• Você está em: 
  • Home
  • Notícias

08/03/2015 - SINDICATO DE VIGILANTES DÁ DICAS DE COMO EVITAR ASSALTOS E SEQUESTROS RELÂMPAGOS EM SHOPPINGS E SUPERMECADOS

Com os últimos casos de seqüestros relâmpagos em estacionamentos de shoppings e supermercados no Rio de Janeiro, a equipe da TV Record conversou com um especialista para saber como se proteger.

 

               

 

Veja toda matéria clicando no link abaixo

 

http://videos.r7.com/sequestros-relampagos-aterrorizam-estacionamentos-de-shoppings-e-supermercados/idmedia/54fa29620cf2b8cb67163d1f.html

 

06/03/2015 - SINDICATO JÁ VEM DENUNCIANDO ASSALTOS A SHOPPING

Não é de hoje que o Sindicato dos Vigilantes do Município do RJ vem denunciando que os shoppings centers são os principais alvos dos assaltantes no RJ. Somente neste ano mais de 10 assaltos foram contabilizados na lista da policia civil.

O problema é que os shoppings trocam a mão de obra especializada, por porteiros, vigias, controladores de acesso e fiscais de salão, no intuito reduzirem custos.

Com essa troca, shoppings e supermercados passam uma idéia de segurança para a população, a partir do momento e que esses profissionais usam os uniformes - terno e gravata – mas não estão habilitados a fazerem a segurança.

Somente Vigilantes podem fazer esse trabalho, uma vez que são qualificados e habilitados para tal. A diferença está na qualificação e no porte de arma. Todo vigilante em serviço trabalha armado diferente dos não qualificados (porteiros e vigias)

Além do curso de formação de vigilantes que é feito autorizado pela Policia Federal, há também cursos de renovação de 2 em 2 anos, tendo que apresentar certidão negativas e nada consta na policia. Também não podem estar respondendo inquérito criminal ou qualquer tipo de processo.

De acordo com a policia civil, em 2015 foram registrados quatro casos de seqüestro relâmpago e seis assaltos a lojas em shoppings e supermercados do RJ. 

05/03/2015 - PROFESSORES DO PARANÁ SÃO ALVO DO TJ E DO GOVERNADOR

O Tribunal de Justiça do Paraná, a pedido do Governador Beto Richa, declarou que a greve dos professores, que já dura mais de três semanas, fosse considerada ilegal.

JUSTIFICATIVA!

A justificativa do Governador e do Tribunal é que a greve está causando muito prejuízo no calendário escolar. 

E OS PROFESSORES?

O prejuízo que os professores reclamam que o Governo insiste em propor mudanças na Previdência do Estado sem apresentar nenhuma alternativa e os constantes atrasos no pagamento não contam?!


CENÁRIO SEMELHANTE ACONTECEU COM OS VIGILANTES DO RIO DE JANEIRO NA GREVE HISTÓRICA DE 2013!

03/03/2015 - VS BRASIL DÁ CALOTE NOS VIGILANTES!!!

Cerca de 30 vigilantes protestaram hoje (3/03), na porta do Ministério do Trabalho contra a falta de respeito aos trabalhadores por parte da Empresa VS Brasil. Esse desrespeito com os direitos trabalhistas não é de agora, vem desde que a empresa mudou de nome de Locanty para VS Brasil e atinge mais de 200 vigilantes.

 

 

As broncas são muitas. Dentre elas destacam-se:

 

  • Falta de pagamento desde janeiro;
  • Os vigilantes trabalham sem receber o Vale Refeição e Vale Transporte;
  • Atraso no 13º salário;
  • Pagamento de férias dois meses depois;
  • Demite por justa causa sem justificar os motivos;
  • A empresa desconta a contribuição previdenciária do trabalhador, porém não faz o depósito na Caixa,
  • A empresa demite, não homologa e não paga as verbas rescisórias.

