• Você está em: 
  • Home
  • Notcias

16/07/2018 - SERVIÇOS NO INSS PASSAM A EXIGIR AGENDAMENTO A PARTIR DE SEGUNDA-FEIRA

Nesta segunda-feira, dia 16 de julho, o INSS passa a exigir agendamento para atendimentos que até então eram feitos diretamente nas agências previdenciárias. Agora, o trabalhador que quer consultar o extrato previdenciário (também conhecido como extrato CNIS), o histórico de crédito de benefício ou a carta de concessão de sua aposentadoria tem que agendar dia e hora pela internet (meu.inss.gov.br) ou pela central de atendimento telefônico 135.

 

O agendamento também passará a ser exigido caso o segurado queira obter o extrato de empréstimo consignado ou de Imposto de Renda, assim como pedir a Declaração de Benefício Consta/Nada Consta. O objetivo é evitar que as pessoas compareçam às agências por conta de serviços que já estão disponíveis pelo portal Meu INSS (meu.inss.gov.br).

Quem comparecer a uma agência sem agendamento prévio será instruído a voltar depois de fazer a marcação, se quiser um atendimento presencial, sendo também orientado a se cadastrar no site para obter o documento desejado sem sair de casa.

O INSS também lembra que algumas instituições bancárias já oferecem a consulta ao extrato previdenciário, a exemplo de Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal.

Para utilizar o Meu INSS, é preciso fazer o cadastro em meu.inss.gov.br, o que leva de três a cinco minutos. O segurado precisa informar o nome completo, o CPF, a data e o local de nascimento, além do nome da mãe, para que o sistema gere uma senha de acesso provisório.

Assim que o login é efetuado, aparece uma mensagem instruindo o segurado a criar a própria senha. Depois desse procedimento, o interessado já pode conferir os serviços oferecidos pelo portal.

Também é importante ter em mãos a carteira de trabalho, pois algumas perguntas sobre a vida trabalhista e as contribuições feitas ao INSS são feitas para garantir que se trata mesmo do titular acessando a ferramenta.

Alguns bancos fornecem aos interessados as senhas inicial de acesso ao Meu INSS. São eles: Banrisul, Bradesco, Itaú, Mercantil do Brasil e Sicredi.

Outros serviços já agendados

No dia 24 de maio, outros serviços oferecidos pelo INSS que até então eram solicitados diretamente nas agências previdenciárias  sem a necessidade de marcação de dia e horário de atendimento passaram a exigir agendamento.

Entre os serviços que já exigem marcação estão: atualização de dados cadastrais e transferência de benefícios para outras agências. O mesmo valerá para as pessoas que desejam atualizar dados para efeito de Imposto de Renda, alterar o meio de pagamento do benefício, cadastrar ou renovar uma procuração concedida a um representante legal, e reativar um benefício suspenso ou cancelado.

Outras situações que, em maio, passaram a requerer agendamento são: renúncia de pensão por morte ou auxílio-reclusão, solicitação de um valor não recebido, cadastramento ou atualização de dados de dependentes para a concessão de salário-família, suspensão de benefício assistencial à pessoa com deficiência para inclusão no mercado de trabalho (ou reativação deste mesmo benefício) e emissão de certidão para saque de PIS/Pasep/FGTS.

O INSS também passou a marcar data e hora para quem quer cadastrar declaração de cárcere (quando o segurado é preso), desistir de aposentadoria, desbloquear benefício para empréstimo ou emitir certidão comprovando que não há dependentes habilitados a receber pensão por morte de um segurado.

16/07/2018 - INSS DININUI ATENDIMENTO ESPONTÂNEO NAS AGÊNCIAS

INSS DIMINUI  ATENDIMENTO NAS AGÊNCIAS

 


  A partir de hoje serviços do INSS que antes eram solicitados no posto de atendimento de forma espontânea, ou seja, sem precisar de marcação prévia, terão que ser agendados pela internet no portal Meu INSS (meu.inss.gov.br) ou pela Central de Atendimento telefônico 135. Vale lembrar que para ter acesso ao site é necessário cadastrar login e senha na própria página.

Veja como criar login e senha no portal Meu INSS

Entre os serviços "agendáveis" no posto está o documento número 1 do trabalhador, o extrato do Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS). Nele, constam informações de entradas e saídas dos empregados em empresas e os recolhimentos feitos à Previdência Social. É com base dos dados desse extrato que o INSS calcula o tempo de serviço do trabalhador.

