• Você está em: 
  • Home
  • Notícias

15/05/2013 - CONSULTA PÚBLICA PELA REGULAMENTAÇÃO DA LEI 12.740/2012

O Ministério do Trabalho abriu Portaria para consulta pública pela regulamentação da lei 12.740/2012, que classifica a profissão de vigilante como perigosa. O Sindicato e a Federação dos vigilantes do RJ estão trabalhando ativamente pela regulamentação. No texto da Portaria, que segue abaixo, está disponibilizado um e-mail para os vigilantes enviarem sugestões.

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO

SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO

DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

 

Trata-se de proposta de texto para criação do Anexo III da Norma Regulamentadora n.º 16 (Atividades e Operações Perigosas) disponibilizada em Consulta Pública pela Portaria SIT n.º 367, de 18 de abril de 2013 para coleta de sugestões da sociedade, em conformidade com a Portaria MTE n.º 1.127, de 02 de outubro de 2003.

 

As sugestões podem ser encaminhadas ao Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho - DSST, até o dia 17 de junho de 2013, das seguintes formas:

 

a)    via e-mail:

normatizacao.sit@mte.gov.br 

 

b)    via correio:

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO

Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho

Coordenação-Geral de Normatização e Programas

Esplanada dos Ministérios - Bloco “F” - Anexo “B” - 1º Andar - Sala 107 - CEP 70059-900 - Brasília - DF

 

 

ANEXO III da NR-16

(Proposta de Texto)

 

ATIVIDADES E OPERAÇÕES PERIGOSAS COM EXPOSIÇÃO PERMANENTE A ROUBOS OU OUTRAS ESPÉCIES DE VIOLÊNCIA FÍSICA

 

1 - As atividades ou operações que impliquem em exposição dos profissionais de segurança patrimonial ou pessoal a risco acentuado e permanente a roubos ou outras espécies de violência física são consideradas perigosas.

 

2 - São considerados profissionais de segurança pessoal ou patrimonial os trabalhadores que atendam as seguintes condições:

 

a) capacitados pelos cursos de formação específica, extensão ou reciclagem, dentro do prazo de validade;

 

b) empregados das empresas prestadoras de atividades de segurança privada ou das empresas que possuem serviço orgânico de segurança privada, devidamente registradas e autorizadas pelo Ministério da Justiça, conforme regulamentação vigente;

 

c) aprovados em exames de saúde e de aptidão psicológica.

 

3 - As atividades ou operações de risco acentuado e permanente a roubos ou outras espécies de violência física são as constantes do quadro abaixo:

 

ATIVIDADES OU OPERAÇÕES

DESCRIÇÃO

Vigilância patrimonial

Preservação do patrimônio em estabelecimentos públicos ou privados e a incolumidade física de pessoas.

Segurança de eventos

Manutenção da ordem e da segurança em espaços comunais públicos ou privados, de uso comum do povo.

Segurança nos transportes coletivos

Segurança nos transportes coletivos terrestres destinada a manutenção da ordem.

Segurança de estabelecimentos prisionais

Gestão e operação interna de segurança de estabelecimentos prisionais.

Segurança ambiental e florestal

Policiamento da conservação de fauna e flora natural.

Transporte de valores

Execução do transporte de bens ou valores.

Escolta armada

Acompanhamento para a proteção de qualquer tipo de carga, de valores ou de pessoas.

Segurança pessoal

Guarda e preservação da integridade física de pessoas ou grupos.

 

4 - Não são consideradas atividades e operações perigosas para efeito do recebimento do adicional de periculosidade:

 

a) as atividades de ensino, exercidas com a finalidade de formar, qualificar, capacitar, especializar ou reciclar os profissionais de segurança patrimonial ou pessoal, realizadas em empresa ou escola de formação na área;

 

b) as atividades de gestão dos profissionais de segurança patrimonial ou pessoal, quando não expostos às condições perigosas;

 

c) as operações de telecontrole ou outros sistemas de monitoramento eletrônico de segurança, quando não expostos a condições perigosas e/ou quando não procedam revistas pessoais.

 

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO

PORTARIA Nº 367, DE 18 DE ABRIL DE 2013

 

Disponibiliza para consulta pública o texto técnico básico de criação do Anexo III da NR-16.

