran com a anuência da Prefeitura, que por sua vez renovou o contrato com uma empresa que tem por regra atrasar o salário de seus trabalhadores Vigilantes. 

O Sindicato vem avisando a Prefeitura e trabalhadores, desde setembro de 2017, que a empresas daria o calote e que a única solução seria interromper o contrato com a Claufran e contratar uma empresa decente que realizasse o trabalho de forma digna.


O Ministério Público do Estado abriu processo investigatório para apurar as irregularidades denunciadas pelo Sindicato.

Por fim, mais uma vez recomendamos fortemente que apenas acionando a empresa na justiça através do jurídico do Sindicato poderemos buscar os direitos dos Vigilantes.

12/11/2018 - FIM DO MINISTÉRIO DO TRABALHO RECEBE DURAS CRÍTICAS

FIM DO MINISTÉRIO DO TRABALHO RECEBE DURAS CRÍTICAS

Políticos e especialistas alertam para precarização de serviços prestados pela pasta com decisão do presidente eleito Jair Bolsonaro

O anúncio de que o Ministério do Trabalho vai acabar, feito essa semana pelo presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), recebeu severas críticas de políticos e especialistas. De acordo com personalidades ouvidas pelo DIA, “eventual fusão implicaria na limitação ou falta de autonomia de pasta essencial para que o Brasil supere a crise por seu papel preponderante na geração de emprego e renda”. Advertiram ainda que o papel de fiscalização das relações de trabalho, garantia de direitos de trabalhadores, e serviços nos postos da pasta ficarão comprometidos. E defendem que, ao invés de pulverizar ou extinguir a pasta, o governo eleito deveria fortalecer a atuação do órgão.

 

“Acabar com o Ministério do Trabalho é um retrocesso sem precedentes. Este governo eleito é a continuidade do anterior, e quer fazer com o Trabalho como foi feito com o Ministério da Previdência. Ou seja, desarticulou as políticas sociais e todo o trabalho desenvolvido pela pasta”, critica o senador reeleito Paulo Paim (PT-RS). “O fim do ministério vai, inclusive, dificultar a fiscalização para coibir o trabalho escravo”, adverte o senador.

 

“Enxugar a máquina pública às custas do trabalhador é dar poder a um Estado neoliberal, em que o direito ao trabalho cada vez mais se torna desnecessário como proteção ao cidadão e à sua família”, alerta José Gozze, presidente da Federação das Entidades dos Servidores Públicos de São Paulo e vice-presidente da Pública Central do Servidor.

 

“Um governo disposto a mudar a situação do Brasil tem a obrigação de começar exatamente por aqueles que fazem o país crescer, cuidando de seus direitos universais, e aqui, não cabe excluir um dos ministérios mais importantes de proteção ao trabalhador, enquanto outros protegem as grandes corporações”, critica Gozze.

 

Ao que o senador Paim complementa: “Foi este modelo de governo que parte dos brasileiros escolheu. Agora todos terão que arcar com as consequências de um Estado anti-social e privatista, onde os direitos e as conquistas dos trabalhadores não são levados em conta”.


Fonte: Martha Imenes - O Dia

08/11/2018 - O QUE SIGNIFICA O FIM DO MINISTÉRIO DO TRABALHO

O QUE SIGNIFICA O FIM DO MINISTÉRIO DO TRABALHO

Segundo especialistas o fim do Ministério do Trabalho é péssimo para as relações sociais de trabalho.


O Ministério tem funções fiscalizatórias. Precisamos fazer a fiscalização avançar para a era da internet. Perder esta especialização e este know-how é um retrocesso.

Um dos grandes interesses por trás do fim do Ministério do Trabalho é acabar com a fiscalização dos auditores que apertam o cerco contra quem executa trabalho escravo e trabalho infantil.

Entre os avanços do Ministério, os especialistas citaram a lista suja do trabalho escravo, que denuncia empresas pela prática do crime. Não é segredo para ninguém que trabalho análogo à escravidão e infantil ainda são realidade no Brasil. É preciso que algum orgão do executivo fique de olho.

Este possível desmembramento só prejudicaria as políticas públicas promovidas pelo Ministério. Hoje, de qualquer maneira, o Ministério Público do Trabalho realiza uma gestão com foco claro: fomenta a empregabilidade e as políticas públicas de carência social.

Fonte:


08/11/2018 - QUADRILHA EXPLODE CARRO-FORTE NA RODOVIA ABRÃO ASSED EM CAJURU, SP

"A NECESSIDADE DA TROCA DE ARMAMENTO NA SEGURANÇA PRIVADA É URGENTE!!!"