Outros documentos que também entram na relação de "agendáveis" são: Histórico de Crédito de Benefício, Extrato de Empréstimo Consignado, Extrato de Imposto de Renda, Consulta Declaração de Benefício e Consta/Nada Consta, entre outros.

Não foram só os serviços que mudaram, o horário de atendimento nos postos também foi alterado. Um cartaz afixado na porta informa sobre a mudança no atendimento dos serviços espontâneos. Agora quem procurar a agência da Previdência tem que estar atento porque o segurado só vai ser atendido até 13h, depois somente com agendamento.

Desta forma, será oferecido um período de 5 ou 6 horas para o atendimento sem hora marcada, isso dependendo se a agência abre 7h ou 8h da amanhã, os dois horários de abertura existentes para as unidades do instituto. Os atendimentos agendados continuam sendo feitos no horário de funcionamento dos postos.

 

ACESSO PELO CELULAR

Segundo o próprio instituto, "todos estes serviços já estão acessíveis também pelo Meu INSS, que pode, inclusive, ser acessado pelo celular". E acrescenta que "essas mudanças têm como objetivo agilizar o fluxo nas agências, o que resultará na redução do tempo de espera para os segurados que requerem benefício".

Para o presidente da Comissão de Direito Previdenciário da OAB/Barra, Herbert Alencar, serviços mais usados ficarão menos acessíveis a quem não tem internet.

"Imaginem um segurado analfabeto. Como ele irá fazer para exercer seu direito à consulta?", questiona Alencar. "O INSS está empurrando goela abaixo o atendimento eletrônico, mas as pessoas mais humildes sem condições de ter computador ou sem conhecimento ficarão fora do serviço".



Pacote de medidas visa desafogar postos da Previdência

As mudanças no atendimento das agências da Previdência, segundo o INSS, fazem parte do conjunto de medidas que têm como objetivo de oferecer maior agilidade no atendimento aos cidadãos. Com o Meu INSS, os trabalhadores não agendam mais atendimento para pedir a aposentadoria por idade, por contribuição e o salário-maternidade urbanos.

Ao acessar o site, ou ligar para a Central 135, o trabalhador já recebe o número do protocolo de requerimento e acompanha o andamento do pedido nos mesmos canais. A medida elimina a etapa do agendamento, acabando com a espera para ser atendido.

De acordo com o INSS, quando a busca instantânea identifica que não há como conceder a aposentadoria pelo portal Meu INSS, o segurado é direcionado para o agendamento do serviço a fim de que seja atendido em uma agência da Previdência.

Nos casos em que as informações previdenciárias para o reconhecimento do direito ao benefício já constam nos sistemas, é feita a concessão automática do benefício, ou seja, à distância.

Para Herbert Alencar, que é presidente da Comissão de Direito Previdenciário da OAB/Barra e sócio do escritório Cincinatus e Alencar, o grande problema é que o INSS vai se basear nos dados do Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS), principal documento do segurado, e nem sempre as informações estão atualizadas ou mesmo corretas, adverte o especialista.

Por isso, acrescenta o advogado, é importante que o segurado mantenha todas as informações em dia, inclusive endereço e telefone.

A aposentadoria urbana por idade é um direito dos cidadãos que contribuem com o INSS por ao menos 15 anos e completam 60 anos de vida, se mulheres, ou 65 anos, se homens.

Já os requisitos para a aposentadoria por tempo de contribuição são: 30 anos de recolhimento para mulheres e 35 anos para homens.

 

 

Fonte: Martha Imenes - Jornal O Dia

12/07/2018 - VIGILANTES DE CARUARU SE UNEM EM ATO DEMOCRÁTICO E SÃO RECEBIDOS COM VIOLÊNCIA E EXPOSTOS A ATOS VEXATÓRIOS

Cansados da truculência e ingerência do Sindicato dos Vigilantes do Estado de Pernambuco, que não defende os trabalhadores de forma eficiente, chegando os mesmos a ficarem sem salários, vale-alimentação e outros direitos por mais de três meses sem que haja uma denúncia e ação eficiente por parte do sindicato, que deveria atuar em favor dos trabalhadores.