O SECRETÁRIO DE INSPEÇÃO DO TRABALHO, no uso das atribuições conferidas pelo art. 14, inciso
II, do Anexo I do Decreto n.º 5.063, de 3 de maio de 2004, e em face do disposto nos arts. 155 e 200 da
Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto n.º 5.452, de 1º de maio de 1943, e no art. 4º da
Portaria MTE n.º 1.127, de 02 de outubro de 2003, resolve:
Art. 1º Disponibilizar para consulta pública o texto técnico básico para criação do Anexo III da Norma
Regulamentadora n.º 16 (Atividades e Operações Perigosas), referente à regulamentação do inciso II do Artigo 193
da CLT, com redação dada pela Lei n.º 12.740/2012, disponivel no sitio:http://portal.mte.gov.br/legislacao/normasregulamentadoras1.htm.
Art. 2º Fixar o prazo de sessenta dias, após a publicação deste ato, para o recebimento de sugestões ao
texto, que deverão ser encaminhadas para o e-mail: normatizacao.sit@mte.gov.br ou via correio para o endereço:
MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO, Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho, Coordenação-
Geral de Normatização e Programas (Esplanada dos Ministérios - Bloco "F" - Anexo "B" - 1º Andar - Sala 107 -
CEP 70059-900 - Brasília/DF).
Art. 3º Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação.
LUIZ FELIPE BRANDÃO DE MELLO

14/05/2013 - É UM SUCESSO A FESTA DO DIA DOS VIGILANTES


O dia dos vigilantes é 13 de Maio, mas a festa foi no sábado, dia 11, na sede campestre do Sindicato. O sábado ensolarado foi aproveitado por toda a família vigilante com muito churrasco e futebol.

Inicialmente, houve um jogo amistoso entre um time de funcionários do SINDVIG-RJ e do SINTRATURB, que foi vencido por 5 X 3 pelo SINTRATURB. Depois, foi dado início a um torneio com times formados por vigilantes de diversas empresas. O time campeão foi o da empresa Protex., tendo a Dinâmica como vice e a Transvip em terceiro lugar. O goleiro menos vazado foi Francisco da Protex. Artilheiros: Edmílson (Dinâmica) e Thiago (Transvip), com 3 gols cada. Como houve empate, o troféu da artilharia foi decidido em sorteio. Então, ganhou Edmílson da Dinâmica.

                Na ocasião, foram inauguradas as piscinas infantil e de adultos.


Bandeira e Jomar entregam os troféus.
Lances da grande final.
Edmilson (Dinâmica) recebe o troféu de artilheiro.
Organizadores do evento: Vitor, Neto e Ocimar

Confira a seguir a listagem com todos os companheiros vigilantes escalados em cada equipe:

Time do SINDVIG/RIO

Carlos Roberto; Warlley G. Gonçalves; Itamar Martins Nunes de Souza; Leonardo Oliveira; Pedro Dimp; Oeliton Cruz; Silvio Marcelo Garcia Ferreira; Robson; Márcio; Sebastião Neto; Carlos José da Silva.

Time do SINTRATURB

Gerson; Lucas Reis; Fabio; Zé Carlos; André; Paulo Henrique; Maykon Melo,  Mauricio; Abraão; Danilo Santos; Diego Teixeira.

GOCIL

Adriano do Nascimento Pereira; Luiz Carlos Freitas de Araújo; Luiz Cláudio Braga Bilhão; Franclin Barbosa; José Oliveira Santos Junior; Gilson Santos da Conceição; Álvaro Coutinho; Marcos Mirange; Cláudio Santos; Marco Antonio; Assis Candido; Genilson da Costa Castro; Julio Cesar Porto Vieira; Wagner Dilhen do Nascimento

PROTEX

Wallace Felix da Silva; Hélber Flavio R. Diniz; Wilson José dos Santos; Luiz Fernando da Silva; Antonio Carlos R. De Almeida; André Matos Oliveira; Francisco Valença Santos; Daniel Ferreira Sereno; Alexandre Costa; Bruno de Athayde Sotelo; Fabio José R. da Silva; Enio Luiz Conceição da Silva; Luiz Henrique M. da Silva

GRAN RIO

Marcos Vinícius; Antonio Edson; Joaquim Barros; Marcelo Joaquim; Fernando Santos; Vinícius Bernardo; Mac Dowel, Nilson Jorge Lopes; Ricardo Félix; Fabrício Bem; Joab da Silva; Idenilson dos Santos; Cláudio Vicente; Marcelo Faustino; Flavio Francisco; Anderson Cavalcanti

TRANSVIP

David dos Santos Neto; Otoniel de Pontes Silva; Jorge Rafael Amourin Barbosa; Alexandro da Rocha Ribeiro; Cleyton Nunes de Oliveira; Tiago da Silva Pacheco Augusto; André Luiz de Araújo Teixeira; Marciel Constantino da Silva; Gustavo Rocha da Silva; Douglas Oliveira Marques; Alexandre Neves Ferreira; Marcos Vinicios Costa Rocha; Paulo Roberto da Silva Junior; Felipe de Sousa dos Santos; Zenon Martins Alves; Renan de Sousa Amaral; Marco Cunha dos Santos; Roberto Cunha Vieira Melo.