SINDVIG-RIO

 

Por G1 Ribeirão Preto e Franca

Ataque contra veículo da Protege foi registrado na manhã desta quarta-feira (7), na altura do quilômetro 2. Ao menos dez assaltantes participaram do crime e dois PMs foram feridos.

Um carro-forte foi atacado por uma quadrilha na manhã desta quarta-feira (7) na Rodovia Abrão Assed, próximo a Cajuru (SP), região de Ribeirão Preto (SP). Segundo as primeiras informações, o veículo da Protege seguia pelo quilômetro 2, quando foi cercado por dez criminosos armados com fuzis. O grupo rendeu os seguranças e usou explosivos contra o blindado, que ficou destruído.

Segundo o subtenente da PM Rivaldo Ferreira, o ataque aconteceu próximo a uma base da Polícia Militar Rodoviária. Um dos policiais em serviço ouviu o barulho de tiros e pediu reforços à PM em Cajuru.

Ao chegarem ao local, os policiais se depararam com o carro-forte destruído pela explosão. Os vigilantes buscaram abrigo em uma mata após serem obrigados pelos assaltantes a abandonar o veículo. Houve troca de tiros e dois policiais militares ficaram feridos.

Os integrantes da quadrilha fugiram e a PM faz um cerco na região para localizá-los. Por volta das 11h, uma equipe a bordo do helicóptero Águia, da Polícia Militar, localizou um dos veículos supostamente usado pelos assaltantes em chamas em uma mata na região do crime.

Os policiais feridos foram levados à Santa Casa de Cajuru. Um deles foi atingido no tórax depois que o tiro atravessou o colete balístico, e passa por cirurgia. O segundo PM foi ferido no braço.

O trânsito no trecho da Rodovia Abrão Assed foi desviado para o acostamento e, segundo a polícia, não há congestionamento.

Em nota, a Protege informou que todos os colaboradores estão em segurança e que a empresa colabora com as autoridades na investigação em curso.

Segundo a PM, todos os malotes transportados no carro-forte foram levados pelo grupo.

07/11/2018 - OFICIO ENCAMINHADO PARA VIGILANCIA SANITARIA SOBRE DENUNCIAS DE EXPOSIÇÃO À MERCURIO AOS VIGILANTES DA EMPRESA G4S

05/11/2018 - AVISO PRÉVIO É TEMA MAIS RECLAMADO NOS TRIBUNAIS

AVISO PRÉVIO TEMA MAIS RECLAMADO NOS TRIBUNAIS

Diante da possibilidade de arcar com honorários do processo, trabalhador pede reparações de fácil comprovação

 

 As mudanças na legislação trabalhista também alteraram os temas mais reclamados à Justiça do Trabalho. Entre janeiro e agosto, mais de 50% das ações trabalhistas, segundo dados do Tribunal Superior do Trabalho (TST), se referiam a verbas rescisórias e aviso prévio. Um ano antes, o pagamento de horas extras era o item mais citado nos questionamentos.

Márcio Meira Vasconcellos, sócio do grupo CMA na área Trabalhista, acredita que os novos critérios de formulação dos processos levaram os trabalhadores a solicitarem reparações com comprovação mais objetiva:

- A hora extra é um exemplo de pedido que nem sempre é possível comprovar. Agora, com a possibilidade de perda e de condenação em sucumbência (quando a parte perdedora no processo é obrigada a arcar com os honorários do advogado), a diminuição foi muito grande. Verbas rescisórias, por exemplo, são de mais fácil comprovação. Tenho um cliente do varejo que, em 2016, teve mais de quatro mil ações ajuizadas contra a empresa. Da reforma para cá, foram só mil.

As lacunas deixadas pela Medida Provisória (MP) 808, que regulamentou pontos controversos da reforma trabalhista, e que perdeu a validade após não ter sido apreciada no Congresso, deixou algumas questões em suspenso. Além disso, há cerca de 20 ações de inconstitucionalidade contra pontos da reforma. A regra do pagamento de horas extras, a diminuição da hora do almoço e o cálculo de indenizações por dano moral são alguns temas em aberto. A reforma trabalhista alterou o valor do dano moral, que passaria a ser vinculado ao salário do trabalhador prejudicado, de acordo com o grau do dano sofrido, o que contraria a Constituição, segundo especialistas, por criar distinções e categorias de trabalhadores.

Fonte: Pollyanna Brêtas - O Globo

01/11/2018 - SINDVIGRIO LEVA OFICIO A TODOS OS CLIENTES DA EMPRESA GP

O Sindicato dos Vigilantes do Município do Rio de Janeiro está informando  aos Tomadores de Serviços da empresa GP, que a mesma está incorrendo em graves desrespeito aos seus Empregados, o que inclui dentre outras; ausência de depósito fundiário, ausência de pagamento de verbas rescisórias e ausência de homologação na sede da entidade sindical.