Veja a matéria completa no link abaixo:

12/07/2018 - VEJA OS BENEFÍCIOS IMPERDÍVEIS DO ASSOCIADO SINDVIG RIO

Veja o vídeo e aproveite os benefícios de ser sócio do SINDVIG RIO



11/07/2018 - NOTA DE REPÚDIO SINDVIG-RIO

O SINDVIGRIO vêm a público manifestar sua contrariedade à matéria publicada no Jornal O Dia, de 10/07/18, sobre o caso do estupro de duas meninas nas dependências da Supervia.

 

Esclarecemos que a empresa terceirizada ANS é prestadora de serviços de CONTROLADORES DE ACESSO e não de Segurança e Vigilância conforme matéria publicada.

A profissão de Vigilante é regulamentada pela lei 7.102/83 que traz critérios de ingresso na carreira bem como reciclagens periódicas.

O autor desses estupros na Supervia já respondia por outro crime no qual seria impedido de participar de processos de reciclagem, se Vigilante fosse.

O Diretor de Comunicação do SINDVIGRIO Leandro Siqueira, relembra que em dezembro de 2017 o Sindvig Rio denunciou o corte de 120 Vigilantes da Supervia, que substituiu esses profissionais por controladores de acesso. A conseqüência desse ato podemos sentir hoje com o estupro dessas meninas, menores de idade, Leandro lamenta que a Supervia contrate pessoas sem qualquer qualificação para exercer funções tão importantes nas estações de trem.

Solidarizamos com as vítimas desse delito e reafirmamos nosso total repúdio a qualquer tipo de violência contra a mulher.

SINDVIG-RIO

10/07/2018 - TEMER INDICA ADVOGADO DE EMPRESÁRIOS COMO NOVO MINISTRO DO TRABALHO

O presidente Michel Temer indicou nesta segunda-feira, 9, o advogado Caio Luiz Almeida Vieira de Mello como novo ministro do Trabalho. Caio tem em sua trajetória a defesa de grandes empresas e é sócio da mulher de Gilmar Mendes, Ministro do Supremo Tribunal Federal.


Atualmente, Caio Luiz atua em um dos mais poderosos escritórios de advocacia do país, de Sérgio Bermudes, que tem em sua carteira de clientes empresas como Vale, Bradesco, Citibank e Ambev, e as construtoras Odebrecht e Queiroz Galvão.

Caio Luiz é um homem acostumado a defender o interesse de grandes empresários e passa a chefiar o ministério do trabalho que, em tese, deve promover políticas públicas voltadas ao trabalhador.

09/07/2018 - REGISTRO SINDICAL ERA "BALCÃO DE NEGÓCIOS"

REGISTRO SINDICAL ERA ‘BALCÃO DE NEGÓCIOS’


 Responsável pela ação que deu origem à Operação Registro Espúrio, o procurador da República Frederico Paiva, do Ministério Público Federal no Distrito Federal (MPF-DF), considera que o setor de registro sindical no Ministério de Trabalho virou um “balcão de negócios”. Frederico Paiva afirma que novas denúncias sobre o caso vão ser apresentadas. — Ao que parece, a coordenação de registro sindical virou um balcão de negócios.

Diversos sindicatos têm procurado o Ministério Público e relatado atos ilegais praticados por estas pessoas — afirma o procurador. Na última quinta-feira, foi deflagrada a terceira fase da Operação Registro Espúrio, que teve como alvo o então ministro do Trabalho, Helton Yomura. De acordo com a Polícia Federal, Yomura agiria como “testa de ferro” dos interesses da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) e de seu pai, o ex-deputado Roberto Jefferson.

Cristiane foi impedida de assumir a pasta no início do ano, após a revelação de que fora processada por ex-funcionários na Justiça do Trabalho e que utilizava contas de uma outra funcionária para realizar o pagamento de suas condenações. Após ser afastado do cargo, por decisão do Supremo Tribunal Federal, Yomura pediu demissão. No seu lugar assumiu o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, que irá acumular os dois cargos até que o novo titular do Trabalho seja escolhido.

 

AÇÃO DE IMPROBIDADE NO TRABALHO

Frederico Paiva vem atuando desde o ano passado, na primeira instância, no combate às fraudes nos registros sindicais. Em julho, o procurador entrou com uma ação de improbidade contra quatro funcionários do Ministério do Trabalho.