DINAMICA

Herbert Marcio Santana; Leandro da Silva Castro; Leonardo Pelegrino; Leornardo Domingos; Fábio Amorim; Edmílson Pereira; Luiz Henrique; Vinicius Santana; Antonio Carlos; Douglas Leite; Sebastião Severino; Arnaldo Souza; Eduardo Domingos; Carlos Roberto; Marcelo de Aguiar; Ricardo Cunha; Albriene de Carvalho; Anderson Ismael; João Marcelo; Luiz Felipe; Ramon Silva

 

BRAÇO FORTE

Rodrigo G. da Silva Pinto; Alexandre Nunes; David Izidoro Pacheco;  Marcelo da S. Barcellos; Luiz Carlos de Carvalho Silva; Vivaldino Pereira; Hugo Simas de Conceição; Ademar Joaquim de Oliveira; Ademir Andrade Cunha; Sérgio Luiz Vinhático; Alexandre da Costa Paraguassú; Sidney de Azevedo da Silva; Jorge Rodrigo Barbosa; Felipe Luiz; Thalis Luis; David Castro de Freita; José Antonio Barbosa; Ronald Nilo; Afonso Fricks Jordão de Matos; Luiz Antonio da Silva.

 

TRANSEGUR

Cristiano Chaves Rocha; Lauro Henrique R. de Vasconcelos; Marco Antônio da Silva Cândido; Wellington Correa dos Santos; Márcio Jacinto Vieira; Felipe Floriano Félix; Marcos Chaves Pereira; Joel da Costa; Marco Aurélio Sandes; Julio César Correa; Daniel Dias da Costa; Nazareno Martins da Rocha; Vanderlei Lopes de Freitas; Murilo da Silva Prado; Luís Cláudio Maquieiro; Bruno Nogueira Alexandre; Diego Camargo da Costa.

09/05/2013 - VIGILANTE COMEMORA SEU DIA COM FUTEBOL E MUITO CHURRASCO

O Dia do Vigilante – 13 de maio – será comemorado neste sábado (11/5) na sede campestre da categoria, em Guaratiba, com torneio de futebol e churrasco que será oferecido pelo Sindicato aos participantes.

Já garantiram presença os times das empresas Transegur, Gran Rio, Dinâmica, Transvip, Protex, Braço Forte, Gocil e Sindvalores, totalizando 160 jogadores. Haverá taças e medalhas para os três melhores colocados na competição, além de troféus para o artilheiro e goleiro menos vazado do torneio.

A programação é a seguinte: às 8:30h abertura da competição com amistoso entre a equipe do Sindicato dos Vigilantes contra o time do Sindicato dos Rodoviários. Em seguida, às 10h, começa o primeiro jogo do Torneio dos Vigilantes propriamente dito. O time da Transegur enfrenta o time da Dinâmica. O segundo jogo será o confronto entre a equipe do Sindvalores e o time da Braço Forte.

A Protex e a Gocil realizam o terceiro jogo do dia, e, a Gran Rio faz o quarto jogo contra a Transvip, definindo as quartas de final que será entre o vencedor do primeiro jogo contra o ganhador da segunda partida, mais o vitorioso do terceiro jogo contra o ganhador do quarto jogo, classificando duas equipes para as semifinais que decidirão o campeão do torneio.

A sede campestre dos vigilantes está situada na Estrada do Fragoso, 555, em Guaratiba.

 

REGULAMENTO

 

 

1-     Serão inscritos em cada time 20 jogadores.

 

2-    Dois tempos de 15 minutos cada sem intervalo, terminou vira. A grande final dois tempos de 20 minutos.

 

3-     Serão permitidas 05 substituições.

 

4-    Cartão vermelho suspende por um jogo, o amarelo assim q passar

 de fase serão zerados.

 

5-    Se permanecer empate na partida disputa de pênaltis, 3 cobranças para cada equipe, permanecendo o empate 01 cobrador alternado até desempatar.