Sugerimos aos tomadores de serviço um acompanhamento minucioso junto aos Empregados da empresa GP alocados no seu contrato, quanto aos depósitos de FGTS, através do extrato analítico individual, os recolhimento do INSS, através do CNIS individualizado, e ainda pagamento de férias e por fim, em caso de demissões, o devido pagamento de todas as verbas trabalhistas e fundiárias.

SindvigRio é Sindicato de LUTA!! O Vigilante unido é Forte!!!

01/11/2018 - BLITZ SINDVIGRIO - VIGILANTES DA GP SEM CONTRATO NAS AGÊNCIAS DO ITAÚ

31/10/2018 - CIRCULAR SINDVIGRIO

Rio de Janeiro, 31 de outubro de 2018

Informo que o prazo de carência para associados que foram demitidos passa a ser de (um)mês a partir da data de demissão desde que o mesmo tenha ficado no mínimo 6 meses como associado.

Não há carência em caso de pedido de demissão ou de mútuo acordo (art. 484 A da CLT).

30/10/2018 - PROJETO DE TROCA DE ARMAMENTO DOS VIGILANTES MOVIMENTA SENADO

O PLS 16/2017 permite armamentos de calibres maiores aos vigilantes patrimoniais e de carro-forte.



O Projeto é fruto de intenso trabalho da CONTRASP em defesa da vida do vigilante, e segue para a Pauta na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania.

 

O PLS 16/2017 autoriza ao vigilante o uso da pistola calibre .40 e, quando em transporte de valores, o fuzil 5,56mm.

 

Em todos os casos, o profissional precisa ser aprovado em treinamento para manuseio e os armamentos devem ser de fabricação nacional.

 

É mais um passo rumo à vitória e em defesa a tantos trabalhadores que são chacinados em serviço. Seguimos no trabalho diário em compromisso e não descansaremos até que a os vigilantes do Brasil tenham o direito de proteger a própria vida.

30/10/2018 - NÃO É MAIS PRECISO AUTENTICAR CÓPIAS OU RECONHECER FIRMA PARA ÓRGÃOS PÚBLICOS

Hoje quero comentar sobre a recente lei 13.726 de 2018 que tem o objetivo de desburocratizar diversos procedimentos administrativos no âmbito da União, Estados, DF e Municípios.

Quem nunca teve de correr em um cartório para obter um selo de autenticação com o documento original ou mesmo reconhecimento de firma, ainda que você esteja apresentando para o agente público o documento original ou até mesmo assinando na frente dele.

Tal procedimento para mim, sempre foi burocrático e bastante oneroso, e meu objetivo hoje é trazer para vocês o que deixou de ser obrigatório.

A ausência da obrigação de se ir a um cartório realizar um procedimento em qualquer documento passa a não ser necessário pois a lei passa a prever que os próprios agentes públicos terão poderes para realizar conferência de documentos e assinaturas e certificar quanto sua autenticidade como antes fazia o cartório.

A lei possui apenas 10 artigos mas vamos focar naquele que é o mais importante e realmente retira uma obrigação burocrática e financeira da vida de milhares de brasileiros, que é o artigo terceiro.

Neste supramencionado dispositivo, estão elencados os procedimentos que passam a ser dispensada a exigência, sendo eles:

I - reconhecimento de firma, devendo o agente administrativo, confrontando a assinatura com aquela constante do documento de identidade do signatário, ou estando este presente e assinando o documento diante do agente, lavrar sua autenticidade no próprio documento;

II - autenticação de cópia de documento, cabendo ao agente administrativo, mediante a comparação entre o original e a cópia, atestar a autenticidade;

III - juntada de documento pessoal do usuário, que poderá ser substituído por cópia autenticada pelo próprio agente administrativo;

IV - apresentação de certidão de nascimento, que poderá ser substituída por cédula de identidade, título de eleitor, identidade expedida por conselho regional de fiscalização profissional, carteira de trabalho, certificado de prestação ou de isenção do serviço militar, passaporte ou identidade funcional expedida por órgão público;

V - apresentação de título de eleitor, exceto para votar ou para registrar candidatura;

VI - apresentação de autorização com firma reconhecida para viagem de menor se os pais estiverem presentes no embarque.

Estas dispensas afetam desde a simples apresentação de cópia de documento em um órgão de prefeitura até o direito de família quando diz respeito da desnecessidade de ter firma reconhecida quando o menor viajar com ambos os genitores.