O então secretário de Relações do Trabalho, Carlos Cavalcante Lacerda, o então coordenador-geral de registro sindical, Renato Araújo Júnior, a então chefe da divisão de registro sindical, Renata Frias Pimentel, e Leonardo Dias Cabral, que atuava como comissionado na pasta, respondem à ação. O grupo é acusado pela Procuradoria no DF de cometer irregularidades no processo de análise, concessão e publicação de registros sindicais solicitados por entidades de todo o país.

A ação faz referência, ainda, a outras infrações como o indeferimento de registro sindical a entidades que preenchiam os requisitos exigidos para o procedimento. Além da esfera cível, os ex-funcionários do ministério também são alvo de investigação criminal por suspeita de formação de organização criminosa, que atuaria na pasta para atender interesses de políticos de PTB e Solidariedade nos processos de registros sindicais em troca de propina.

Como a investigação criminal acabou esbarrando em parlamentares com foro privilegiado, o caso foi remetido ao Supremo e deu origem à Operação Registro Espúrio.


Fonte: Mateus Coutinho - O Globo

06/07/2018 - SINDVIG RIO COBRA PAGAMENTO PARA OS VIGILANTES DA PRIMUS QUE PRESTAM SERVIÇO PARA OS CORREIOS

A diretoria do Sindvig Rio esteve em reunião com o representante da empresa Primus para cobrar o pagamento aos Vigilantes que prestam serviço para os Correios.

Segundo informação obtida, os Correios se encontram em débito com os Vigilantes em relação a fatura do mês passado.


 

Foi relatado pelo representante da Primus que a nota será liberada dia 13/07, assim que a nota for liberada os pagamentos referentes ao mês de junho serão pagos, ticket alimentação e o salário e no dia 27/07 será feito o pagamento referente  ao mês de julho.

06/07/2018 - VIGILANTES DO PARQUE LAGE ENTRAM EM GREVE

Os serviços de uma empresa que presta serviços de vigilância e limpeza para o Parque Lage, no Jardim Botânico, na Zona Sul, estão paralisados por falta de pagamento aos funcionários.

 

De acordo com o Governo, as negociações para quitar o débito estão em andamento. O executivo estadual esclareceu que nenhum servidor estadual está em greve.

O Parque Lage, localizado na rua Jardim Botânico, 414, continua funcionando normalmente das 8 da manhã às cinco da tarde.

Por Luiza Ferraz (Bandnews), às 05/07/2018 - 18:21

05/07/2018 - ELITE APLAUDE BOLSONARO E VAIA CIRO GOMES

"Quando se é vaiado defendendo os trabalhadores, parece que é um prêmio." Ciro Gomes

A frase acima fala por sí. As elites empresariais e industriais do nosso país foram as grandes fiadoras da reforma trabalhista, do governo Temer, que retirou direitos históricos dos trabalhadores, precarizando quem tem menos e favorecendo quem tem mais .

 

De um lado Ciro Gomes defendendo a revogação da reforma trabalhista que será substituída por outra que terá a participação popular e dos sindicatos, do outro lado Bolsonaro, que não entende nada de economia.

Fiquem atentos Vigilantes, estudem em quem votar. Não se deixem envolver por discursos.

O Vigilante unido á forte!!!


03/07/2018 - CERTIDÕES DE INTEIRO TEOR

A Diretoria do SINDVIG Rio esteve reunida no dia 28 de junho, na Chefia de Polícia Civil do RJ, com o Diretor Márcio do IFP, Márcio Carvalho, e com o Assessor do Departamento Geral de Polícia Técnico-Científica, Comissário Toledo, na Sede da Polícia Civil do RJ.

 

Na reunião foi tratado o assunto das Certidões de Inteiro Teor, obrigatória para os profissionais Vigilantes nas reciclagens.

Para os representantes da Polícia Civil a demanda pela Certidão é grande porque diversas categorias necessitam dela para suas respectivas atividades e para confecciona-la exige-se alguns dias em vista da ampla pesquisa realizada para sua emissão. De modo, que não basta apenas atender todos os interessados durante o dia porque aumentaria o tempo de entrega.

A Polícia Civil está verificando a demanda atual para estabelecer estratégias de atendimento aos interessados e assim atender à sociedade da forma mais eficiente possível. Nova reunião está agendada para esta semana.