 

A Diretoria do Sindicato e os Vigilantes que participaram da manifestação foram atendidos pelo chefe de Fiscalização do Ministério do Trabalho, Augusto de Lima, que informou a imediata fiscalização da empresa. O Sindicato solicitará em paralelo, uma mediação entre os trabalhadores e a empresa através de mesa redonda, a ser agendada.

 

Em janeiro o Sindicato enviou um oficio solicitando mesa redonda, porém nenhum representante da empresa compareceu. No dia 12 de fevereiro foi entregue ao Superintendente Regional do Trabalho, Antonio Albuquerque, o pedido de solicitação a colaboração da superintendência na garantia dos direitos dos profissionais e os salários dos empregados.

 

      

 

Os vigilantes disseram que postos da Cidade da Polícia, Base, PAM de Irajá, Detran da Ilha do Governador e de Itaguaí, Maternidade Leila Diniz, Caixa Econômica, Clinica da Família na Tijuca, são os mais prejudicados. Nestes postos estão sem receber desde Janeiro.

 

02/03/2015 - DINÂMICA E SINDICATO DE SÃO JOÃO DE MERITI SE UNEM PARA FRAUDAR HOMOLOGAÇÕES!

          

 

A Empresa Dinâmica perdeu o posto do Banco do Brasil atingindo 360 vigilantes que lá trabalham. Todos os vigilantes devem fazer suas homologações na sede do Sindicato do Município do RJ, na Rua André Cavalcante 126 Bairro de Fátima.

 

Mas não é isso o que está acontecendo! Neste sábado (28 DE FEVEREIRO) o Sindicato de São João de Meriti, presidido pelo Sr. Renê Batalha, homologou de forma fraudulenta 200 vigilantes. Nesta homologação não houve baixa na CTPS, os vigilantes não receberam o pagamento, o valor da multa foi descontado do valor do pagamento e ainda tiveram que assinar recibo do que não receberam.

 

Segundo informações, no próximo sábado dia 7 de março a empresa Dinâmica pretende realizar mais homologações fraudulentas com o Sindicato de Dão João de Meriti.

 

O Sindicato dos Vigilantes do Município do Rio de Janeiro faz um alerta para que os vigilantes da empresa Dinâmica, posto Banco do Brasil, não compareçam ao Sindicato de São João de Meriti e se dirijam ao Sindicato do Município do RJ na Rua André Cavalcante, 126.

 

A empresa Dinâmica está unida com o Sindicato de São João de Meriti para desrespeitar os direitos dos trabalhadores. A Diretoria do Sindicato dos Vigilantes do MUNICÍPIO do Rio de Janeiro já havia alertado os vigilantes através de panfletagem sobre esse perigo, e também já realizou várias denúncias contra a empresa Dinâmica e vai continuar atuando contra a empresa e o Sindicato.

 

ATENÇÃO VIGILANTES: Ligue para seu Sindicato e se informe – 3861-7050

25/02/2015 - COMUNICADO SINDVIGRIO - SÓ A UNIÃO PODE CONQUISTAR!

Hoje (25 de fevereiro) houve mais uma rodada de negociação entre os sindicatos dos trabalhadores com o SINDESP (Sindicato das Empresas de Segurança). Não houve acordo para fechamento da nova Convenção, os empresários alegam que aguardam a resposta dos Sindicatos de Vigilantes que receberam a proposta de 8% de reajuste sobre o Piso e 25% sobre o tíquete refeição.

 

Neste momento o SINDESP (Sindicato das Empresas de Segurança) mantém duas negociações, sendo oferecida duas propostas: 10% de reajuste para o grupo liderado pela Federação dos Vigilantes e os Sindicatos do Rio de Janeiro, Campos, Macaé, N. Friburgo, Volta Redonda, Nova Iguaçu, Angra dos Reis, Belford Roxo e Sindicato de Carro Forte e Escolta Armada do Interior do RJ. E outra negociação com os Sindicatos de Vigilantes de Petrópolis, de Duque de Caxias e de Niterói, que receberam a proposta de 8% sobre o Piso Salarial.