Outro ponto de bastante interesse público é que órgãos e entidades não poderão mais exigir que o cidadão apresente certidão ou documento expedido por outro órgão ou entidade do mesmo Poder, salvo para certidão de antecedentes criminais, informações sobre pessoa jurídica e qualquer outro documento que esteja expresso em lei.

O que você achou da lei 13.726? Eu por aqui achei extremamente válida e necessária, uma vez que reduzirá custos para o cidadão além de proporcionar uma agilidade na entrega de diversos documentos.


https://philipemcardoso.jusbrasil.com.br/artigos/642023768/nao-e-mais-preciso-autenticar-copias-ou-reconhecer-firma-para-orgaos-publicos?ref=topic_feed

26/10/2018 - 6 ANOS DA LEI DE PERICULOSIDADE DOS VIGILANTES

6 ANOS DA LEI DE PERICULOSIDADE DOS VIGILANTES

 

UMA VITÓRIA QUE COMEÇOU NO RIO DE JANEIRO

 

Em 8 de dezembro de 2012 a ex Presidente Dilma Rouseff sancionou uma das mais importantes conquistas da categoria dos Profissionais da Segurança Privada no País, o direito do adicional de 30% de periculosidade.

 

O trabalho começou em 2008 na Campanha Salarial por sugestão de um Vigilante que participou da Assembléia do Sindicato na Cinelândia. Na época a Federação dos Vigilantes do Estado do Rio de Janeiro, junto com seus Sindicatos Filiados, encamparam essa luta como uma das mais importantes da categoria e isso contagiou o Brasil inteiro.

 

Muitos não acreditavam que conseguiríamos aprovar o projeto de lei. Foram muitas idas e vindas à Brasília na tentativa de convencer os parlamentares à aprovação, emails enviados para todos os Sindicatos dos Vigilantes de todo País para que estes defendessem o projeto em seus estados.

 

Conseguimos! Foram 3 anos de lutas e 5 anos com o adicional de periculosidade em nossos contracheques.

 

Hoje, infelizmente, após a reforma trabalhista aprovada no Governo Temer, muitos direitos estão ameaçados e por isso temos que ser Vigilantes com eles e lutar para avançar com a aposentadoria especial e impedir que o novo governo, seja qual for, aprove a proposta de Reforma Previdenciária do Temer que está prestes a ser aprovada.





.........................................................................................................

LEI Nº 12.740, DE 8 DE DEZEMBRO DE 2012.

 

Altera o art. 193 da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, a fim de redefinir os critérios para caracterização das atividades ou operações perigosas, e revoga a Lei nº 7.369, de 20 de setembro de 1985.

 

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

 

Art. 1º O art. 193 da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, passa a vigorar com as seguintes alterações:

 

        "Art. 193. São consideradas atividades ou operações perigosas, na forma da regulamentação aprovada pelo Ministério do Trabalho e Emprego, aquelas que, por sua natureza ou métodos de trabalho, impliquem risco acentuado em virtude de exposição permanente do trabalhador a:

 

        I - inflamáveis, explosivos ou energia elétrica;

 

        II - roubos ou outras espécies de violência física nas atividades profissionais de segurança pessoal ou patrimonial.

 

 

        § 3º Serão descontados ou compensados do adicional outros da mesma natureza eventualmente já concedidos ao vigilante por meio de acordo coletivo." (NR)

 

Art. 2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

 

Art. 3º Fica revogada a Lei nº 7.369, de 20 de setembro de 1985.

 

Brasília, 8 de dezembro de 2012; 191º da Independência e 124º da República.

 

DILMA ROUSSEFF

José Eduardo Cardozo

Carlos Daudt Brizola

26/10/2018 - ATENÇÃO VIGILANTES DAS EMPRESAS GP

A diretoria do SINDIVGRIO esteve hoje, dia 26 de outubro de 2018, na empresa Seguridade, que assumirá os postos do Banco Itaú, em substituição à empresa GP.


Em reunião a empresa confirmou que vai assumir os postos dia 10 de dezembro. Por sua vez a empresa GP tem contrato com o Itaú até dia 31 de outubro.

Quem ficará nas agências do Itaú no mês de novembro, até o dia 10 de dezembro fazendo a segurança bancária, uma vez que os Vigilantes da GP já foram dispensados e trabalham até dia 31 de outubro!?

Se acontecer um sinistro dentro de uma agência quem se responsabiliza pelos Vigilantes e todas as implicações criminais e cíveis?

Fiquem atentos, qualquer informação avisem à diretoria do Sindicato para que as providências sejam tomadas!



Exibindo 1 a 17 de 1275 1 2 3 4 5 >