A Diretoria do Sindicato esteve representada pelos Diretores Antonio Carlos, Presidente; Leandro Siqueira, Comunicação; e Denise, Cultura; e Dr. Márcio Ventura, Advogado. Para Antonio Carlos foi extraordinária a recepção do Comissário Toledo e do Diretor Marcio Carvalho e o comprometimento dos mesmos com a demanda apresentada pelo Sindicato. Algo que nos faz acreditar que soluções serão encontradas e assim os Vigilantes continuarão garantindo seu direito à reciclagem.

O Diretor Márcio Carvalho solicitou que os Vigilantes levem a Carteira de Identidade original e cópia, para assim facilitar o atendimento no IFP.

28/06/2018 - COMUNICADO EXPEDIENTE 02/07/2018

O SINDICATO INFORMA QUE NO DIA 02/07, SEGUNDA FEIRA, NÃ?O HAVERÁ EXPEDIENTE. 




26/06/2018 - DIRETORIA DA EMPRESA GP MARCA, MAS NÃO COMPARECE!

A Diretoria do SINDVIG Rio convoca os Vigilantes da Empresa GP para comparecerem no Departamento Jurídico do Sindicato dos Vigilantes, quarta e quinta-feira, das 10h às 17h, para que possamos tomar medidas judiciais para resguardar os direitos dos trabalhadores diante da grave situação enfrentada pela Empresa.

Novamente o Diretor da Empresa GP faltou à reunião marcada para ontem, (25/06) sob a alegação de compromissos inadiáveis em Brasília, mesmo tendo confirmado presença na manhã do dia marcado.

Para a Diretoria do SINDVIG Rio tal postura apenas reforça que os problemas enfrentados pela Empresa são graves e merecem soluções cada vez mais drásticas.

Mesmo com a ausência do Diretor da Empresa a reunião foi realizada com a Gerências do Rio de Janeiro e a Gerência de São Paulo. Na ocasião a Diretoria do Sindicato dos Vigilantes do Rio apresentou sua preocupação com o atraso nos depósitos do FGTS, que hoje acumula atrasos de três anos, e ainda com as demissões sem a devida homologação e pagamento das verbas rescisórias. Apenas esses dois problemas demonstram que a Empresa está em uma situação de insolvência grave e preocupante.

A Empresa afirma ter parcelado junto à Caixa Econômica o saldo devido de FGTS, porém ainda não apresentou o contrato assinado e a comprovação da quitação das parcelas supostamente acordadas com a Caixa.

Quanto às demissões, a Empresa GP propõe parcelamento das verbas rescisórias, porém a Diretoria do SINDVIG Rio entende que pela demora o valor tem que ser pago integralmente e sem parcelamento, pois não seria justo, depois de tantos meses, querer receber esses valores parcelados. A maioria desses trabalhadores já ajuizaram suas ações trabalhistas e cabe agora à Empresa negociar na Justiça. Conforme afirmaram os Diretores do Sindicato, se a Empresa não tem condições de pagar as verbas rescisórias e depositar a multa do FGTS e o saldo devido, então não deve demitir. A demissão deve ocorrer quando a Empresa pode honrar com as suas obrigações.

Outros temas foram discutidos:

1. Pagamento de férias. A Empresa apresentou recibo de férias comprovando que paga média de horas extras e adicionais. Pelos cálculos feitos na hora da reunião pelo Sindicato dos Vigilantes foi verificado que a Empresa paga as férias com valores desatualizados, e não com os valores devidos no momento que o trabalhador recebe suas férias.

O dep. jurídico da Empresa apresentará a sua defesa sobre o assunto.

2. Pagamento de folga trabalhada na escala 12X36 que não está sendo paga conforme nova regra da Convenção Coletiva de Trabalho, que deve ser paga como hora extra a 100%, mais tíquete refeição e vale transporte. A Empresa reconheceu que não está pagando conforme está em Convenção porque em São Paulo a Empresa entende que vale apenas a Reforma Trabalhista. A Diretoria do Sindicato dos Vigilantes afirmou que a Convenção Coletiva vale mais que a Lei, então a Empresa tem que respeitar o que está em Convenção.

3. Café da Manhã da Escolta Armada. A Empresa assumiu o compromisso de pagar todo retroativo desde 1º de março e continuar pagando conforme estipulado em Convenção. O retroativo vai ser pago junto com o salário.

