• Você está em: 
  • Home
  • Notícias

25/06/2015 - DIRIGENTES SINDICAIS RECEBIDOS PELO SENADOR CRIVELLA

O Senador Marcelo Crivella do PR/RJ, recebeu hoje, 25/06, dirigentes sindicais da Nova Central de Trabalhadores do Rio, das Federações e Sindicatos a ela filiados para apresentar sua posição sobre o PLC 30/15 que tramita no Senado. O PL expande de forma ampla, geral e irrestrita a terceirização no Brasil, inclusive nas atividades-fim das empresas.

Sindicalistas do Rio querem apoio de Crivela contra o PLC 30/15

Os dirigentes sindicais apresentaram os pontos negativos do projeto que estão relacionados à redução dos direitos trabalhistas duramente conquistados ao longo dos tempos. Por este projeto os trabalhadores trabalham mais, ganham menos, podem ser sub-contratados pelas empresas, que se preocupam muito mais com a redução de seus custos que com os direitos dos trabalhadores. 

              

             Em reunião com Senador Crivella sindicalistas pontuam falhas no projeto

O Senador concordou com os argumentos dos sindicalistas, dizendo que combate o PL no Senado e tudo fará para que seja rejeitado integralmente. Informou que a terceirização é objeto de seus estudos como parlamentar, tendo inclusive um projeto sobre o tem a que é o PLS 300/15.

             

                                Senador Marcelo Crivella apoia a classe trabalhadora

Outras audiências com os Senadores Romário e Lindeberg Faria estão para serem marcadas.

24/06/2015 - CRIVELLA RECEBE SINDICALISTAS PARA DEBATER TERCEIRIZAÇÃO

O senador Marcelo Crivella do PRB do Rio terá audiência com lideranças sindicais da Nova Central Sindical / RJ e de 10 Federações de Trabalhadores, entre as quais a Federação dos Vigilantes.  O encontro será nesta quinta-feira (25), às 10 horas, no escritório regional do senador Crivella, na Zona Norte do Rio.

Na ocasião será discutido o PLC 30/15 de autoria do ex-Deputado Federal Sandro Mabel do PMDB de Goiás que expande de forma ampla, inclusive nas atividades-fim a terceirização no Brasil. O projeto é extremamente nocivo ao trabalhador tendo como conseqüência o desrespeito aos direitos trabalhistas com a diminuição dos salários, subcontratações, aumento das horas trabalhadas e da rotatividade no emprego.

 

23/06/2015 - SINDVIGRIO DEBATE TERCEIRIZAÇÃO NA ALERJ COM SENADOR PAULO PAIM

O Sindicato dos Vigilantes do Município do Rio de Janeiro foi convidado pelo Senador Paulo Paim para debater em audiência publica no dia 26/06, às 14hs na ALERJ a situação dos trabalhadores que serão prejudicados por este novo modelo de terceirização aprovado na Câmara dos Deputados.

 

O Fórum em defesa dos direitos dos trabalhadores ameaçados pela terceirização foi criado para buscar e ampliar a participação dos sindicatos e das entidades do Fórum envolvendo mais amplamente todas as Centrais Sindicais, as entidades da sociedade e, nestas, em especial os trabalhadores e trabalhadoras terceirizadas e precarizadas.

 

Comparecerão na audiência representantes do SINDVIGRIO e da Federação dos Vigilantes do Rio de Janeiro.

 

Jornal O Dia 23/006/2015

18/06/2015 - SINDVIGRIO VAI AO SECRETARIO DE SAÚDE MOSTRAR AS DIFICULDADES DOS VIGILANTES NAS UPAS

Os Dirigentes do SindiVigRio, Antônio Oliveira, presidente, Marino Vice-presidente e Fernando Bandeira, Secretário Geral, estiveram reunidos com o secretário Estadual de Saúde, Felipe Peixoto para informar as dificuldades que os vigilantes passam nas unidades municipais de saúde em especial nas UPAS.