 

6-    Se houver briga os jogadores envolvidos serão sumariamente eliminados do torneio, se a briga for generalizada as equipes também.

 

7-    O Juiz e os bandeirinhas são autoridade máxima dentro de campo.

 

8-    Qualquer desentendimento quem decidirá a questão será a Diretoria do sindicato.

 

Premiação 1º, 2º e 3º colocados Troféus mais 20 medalhas.

(Veja o mapa de como chegar ao evento nas "Notícias em destaque")

12/04/2013 - SINDICATO LEVA REIVINDICAÇÃO DE TRABALHADORES À DINÂMICA

Salários atrasados, falta de pagamento de férias, ticket-refeição e vale transporte. Problemas usuais de desrespeito aos direitos trabalhistas motivaram vigilantes da empresa Dinâmica a procurarem o Sindicato da categoria.

O vice-presidente do Sindicato, Antonio Carlos, acompanhou dois trabalhadores, que prestam serviço em postos da UERJ, durante conversa com representantes da empresa, nesta sexta-feira, 12 de Abril.

           Segundo a empresa, que é campeã em reclamações, houve 182 rescisões contratuais de janeiro para cá, muitas delas em postos de empresas públicas, como o Banco do Brasil.

            A desculpa que a empresa deu para o desrespeito ao trabalhador foi que há uma tendência de se investir em tecnologia e reduzir o homem. Disseram ainda que se preocupam com o futuro desse ramo de atividade.

            Antonio Carlos cobrou que sejam regularizados os pagamentos aos trabalhadores e a empresa garantiu que isso seria feito ainda nesta sexta-feira.

25/03/2013 - SEM GREVE VIGILANTES DO RIO FECHAM ACORDO E GARANTEM OS 30%

Vigilantes aprovam em assembléia o acordo entre os sindicatos dos trabalhadores e o sindicato das empresas. Houve um significativo avanço na Convenção Coletiva de Trabalho 2013/2014 e a garantia do pagamento dos 30% de risco de vida.

 


Vigilantes aprovam acordo em assembléia.

Na proposta os vigilantes sem precisar ir pra greve, conseguiram o complemento de 16% sobre o salário completando os 30% de Risco de Vida; reposição da inflação do período como reajuste salarial e reajuste do tíquete alimentação; inclusão da Súmula nº 444 do TST, que assegura a remuneração em dobro dos feriados trabalhados para vigilantes com a escala 12x36; Punição do empregador que atrasar o pagamento dos salários dos trabalhadores, respeitando o prazo máximo de 3 dias após o 5º dia útil previsto em lei para efetuar o pagamento. A 1ª penalidade será pago ao vigilante um adicional de 20%, aumentando mais 5% por mês de atraso chegando no máximo a 50%; O atestado médico poderá ser entregue por outra pessoa, por fax, por e-mail ou qualquer outra forma de envio; O vigilante que estiver trabalhando em duas empresas poderá escolher qual delas fará sua reciclagem; Proibição da reciclagem em fins  de semana na escala 5x2, sendo que poderá ser utilizado apenas um sábado e domingo por mês; Todas as empresas, inclusive as de vigilantes orgânicos serão obrigadas a pagar os 30% de risco de vida.

Podemos dizer que hoje o vigilante teve um aumento de 22,63% em cima do salário base da categoria além dos avanços na CCT 2013/2014. Fernando Bandeira, presidente do SINDVIGRIO, destacou ainda que a união dos sindicatos foi fundamental para os avanços e a garantia do pagamento do adicional de 30%. “Mesmo com muitas dificuldades, começamos o dialogo com o setor patronal em janeiro quando foi entregue nossa pauta de reivindicação. Por duas vezes os empresários cancelaram reuniões de negociação como também tentaram postergar ao máximo o pagamento do adicional”, disse Bandeira.

A assinatura da Convenção Coletiva de Trabalho vai ocorrer nesta segunda-feira (25) com o Sindicato Patronal. Assinado o acordo, ele será encaminhado para o Tribunal Regional do Trabalho para ser homologado. Todos os benefícios conquistados pelos vigilantes são retroativos a 1º de março.