4. Atraso no repasse de pagamento da BMC. A Empresa informou que houve erro da BMC, que a GP está pagando em dia e que vai exigir a retratação da BMC quanto ao erro ocorrido, comprovando que está tudo bem, e que as parcelas descontadas em contracheque estão sendo repassadas nas datas certas.

5. Vigilante Patrimonial fazendo serviço de Escolta Armada. A Empresa afirma que isto não ocorre, pois nem possui contrato de Escolta e apenas faz alguns serviços eventuais, cobertos pelos atuais Vigilantes de Escolta da GP.

6. Vale Card, a Empresa afirma que novas Redes estão sendo credenciadas, em especial Rede Guanabara e Mundial, e que espera resolver isto ainda este mês.

26/06/2018 - DIRETORIA DO SINDVIG RIO LUTANDO PELOS VIGILANTES DA GPS

Diante da pauta que já havia sido apresentada pelo Sindicato na última reunião a Empresa GPS assumiu os seguintes compromissos:

- Correção do pagamento do adicional noturno, com pagamento do retroativo a partir de março de 2018;

- Impressão do ponto eletrônico no Aeroporto Galeão a partir do mês de julho;

- Mudanças de supervisão nos Postos da Empresa;                                                 

 - A Empresa realizou pesquisa com os Vigilantes do Galeão e medidas já estão sendo tomadas para atender as demandas dos trabalhadores;

 - Acompanhamento para confirmar problemas com intervalo intrajornada (hora de almoço ou janta) ou com rendição para ir ao banheiro (Sindicato vai monitorar essa questão e informar a Empresa);

 - A empresa informou que os vigilantes não fazem ocorrências externas, apenas internas (O Sindicato vai acompanhar essas ocorrências para apurar com a Empresa);

- Será feita a troca dos uniformes;

- A empresa informou que está pagando as folgas nos contracheques e o VT e o VA  das extras estão sendo pagas em dinheiro no contra cheque

- Em relação ao fechamento de folha, a empresa alega que a cláusula da CCT dá a opção ás empresas de praticar fechamentos de acordo com a necessidade das mesmas.

- Em relação a SUPERVIA, a empresa entende que não está acontecendo 20 minutos de almoço e que os Vig não passam da hora de trabalho.

Novas vistorias serão realizadas para corrigir possíveis erros e assim garantir os direitos dos Trabalhadores. Diante das reclamações apresentadas a Diretoria do Sindicato continuará atuando nestes postos para verificação dos problemas discutidos.

25/06/2018 - IMPOSTO SINDICAL ENTRA EM SEMANA DECISIVA NO SUPREMO

IMPOSTO SINDICAL ENTRA EM SEMANA DECISIVA NO SUPREMO

Julgamento no STF sobre cobrança obrigatória começa na quinta-feira (28)

 

O STF começa a julgar na quinta-feira (28) as ações pela volta do imposto sindical obrigatório. A contribuição deixou de ser compulsória com a reforma trabalhista.

Sob relatoria do ministro Edson Fachin, 19 ações sobre o tema serão levadas ao plenário da corte nesta semana.

Sindicatos, federações, confederações e centrais pedem a volta do imposto obrigatório, que se referia a um dia de trabalho descontado automaticamente do holerite do trabalhador em março de cada ano.

As entidades alegam que a reforma é inconstitucional porque a mudança deveria ter sido feita por meio de PLC (projeto de lei complementar), e não lei ordinária. Um PLC exige quórum maior para aprovação.

Elas reclamam também de perda de arrecadação.

A Presidência da República, a Câmara dos Deputados e o Senado já se manifestaram pela constitucionalidade da contribuição voluntária.

Fachin escreveu, em despacho de 30 de maio deste ano, que o fim do imposto sindical é "grave e repercute, negativamente, na esfera jurídica dos trabalhadores".

O ministro afirmou ainda que vai esperar o julgamento de quinta, mas sinalizou que pode, caso a questão não seja decidida, expedir uma decisão liminar (provisória).

Ele, porém, não antecipou seu voto. O julgamento pode ser interrompido por um pedido de vista (mais tempo de análise) de um ministro.

Fonte: Jornal Folha de São Paulo

21/06/2018 - ATENÇÃO VIGILANTES DA CLAUFRAN

21/06/2018 - ATENÇÃO VIGILANTES DA STEEL MEN



Exibindo a 16 de 1207< 1 2 3 4 >