 

A Diretoria da Federação dos Vigilantes tem mantido diálogo com os Sindicatos que receberam a proposta de 8% para que não aceitem a proposta e somem forças para conquistarmos um reajuste digno para a categoria.

23/02/2015 - VIGILANTES REAFIRMAM CONFIANÇA NA DIRETORIA DO SINDICATO

A CATEGORIA reunida em Assembléia, na sede do SindVigRio, discutiu as propostas apresentadas pelos empresários que tem como alguns dos pontos principais:

  • REAJUSTE NO PISO SALARIAL DE 10% (7% DE INFLAÇÃO + 3% DE GANHO REAL) E;
  • 25% DE REAJUSTE NO TÍQUETE REFEIÇÃO

Na Assembléia foi apresentado alguns dos reajustes conquistados em outros estados do Brasil e verificou-se que o patamar de 10% de reajuste no piso é positivo, porém a categoria exige mais avanços em outras cláusulas que não apenas as econômicas.

Os vigilantes entenderam que este reajuste de 10% comparado com outros estados está em um patamar positivo: "- em São Paulo os vigilantes tiveram um reajuste de 6,33%, em Brasilia com greve dos vigilantes o reajuste foi de 7,5% e no Paraná foi de 7,69%."

Na Assembléia foi reivindicado melhores condições de trabalho para os vigilantes, em especial para os companheiros da bancária e da Escolta Armada, que estão sendo vítimas de assaltos a bancos e a cargas, alvos do crime organizado no Rio de Janeiro.

Com a Assembléia as negociações continuam e a Diretoria do Sindicato buscará mais avanços junto aos empresários na reunião do dia 25 de fevereiro.

          

 


20/02/2015 - ASSEMBLÉIA DA CATEGORIA NESTE SÁBADO DIA 21/02 ÀS 9hs! COMPAREÇA!

19/02/2015 - VIGILANTES DE ESCOLTA SOFRE ASSALTO HOJE NA L.VERMELHA

Na manha desta quinta feira (19) o carro da escolta armada da empresa Solidez foi alvejado por bandidos interessados na valiosa carga de cigarro da empresa Souza Cruz, que estavam escoltando.

Segundo informações da diretoria do SindVigRio, um vigilante foi atingindo e se encontra no hospital, do fundão, na Ilha do Governador, e devido ao armamento de grosso calibre utilizado pelos bandidos o estado dele é grave. O outro vigilante nada sofreu.

A diretoria do Sindicato está acompanhando o caso de perto dando toda força necessária à família do vigilante atingido. 

Segundo Antonio Carlos, presidente do SindvigRio, esse foi mais um caso trágico que aumenta a planilha das estatísticas. Antonio disse que o SindvigRio defende em conveção coletiva algumas reivindicações trazidas pela galera da escolta armada como:

  • Acabar com gratificação transitória se tornando função fixa
  • Não permitir descontos em batidas ou colisões.
  • Ter possibilidade de recursos de multas
  • Um tíquete de 22 reais para que o vigilante possa se alimentar nas rodovias decentemente
  • Ter a carteira de habilitação renovada pela empresa, entre outros pontos 

Antonio Carlos esclarece que outras demandas para proteção dos vigilantes de escolta como blindagem dos carros, mudança significativa no armamento, 3 homens na escolta e carros potentes são assuntos que não entram na Convenção Coletiva de Trabalho e sim em legislação e portaria da Polícia Federal que regulamenta o setor.

CONTRASP LUTA POR RESPEITO, DIGNIDADE E VALORIZAÇÃO DA CATEGORIA

Não só o pessoal de escolta como todos os vigilantes agora vêem uma luz no fim do túnel nas reivindicações a nível nacional. 