 

Disseram ao secretário que os vigilantes recebem toda a carga negativa das reclamações da população revoltada com a saúde publica, ficam expostos a assaltos nas áreas de risco tendo que enfrentar agentes que trabalham na clandestinidade sob ameaças, próximos às áreas de conflitos entre facções rivais.

 

                     

 

Não bastando tudo isso, os vigilantes enfrentam ainda os atrasos constantes no pagamento, alimentação e transporte, por parte das OS’s que contratam os vigilantes para os serviços especializados. O Sindicato apontou a dificuldade do aumento no número de responsáveis pela contratação – Secretaria de Saúde, OS’s e Empresas de Vigilância Privada – prejudicando os vigilantes.

 

O Secretario reconheceu o momento difícil dos fornecedores, porém na própria reunião já começou a agilizar e fazer tudo o que estava a seu alcance para tentar que as empresas consigam receber pelo menos parte do que é devido e vai continuar se empenhando para tentar pelo menos amenizar a situação.

 

Quanto ao pagamento dos salários atrasados  ficou o compromisso tanto da empresa quanto da secretaria que os vigilantes devem receber no máximo até a próxima terça feira – dia 23.

 

O Secretário foi sensível às reclamações, reconhecendo a importância dos vigilantes nas UPAS e a bronca diária que seguram. Pede a colaboração dos vigilantes se comprometendo a fazer todo esforço possível para tentar reverter a situação o mais rápido possível, em respeito ao trabalho exercido pelos vigilantes.

 

      

17/06/2015 - NOVA CENTRAL ATUANTE NO SENADO FEDERAL EM FAVOR DOS TRABALHADORES

A Nova Central Sindical de Trabalhadores do Rio de Janeiro (NCST-RJ) na presença dos diretores: Fernando Antônio Bandeira que trata da organização política da Nova Central Nacional, juntamente com Luiz Gonzaga Negreiros também diretor de assuntos parlamentares; compareceram ao Senado Federal na última quinta-feira (11/06) para pedir aos senadores que rejeitem o PLC 30/15, projeto que tramita no Senado Federal e que expande de forma ampla, geral e irrestrita a Terceirização no Brasil.

Cabe lembrar que no mês de maio (19/05), houve uma sessão temática sobre a terceirização no Senado Federal para discutir o assunto e onde o presidente da Nova Central, José Calixto Ramos, reforçou em seu discurso, o prejuízo que o projeto poderá trazer aos trabalhadores. “Com meus anos de experiência sindical confesso que nunca vi tanto descompasso e contradições em um Projeto de Lei. Os parlamentares na tentativa de definir regras a mão de obra dos mais de 12 milhões terceirizados, liberou indiscriminadamente a prática no Brasil. A pergunta que faço e os outros 35 milhões diretamente contratados pelas empresas, que futuro lhes espera? Se depender dos patrões, ávidos pelo lucro, perderão seus empregos e terão seus salários rebaixados e condições de trabalho precarizados”, afirmou.

A visita foi feita nos gabinetes dos senadores do Rio de Janeiro: senador Lindbergh Farias (PT/RJ), senador Marcelo Crivella (PRB/RJ) e senador Romário de Souza (PSB/RJ), respectivamente nas Alas: Teotônio Vilela gabinete 11, Ruy Carneiro gabinete 02 e Nilo Coelho gabinete 11. “Desejamos que os parlamentares no desempenho de suas funções legislativas percebam o quanto este projeto é prejudicial aos trabalhadores ao diminuir salários; além de desrespeitar direitos trabalhistas entre outras consequências que precisamos combater”, lembrou Fernando Bandeira.

Foram entregues um ofício em cada um dos gabinetes, solicitando uma audiência no Rio de Janeiro com as lideranças da Nova Central-RJ, federações e sindicatos filiados, para tratar do assunto em questão, no intuito de encontrar uma possível estratégia de combate a Terceirização no país.