-----------------------------------------------------------------------------------

CONVENÇÃO 1º DE MARÇO DE 2013 A FEVEREIRO DE 2014

 

Risco de Vida: 30% (R$ 296,12)

Reajuste salário: 6,77%

Reajuste Tíquete: 6,77%

Valor do Tíquete R$ 10,10

Mensalidade sindical (5% do Piso): R$ 49,35

Triênio (2% do Piso): R$ 19,74

Função

Piso

Hora

Adicional

Noturno

Dia

Hora Extra

50%

Hora Extra

100%

Vigilante

R$ 987,07

4,49

0,90

32,90

6,73

8,98

Vigilante de Escolta

R$ 1.283,17

5,83

1,17

42,77

8,75

11,66

Vigilante Motorista/Motociclista

R$ 1.185,10

5,39

1,08

39,50

8,09

10,78

Vigilante Orgânico

R$ 987,07

4,49

0,90

32,90

6,73

8,98

Vigilante Feminina/Recepcionista

R$ 987,07

4,49

0,90

32,90

6,73

8,98

Segurança Pessoal Privada

R$ 1.185,10

5,39

1,08

39,50

8,09

10,78

Supervisor de Área/ Coord. Área

R$ 1.481,40

6,73

1,35

49,38

10,10

13,46

Fiscal de Posto ou Supervisor

R$ 1.093,44

4,97

0,99

36,44

7,46

9,94

Instrutor

R$ 1.661,64

7,55

1,50

55,39

11,32

15,10

Vigilante Brigadista

R$ 987,07

4,49

0,90

32,90

6,73

8,98

Vigilante condutor de cães

R$ 987,07

4,49

0,90

32,90

6,73

8,98

Vigilante de monitoramento de aparelhos eletrônicos

R$ 987,07

4,49

0,90

32,90

6,73

8,98















22/03/2013 - "PERDEMOS UM VIGILANTE POR UM SACO DE MOEDAS"


Nesta sexta-feira, 22 de Março, um vigilante de carro forte morreu e outro ficou ferido durante tentativa de assalto ao shopping Grande Rio, na Baixada Fluminense. William Martins do Nascimento, de 38 anos, morreu na hora. Seu colega, Marcos Vinícius Valentim dos Santos, de 36 anos, se feriu levemente e foi levado para o hospital. Ambos eram da Prosegur.


Humberto Rocha, presidente do SindValores e diretor da Federação dos Vigilantes do RJ, esteve no local acompanhado dos diretores do SindValores Índio e Carlos Alberto. Rocha, como já vem fazendo há muito tempo, voltou a denunciar que os vigilantes de carro forte trabalham com armamento defasado, sem nenhuma escolta e ainda são vítimas do descaso do Estado que não oferece policiamento suficiente.

Os assaltantes, segundo contaram testemunhas, eram cinco e chegaram atirando, com armamento pesado capaz de perfurar a blindagem dos carros fortes e deixar marcas nas janelas envidraçadas do shopping. Mas não levaram quase nada, apenas um malote com moedas. No entanto, mais uma vida de um trabalhador foi perdida. “Perdemos um vigilante por um saco de moedas. E vamos perder outros pela falta de condições de segurança privada e do governo”, desabafou Rocha.

18/03/2013 - ASSEMBLÉIA PARA APROVAR PROPOSTA PATRONAL NESTA TERÇA, ÀS 10H

O Sindicato dos Vigilantes do Município do Rio de Janeiro convoca toda a categoria de sua base para assembléia dia 19/03, nesta terça-feira, as 10 h na sede do Sindicato, Rua André Cavalcanti 126, Bairro de Fátima, Centro. 

Vamos analisar e aprovar a proposta do Sindicato Patronal (Sindesp), entregue dia 15/03 a todos os sindicatos de vigilantes do estado que é a seguinte: os 30% serão pagos como risco de vida; Reposição da inflação no salário e no ticket refeição; Será cumprida a sumula 444 do TST onde na jornada de 12x36 será assegurada a remuneração em dobro dos feriados trabalhados; Punição do empregador que atrasar o pagamento dos salários dos trabalhadores, respeitando o prazo máximo de 3 dias após o 5º dia útil previsto em lei para efetuar o pagamento. 

A 1ª penalidade será paga ao vigilante um adicional de 20%, aumentando mais 5% por mês de atraso chegando no máximo a 50%; O atestado médico poderá ser entregue por outra pessoa, por fax, por e-mail ou qualquer outra forma de envio; O vigilante que estiver trabalhando em duas empresas poderá escolher qual delas fará sua reciclagem; Proibição da reciclagem em fins de semana na escala 5x2; Todas as empresas, inclusive as de vigilantes orgânicos serão obrigadas a pagar os 30% de risco de vida. 

Sendo aprovada, uma nova reunião no sindicato patronal será realizada com todos os sindicatos de trabalhadores para assinatura da Convenção Coletiva.