Nova Confederação Nacional dos Vigilantes, CONTRASP, luta nacionalmente para melhoria da categoria no Congresso Nacional, no Ministério da Justiça, Policia Federal e em qualquer órgão em todas as esferas pela valorização dos trabalhadores Vigilantes do Brasil. 

 

 

 

 

11/02/2015 - CONTRA PROPOSTA PATRONAL SERÁ VOTADA EM ASSEMBLÉIA

Foi apresentada dia 11 de fevereiro (Quarta-feira) a contra proposta do setor patronal aos representantes dos Sindicatos filiados à Federação dos Vigilantes do Estado do Rio de Janeiro, sendo:

 

PISO: INPC (INFLAÇÃO) + 3% DE GANHO REAL;

 

E TÍQUETE REFEIÇÃO REAJUSTE DE 25%.

 

Nova reunião foi agendada para o dia 25 de fevereiro às 10hs, para dar prosseguimento as negociações.

 

          

 

                   

10/02/2015 - A UNIÃO DE TODOS É ESSENCIAL PARA UMA BOA CAMPANHA

Alguns estados como o Rio de Janeiro estão em processo de campanha salarial e outros já o realizaram. No Rio de Janeiro o debate com os patrões já foi iniciado, uma vez que a data base da categoria é 1º de março.

 

Já foram encerradas as campanhas salariais em vários estados e concluída a nova Convenção Coletiva 2015/2016. Uma análise dessas campanhas mostra que os ganhos reais não estão muito acima da inflação. Na avaliação da Federação dos Vigilantes e do SindVigRio a luta pelo ganho real no reajuste salarial não será fácil.

 

 

Para Antonio Carlos, Presidente recém eleito do Sindicato dos Vigilantes do Município do Rio de Janeiro, as empresas de segurança tiveram um aumento de seis vezes no faturamento no período de 2002 a 2013, segundo dados da própria FENAVIST (Federação Nacional das Empresas de Segurança). Em 2002 o faturamento das empresas de segurança foi de 7 bilhões de reais, chegando em 2013 a 43 bilhões.

 

Diante deste quadro de crescimento vigoroso do faturamento das empresas de segurança não podemos admitir o discurso de crise econômica, não podemos aceitar o discurso que os empresários tentam empurrar de que o ano será difícil, mesmo porque foram 11 anos de crescimento contínuo.

 

Interessante notar que em 2008, quando estourou a crise financeira mundial e todos os empresários faziam projeções negativas para a economia, o setor da segurança também cresceu. De 2008 a 2009 foram mais de 3 bilhões de reais de aumento no faturamento.

 

Outro dado importante é o crescimento no número de empresas de segurança no país, que saíram do patamar de 1.386 empresas legalizadas em 2002 para 2.392 empresas em 2013, ou seja, um crescimento de 73% em 11 anos, quase dobrando o número de empresas.

 

Para Fernando Bandeira, diretor da Federação dos Vigilantes, esta campanha salarial tem que ser marcada por um bom reajuste no piso salarial e no valor do tíquete refeição, mas principalmente pela correção de várias cláusulas da Convenção Coletiva que são injustas e estão sacrificando o trabalhador, a exemplo dos 20% de desconto do valor do tíquete refeição, a jornada de 192 horas mensais e outras.

 

Vejam os reajustes salariais de alguns estados em 2015:

 

TO - 7,72%

 

PR - 7,69%

 

DF - 7,5%

 

CE -7,23%

 

MT - 7,0%

 

SP - 6,33%

 

 

09/02/2015 - ASSEMBLÉIA DOS VIGILANTES. CAMPNHA SALARIAL 2015. PARTICIPE!