Sabrina Silva, secretária do senador Lindbergh, Jaciara Gomes secretário do senador Marcelo Crivella e Loni Elisete assessora parlamentar do senador Romário receberam os ofícios afirmando que iriam encaminhar aos respectivos senadores. “Estamos aqui cumprindo com o nosso dever de lutar sempre em defesa dos trabalhadores do nosso Brasil. Por isso o que for possível fazer articulando com os deputados e senadores no Congresso Nacional para impedir prejuízos e avançar na conquista de direitos para os nossos trabalhadores vamos fazer”, finalizou Negreiros, diretor da Nova Central.

Fonte: NCST

17/06/2015 - CÂMARA APROVA IMPRESSÃO DE VOTO ELETRÔNICO

16/06/2015 - CONTRASP TENTA JUNTO AO INSS SUSPENDER DEMISSÕES DE VIGILANTES EM TODO O BRASIL

A Contrasp – Confederação Nacional dos Trabalhadores de Segurança Privada, juntamente com as federações e sindicatos filiados, esteve, na tarde desta quinta-feira, 11, reunido com os representantes do INSS em Brasília para entender os motivos que levou a entidade demitir, sem nenhuma explicação, inúmeros vigilantes em todo Brasil.

 

A comitiva da Contrasp foi recebida na Previdência do INSS pelo secretário executivo adjunto José Eduardo, que estava acompanhado de José Geraldo, subsecretario de Finanças da Previdência do INSS; Marcelo, da Logística da Previdência e Valdenir, coordenador geral de Logística para uma longa reunião, onde foi repassada aos sindicalistas a situação da entidade e os motivos que levou a decisão pela contenção de despesas com a consequente demissão de vigilantes do INSS.

 

      

 

Segundo os representantes do INSS, a pasta vem sofrendo desde 2013, uma drástica redução orçamentária para manutenção e contratação de serviços, piorada ainda mais com a nova lei orçamentária e o ajuste fiscal de 2015, exigido pelo governo no final de 2014, somando-se a esses problemas de ordem administrativa, houve ainda a perda de quase 400 milhões no orçamento anual. A diminuição de recurso neste momento tornou-se imperativo o enxugamento das despesas, que ocorreu em vários setores do INSS.

 

Ainda segundo os representantes do INSS, até que haja uma nova adequação orçamentária, de imediato, haverá redução em todos os postos de serviços noturnos e nos que não são 12 horas diárias, ficando neste caso postos 8 horas de segunda a sexta, com a garantia de permanência dos postos 12×36 diurno e 8 horas de segunda sexta-feira. Além da redução desses postos, pode ainda haver fechamento de unidades em algumas localidades onde haver na mesma cidade mais de uma agência do INSS e que esse posicionamento só será revertido com a mudança no orçamento.

 

Os dirigentes do INSS garantiram ainda a Contrasp que será avaliado as reduções já feitas no Brasil, observando se as mesmas cumpriram as determinações previstas. Ao final da reunião foi fechado um compromisso da Previdência do INSS com a Contrasp, Federações e os Sindicatos filiados da participação conjunta na formatação das planilhas para contratação de serviços em vigilância e com isso a Contrasp destaca seu real e legítimo respeito em defender essa honrosa categoria.

16/06/2015 - RIO E SÃO PAULO CONCENTRAM 60% DOS ROUBOS DE CARGA DO PAÍS


Elenice Bottari - O Globo


RIO — Na Região Sudeste, ocorreram 80% dos 5.889 dos roubos de cargas registrados no país em 2014. E, de cada cinco assaltos, quatro foram praticados no Rio ou em São Paulo: os dois estados concentram 60% dos casos de todo o país. Os dados são da Associação Nacional dos Transportadores de Carga e Logística e foram utilizados para justificar um pacote de projetos de lei que, em tramitação na Assembleia Legislativa, tem como objetivo combater a receptação. Em uma reportagem publicada na segunda-feira, O GLOBO mostrou que a falta de repressão vem facilitando o crescimento do mercado de venda ilegal de mercadorias no Rio.