07/03/2013 - A MAIOR MARCHA DA CLASSE TRABALHADORA REUNIU MAIS DE 50 MIL MANIFESTANTES EM BRASÍLIA

A Nova Central Sindical de Trabalhadores, juntamente com as demais centrais sindicais (UGT, CTB, Força Sindical, CGTB e CUT) participaram, nesta quarta-feira (06/03), da 7ª Marcha da Classe Trabalhadora e Movimentos Sociais. As lideranças e delegações de todos os estados do Brasil vieram a Brasília para o grande evento que contou com engajamento de várias confederações, federações e sindicatos dos trabalhadores.


Mais de 50 mil trabalhadores se reuniram em Brasília


O objetivo da manifestação foi ampliar as negociações com o governo federal, o cumprimento das históricas reivindicações da classe trabalhadora, seguindo com as bandeiras de lutas: o fim do fator previdenciário, a regulamentação da Convenção 151 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), a instituição da jornada de trabalho de 40 horas, a ratificação da Convenção 158 da OIT - que inibe a demissão imotivada, o investimento de 10% do PIB na educação, a valorização dos trabalhadores aposentados e pensionistas, entre outras reivindicações.

O movimento chamado de “Marcha da Classe Trabalhadora por Desenvolvimento, Cidadania e Valorização do Trabalho”, destacou-se por ser um manifesto em defesa de uma agenda unitária das centrais sindicais que fortalecerá a luta dos trabalhadores. “A marcha unificada das centrais marca a unidade dos movimentos sociais em defesa da soberania nacional e do Brasil. Queremos que nossa presidente Dilma, receba nossa pauta de reivindicações, diante deste colorido que desfila em Brasília e que mostra essa integração nacional da classe trabalhadora”, declara o presidente da Nova Central, José Calixto Ramos.

VIGILANTES PROTESTAM PELO PAGAMENTO DA PERICULOSIDADE

Trabalhadores e dirigentes sindicais foram a Brasília com faixas e cartazes exigindo que os empresários cumpram a Lei 12.740/12, que dispões sobre os 30% de adicional de periculosidade. 


Com faixas e bandeiras vigilantes tomam a Esplanada dos Ministérios


A Federação do Rio e todos os sindicatos do RJ, entendem que o pagamento dos 30% de periculosidade deve ser imediato, conforme prevê o artigo 2º da lei 12.740: “Esta lei entra em vigor na data da sua publicação”, ou seja, está valendo desde 10 de dezembro quando foi publicada no Diário Oficial da União.

Fernando Bandeira, presidente do Sindicato dos Vigilantes, disse que neste momento a mobilização de rua é fundamental para que possamos avançar na nossa convenção coletiva e o pagamento do adicional de periculosidade, sancionado pela presidenta Dilma, desde dezembro de 2012.


Dirigentes sindicais unidos em Brasília na Marcha dos Trabalhadores

04/03/2013 - LITIGÂNCIA DE MÁ FÉ POR PARTE DO SINDICATO PATRONAL ATRASA NEGOCIAÇÃO



Na ultima quinta feira (28) houve uma reunião de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho - TRT entre os sindicatos dos trabalhadores e o sindicato das empresas de vigilância para tratar da campanha salarial e avanços na Convenção Coletiva de Trabalho. Não houve consenso e o Desembargador viu como litigância de má fé o ajuizamento de dissídio de greve pelo sindicato patronal, no dia em que os trabalhadores fizeram o dia Nacional de Luta pelo adicional de periculosidade em 1º de fevereiro. “O que houve foram manifestações localizadas e não greve. Os empresários estão usando deste expediente para postergar ao máximo o cumprimento da lei”. Explica Fernando Bandeira, presidente do SINDVIGRIO. A Federação dos Vigilantes aguarda o resultado da ação contra a liminar que instaurou o dissídio de greve pelo sindicato patronal.  

LIDERANÇAS SINDICAIS DEBATERAM CENÁRIO NACIONAL DOS 30% EM SÃO PAULO


Líderança sindical do RJ participa da plenária em São Paulo

Nesta sexta feira (1º) presidente dos sindicatos do RJ foram a São Paulo debater com outras lideranças sindicais avaliar o cenário nacional da aplicação da periculosidade e intensificar o movimento nacional como um todo. Em 12 Estados os vigilantes patrimoniais estão recebendo e 17 estados os vigilantes de transporte de valores também já conseguiram que os empresários cumpram a lei da periculosidade.