06/02/2015 - VIGILANTES ENTREGAM PAUTA AOS EMPRESÁRIOS

Na manhã do dia 05 de fevereiro ocorreu mais uma rodada de negociações entre os Sindicatos dos Vigilantes e o Sindicato das Empresas de Segurança Privada para a nova Convenção Coletiva 2015/2016, cuja data base da categoria é 1º de Março. Foi entregue a pauta aprovada pelos trabalhadores e sindicatos filiados à Federação dos Vigilantes do Estado do RJ ao Sr. Frederico Crim e demais diretores do Sindesp.

 

Algumas das reivindicações apresentadas:

 

          Reposição integral da inflação e ganho real para a categoria;

          Tíquete de R$ 25,00;

          Jornada semanal de 44 horas;

          Plano de saúde pago pela empresa;

          Piso aos empregados do setor administrativo;

          Fim da cobrança de multas e acidentes de carro;

          Gratificação fixa para Escolta Armada; e

          Cláusulas para trabalho (off shore e On Shore - atividade petrolífera) e outras reivindicações apresentadas.

 

Haverá nova rodada de negociações dia 11 de fevereiro (quarta-feira).

 

Junto com a Federação dos Vigilantes estiveram presentes:

 

          Sindicato dos Vigilantes do Município do Rio de Janeiro;

          Sindicato dos Vigilantes de Campos;

          Sindicato dos Vigilantes de Macaé;

          Sindicato dos Vigilantes de Nova Friburgo;

          Sindicato dos Vigilantes de Belford Roxo;

          Sindicato dos Vigilantes de Nova Iguaçu;

          Sindicatos dos Vigilantes de Angra dos Reis;

          Sindicato dos Vigilantes de Volta Redonda;

          Sindicato dos Vigilantes de Carro Forte e Escolta Armada do Interior do RJ- SINDVALORES/RJ.

 

 

03/02/2015 - VIGILANTES DE BANCOS NA MIRA DE BANDIDOS

Os vigilantes da segurança privada que trabalham nos bancos sofrem diariamente com assaltos nas agências, cujos índices aumentaram muito em relação ao mesmo período do ano passado. A policia federal de acordo com a Lei 7.102/83 e a Portaria 3233 estabelece um plano de segurança para as agências bancárias, que muitas vezes não são obedecidos.

 

O diretor de Comunicação Social do SindVigRio Leandro Siqueira, disse que no Rio de Janeiro existem diversas agências bancárias que não cumprem fielmente o que determina a Portaria e a Lei. Muitos bancos trabalham com o número mínimo de vigilantes e não utilizam os equipamentos necessários para a revista pessoal, no caso, o detector de metais manual, que na visão dos gerentes deixam seus clientes em situações vexatórias.

 

       

        Leandro Siqueira, Diretor de Comunicação Social do SindVigRio

 

BANCOS CONTRIBUEM PARA A INSEGURANÇA DOS CLIENTES

 

Problemas como o funcionamento das portas giratórias permitem que clientes mais exaltados com a trava que impede a entrada de pessoas portanto metais (chaveiros, relógios, cordões, pulseiras e celulares, entre outros) entrem nas agências sem mostrar realmente o que têm nos seus bolsos, mochilas e pastas, autorizados pelos gerentes. O procedimento de revista é feito pelo vigilante, porém o gerente pode autorizar a entrada sem passar pela revista, facilitando a ação dos assaltantes.

 

No caso dos cadeirantes ou pessoas com deficiência física que utilizam muletas, o procedimento correto é abrir a porta lateral e revistá-las separadamente, com detector de metais manual. Mas nem sempre isso acontece devido a não autorização do próprio gerente.

 

SINDVIGRIO NA LUTA PELOS VIGILANTES

 

O SindVigRio informa que diante desses fatos, qualquer circunstância que ocorra nas agências, o Sindicato estará a postos com sua diretoria e presidência, à disposição dos trabalhadores para tudo que precisarem. Acompanhará com seu departamento jurídico dando o suporte necessário para todos os vigilantes do município do Rio e para os demais que atuam nos diversos sindicatos que são parceiros.



Exibindo 267 a 280 de 846« 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 »