Feira de Caxias - Venda de produtos roubados nas estradas

 

Um dos projetos, de autoria dos deputados Jorge Picciani, Rafael Picciani e Paulo Ramos, é uma espécie de ofensiva contra maus empresários. O texto proíbe o estado de contratar empresas que adquirem, distribuem, transportam, estocam ou revendem produtos de origem não comprovada, “independentemente de ficar ou não caracterizada a receptação”. Pela mesma proposta, empresários envolvidos nesse tipo de crime ficam impedidos de apresentarem pedidos de inscrição de novas firmas no Estado do Rio por um prazo de cinco anos.

 

Segundo a Associação Nacional dos Transportadores de Carga e Logística, as estatísticas de roubos de cargas nas estradas fluminenses subiram 67% em um ano.

 

— Esse mercado existe porque há quem venda e compre mercadorias roubadas. É um comportamento que financia a violência no estado, a sociedade se torna vítima de um sistema que ela mesma alimenta. Vale lembrar que o roubo de carga também resulta em grande prejuízo à economia como um todo, pois prejudica a arrecadação tributária e a geração de empregos. Uma maneira de tentar interromper esse ciclo é endurecer a legislação — opina Rafael Picciani.

 

Outros dois projetos de lei em tramitação na Assembleia Legislativa têm como objetivos obrigar todos os caminhões a usarem rastreadores por satélite e determinar a instalação de câmeras de segurança nos estacionamentos para esses veículos.

 

 

 

COMERCIANTE É PRESO

 

Policiais da Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos de Cargas (DRFC) prenderam na segunda-feira o comerciante Ernando de Souza e Souza, dono de uma padaria na Estrada do Taquaral, no bairro de Vila Aliança. Agentes encontraram no local parte de um lote de cigarros levado no último dia 29 de uma mercearia na Rua Zuleika Nunes, em Senador Camará, que fica a 20 quilômetros de distância do estabelecimento assaltado.

 

Em seu depoimento à DRFC, Ernando alegou que a fabricante dos cigarros não faz entregas na Vila Aliança, e, por isso, ele vinha comprando a mercadoria de um homem conhecido como Marquinhos, que a vende por apenas 7% do valor original, sem emitir nota fiscal. O comerciante, por sua vez, vendia os maços pelos preços de tabela.

 

No domingo, agentes da 59ª DP (Duque de Caxias) fizeram uma operação de repressão à venda, numa feira, de bicicletas sem procedência comprovada. Quinze foram apreendidas. A Polícia Civil promete dar continuidade às ações no local e também no camelódromo da Rua Uruguaiana, no Centro do Rio.

 

 


15/06/2015 - ASSEMBLÉIA DIA 20/06 - INSTRUTORES DAS ACADEMIAS DE FORMAÇÃO DE VIGILANTES

12/06/2015 - VS BRASIL PAGA E NÃO HAVERÁ PARALISAÇÃO NA EMPRESA

Os vigilantes da VS Brasil já receberam os salários atrasados de vários postos, entre eles: Petrobrás, Caixa Econômica Federal, Detran, hospitais, Polícia Civil, Defensoria Pública. A empresa esteve hoje reunida com a direção do SindVigRio e comprovou a quitação dos débitos. O Sindicato cobrou da VS Brasil o acerto do retroativo que ainda não foi pago. A empresa se comprometeu em regularizar essas diferenças. Outra reunião será realizada para saber se as diferenças do retroativo foram pagas.

11/06/2015 - VIGILANTE DA VS BRASIL! NINGUÉM ASSUME O POSTO! DIA 16/06

.

10/06/2015 - APOSENTADO NA ATIVA PODE RECEBER FGTS MENSALMENTE

Para ter esse direito, é preciso que o empregado continue na empresa pela qual deu entrada no benefício do INSS e tenha carteira de trabalho assinada

 

STEPHANIE TONDO / O DIA

Rio - São muitos os casos de aposentados que continuam trabalhando para complementar a renda. Mas o que poucos sabem é que essas pessoas podem resgatar mensalmente o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), seja para usá-lo ou, de preferência, investir em uma aplicação que renda mais.