Ficou decidido que os estados que já conseguiram o adicional, irão se juntar aos estados que ainda não conseguiram no intuito de fortalecer toda a categoria vigilante do País. O Movimento dos trabalhadores, agora mais do que nunca terá que mostrar sua força nas ruas e mobilização com os trabalhadores.

Estamos construindo uma greve em todo estado do Rio de Janeiro assim como os outros estados que passam por uma realidade diferente dos demais. Conclui Antonio Carlos, vice presidente do SINDVIGRIO.

 


-------------------------------------------------------------------------------------------

Pauta da categoria: Diminuição do valor do desconto do tíquete refeição de 20% para 5%; unificação das escalas de trabalho 12x36, fim da jornada de 192 horas mensais, passando para 44 horas semanais; plano de saúde para titulares e dependentes; entre outras cláusulas de alcance social. Também foi incluída na pauta a exigência do pagamento imediato do adicional de 30% de periculosidade, fora mais 6% do risco de vida agora em março, garantido parceladamente em convenções anteriores, totalizando 20% neste ano de 2013.

22/02/2013 - ASSEMBLEIA DOS TRABALHADORES APROVAM PAUTA

Na manha desta sexta feira (22) vigilantes se reuniram em assembléia as 7 hs na Candelária que tinha como pauta discutir a Campanha Salarial Unificada e a implementação do  pagamento dos 30% de periculosidade.



Além do reajuste de 10% − incluindo a reposição da inflação − foram debatidas modificações nas cláusulas sociais como: diminuição do valor do desconto do tíquete refeição de 20% para 5%; unificação das escalas de trabalho 12x36, fim da jornada de 192 horas mensais, passando para 44 horas semanais; plano de saúde para titulares e dependentes; entre outras cláusulas de alcance social. Também foi incluída na pauta a exigência do pagamento imediato do adicional de 30% de periculosidade, fora mais 6% do risco de vida agora em março, garantido parceladamente em convenções anteriores, totalizando 20% neste ano de 2013.



PATRÕES CANCELAM DA MESA REDONDA NO MTE


Representantes sindicais da categoria revoltam-se ao saber da ausência do sindicato patronal

Marcada para hoje (22) às 10:00 no Ministério do Trabalho e Emprego – MTE a mesa redonda a fim de avançar nas negociações entre trabalhadores e empresários, o setor patronal pediu cancelamento por conta da instalação do dissídio coletivo e da liminar contra a greve da categoria que não ocorreu no dia 1º de fevereiro (Dia Nacional de luta pelos 30% de periculosidade).

O Sindicato patronal utilizou-se de mentiras e má fé para fazer o juiz acreditar que a categoria estava em greve. “A paralisação Nacional que ocorreu no dia 1º de fevereiro foi utilizada pelo setor patronal como início de uma greve que nunca existiu”. Informa Fernando Bandeira, presidente do SINDVIG.


Representantes dos trabalhadores registram ausência do sindicato patronal

A Federação e os Sindicatos dos Vigilantes entraram com recurso contra a liminar e a instalação do dissídio, pois o sindicato patronal cancelou por duas vezes a rodada de negociação com os trabalhadores. Antonio Carlos, vice presidente do SINDVIG informou que somente fora apresentada a pauta reivindicatória da categoria.

No dia 1º de Março haverá uma reunião em São Paulo com todos os sindicatos, federações e a Confederação para tratar da luta pela implementação dos 30% de periculosidade.  

20/02/2013 - VIGILANTES COM TREINAMENTOS PARA GRANDES EVENTOS

.

19/02/2013 - ASSEMBLÉIA GERAL! VIGILANTES, COMPAREÇAM!

.

05/02/2013 - TRÊS NOMES, UMA ÚNICA EMPRESA, OS MESMOS PROBLEMAS TRABALHISTAS


Seja se chamando Mello Camargo, Locanty ou VS Brasil (como é atualmente) a mesma empresa não se cansa de desrespeitar os trabalhadores. Muda de nome para escapar às inúmeras denúncias de irregularidades, mas não muda as práticas. Dezenas de vigilantes vêm sendo lesados em seus direitos. Dois deles, Albert e Rogério, procuraram o SINDVIG e dizem que outros farão o mesmo.