 

Basta ir até a Caixa para pedir a transferência para conta pessoal do dinheiro depositado todo mês no fundo



Para ter esse direito, é preciso que o empregado continue na empresa pela qual deu entrada no benefício do INSS e tenha registro na carteira de trabalho. Presidente do Instituto Fundo Devido ao Trabalhador, Mário Avelino explica que o resgate do depósito é uma opção exclusivamente do trabalhador. “A empresa deposita normalmente. Se o funcionário quiser retirar o dinheiro do fundo, basta ir até a Caixa Econômica Federal e informar que deseja ter esse depósito mensal transferido para a conta dele”, afirma.

O empregador deposita no FGTS por mês um percentual fixo de 8% sobre o salário do empregado. Isso significa que um aposentado na ativa com remuneração de R$ 1 mil no trabalho poderia sacar do fundo R$ 80 por mês. Mas vale a pena lembrar que a data de vencimento do depósito é no dia 7 de cada mês, e que a transferência para a conta solicitada pelo trabalhador leva pelo menos 15 dias.

Para Mário Avelino, o mais recomendável é que o aposentado que continua trabalhando transfira o dinheiro do FGTS para uma poupança ou qualquer outra aplicação que renda mais. “Se a pessoa pode sacar, aconselho que saque. Dinheiro no fundo de garantia é prejuízo certo”, avalia o especialista.

 

Rendimento do fundo está defasado

Enquanto o FGTS rende juros de 3% ao ano (mais a Taxa Referencial), a poupança rende 6,17% (mais a TR) nesse mesmo período. É mais que o dobro de diferença, isso porque a caderneta ainda perde para a inflação, que encerrou os últimos 12 meses em 8,24%, segundo a prévia do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15) de maio.

 

O trabalhador que retirar o dinheiro do fundo e aplicar no Tesouro Direto, por exemplo, pode ter rendimento equivalente à taxa Selic, ou seja, 13,75% ao ano. Esse percentual é mais de quatro vezes maior que os juros dados pelo Fundo de Garantia.

 

Segundo Mário Avelino, do Instituto Fundo Devido ao Trabalhador, o modelo de atualização monetária do FGTS não repõe a inflação. “Desde 1999 o governo pratica esse confisco. Só este ano, deixou de creditar R$ 34 bilhões”, explica.

 

AGU evita prejuízo de R$ 1 milhão com erros do INSS

 

Uma unidade da Advocacia-Geral da União (AGU) economizou quase R$ 1 milhão aos cofres públicos em apenas três meses ao demonstrar equívocos em cálculos de cobranças judiciais. Quase a totalidade do valor — que a Procuradoria Seccional Federal (PSF) em Ji-Paraná (RO) evitou ser pago indevidamente entre março e maio de 2015 — está relacionada ao repasse de benefícios previdenciários pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

 

Segundo a a procuradora federal responsável pela unidade, Giovanna Zanet, os erros mais recorrentes nos cálculos são: equívocos na data inicial e final do benefício, incidência incorreta de juros de mora, inclusão de parcelas já pagas administrativamente e de 13º nos benefícios da Lei Orgânica da Assistência Social (Loas). O benefício de prestação continuada, pago a idosos com mais de 65 anos e deficientes desde que a renda familiar seja menor que um quarto do salário mínimo, não prevê o pagamento desta parcela.

08/06/2015 - FORÇA CONDENADA POR TERCEIRIZAÇÃO

08/06/2015 - BOLA DENTRO

A Presidente Dilma vetou no inicio de junho uma emenda do Deputado Federal Empresário Sandro Mabel (PMDB/GO) na lei das empregadas domésticas 302/13, que tentava incluir os vigilantes no contrato de trabalho domestico.

A explicação do veto foi que essa contratação era incompatível com regras gerais do direito do trabalho e não seria condizente com as próprias atividades desempenhadas na execução do contrato de trabalho doméstico. 

O Vigilante Unido é Forte!



Exibindo 267 a 280 de 901« 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 »