Albert entrou para a empresa em 1º de Março de 2010, quando ainda era Mello Camargo, e até hoje ele tem a carteira assinada com esse antigo nome:

“Trabalhei desde o dia que entrei até dezembro de 2011 sem receber ticket refeição – o visa vale – que é lei. Eles davam uma cesta básica, mais ou menos no valor de 40 reais, mas não pagavam o vale. Depois fui para o prédio da Locanty em Caxias, depois fui transferido para Belford Roxo. Lá eu passei a receber o visa vale e passei a ser líder de turno, mas passei o ano todo de 2011 sem receber a gratificação que a empresa dava para os outros líderes. Além disso, eu trabalhava 12 horas de segunda à sexta e eles não pagavam corretamente essas horas. Por fim, em novembro de 2012, tirei férias e até hoje eles não depositaram pelo tempo que fiquei em casa. Para não dizer que não recebi nada, recebi só o 13º e o pagamento de dezembro só veio no dia 25, porque fui trabalhar nos Correios e, como estávamos reclamando muito, acho que os Correios exigiram o pagamento. Minha intenção, ao fazer essa denúncia ao Sindicato, é receber os atrasados na Justiça.”, declarou Albert.

Já Rogério conta ter problemas semelhantes e acrescenta ter sido tratado de forma injusta ao ter que pedir licença por se acidentar:

“Entrei na firma dia 1º de Maio de 2011, já era Locanty, fui direto para a base em Caxias. Pagamento sempre atrasado. Sempre pagavam do dia 15 ou 20 em diante. Vale transporte nunca pagaram corretamente. Várias vezes fomos trabalhar tirando dinheiro do bolso. Também não tínhamos horário de almoço. Tive que trabalhar nas férias, a pedido da gerente. Colocaram no contracheque o pagamento das férias, mas eles não me pagaram. Um dia, falaram que o posto da Locanty ia acabar, o dono falou que ia fechar tudo lá. Depois disseram que ia voltar todo mundo para a base. E voltei. Trabalhei um mês no posto dos Correios. Tive um acidente na perna e o supervisor me liberou para ir ao médico. Depois de três dias de atestado médico, numa sexta, dia da minha folga, o supervisor falou que eu não compareci na base. E eu com o atestado na mão... Fui colocado na base de reserva. Achei uma injustiça.”, queixou-se Rogério.

Antonio Carlos, vice-presidente do SINDVIG, recebeu os dois na sede do Sindicato e garantiu que todas as providências legais estão sendo tomadas para garantir os direitos dos vigilantes lesados.

01/02/2013 - CENTRO DO RIO - VIGILANTES PROTESTAM PELOS 30% DE PERICULOSIDADE

 

Os vigilantes e profissionais de segurança do Rio realizaram manifestação hoje no Centro da cidade pelo cumprimento da Lei 12.740/12 que concede 30% de adicional de periculosidade aos trabalhadores da segurança privada. A lei foi sancionada pela presidente Dilma em dezembro. O ato fez parte do Dia Nacional de Lutas, ocorrido nas principais capitais do país, pelo cumprimento do adicional que os vigilantes têm direito, mas os patrões vêm protelando o pagamento, alegando que a lei precisa ser regulamentada. De Norte a Sul do estado, passando pela Baixada Fluminense, Região Serrana e Niterói, os sindicatos promoveram manifestações em suas bases territoriais.

 

No Rio, os vigilantes se concentraram na Candelária desde as 7h e as 10h, saíram em passeata pela Av. Rio Branco, com o apoio da Polícia Militar. Mais de 150 vigilantes atenderam à convocação do Sindicato e da Federação da categoria. O Sindicato dos Trabalhadores em Carro Forte do Interior também se juntou ao protesto em apoio aos vigilantes patrimoniais. A manifestação terminou em frente ao prédio da Justiça do Trabalho, onde vários trabalhadores e sindicalistas fizeram uso da palavra.

Para o presidente do Sindicato e da Federação do Rio, Fernando Bandeira, é importante a união dos companheiros para pressionar os donos das empresas a pagarem os 30% de periculosidade já, independente da regulamentação a cargo do Ministério do Trabalho. “Uma coisa não tem nada haver com a outra. A lei é clara! Entra em vigor na data da sua publicação. E esse pagamento tem que ser retroativo, a partir de dezembro quando a lei foi sancionada pela presidente”.

 

O diretor do SindVigRio, Jomar Firmino, disse que o vigilante é uma profissão de risco, muitas vezes tem que enfrentar bandidos ou pessoas violentas para proteger o patrimônio de terceiros e banqueiros, que a cada dia estão mais ricos enquanto os trabalhadores, cada dia mais pobres, tendo ainda que lutar para receber um adicional que já está em vigor. A Federação não vai abrir mão desse direito e vamos às últimas conseqüências para receber os nossos 30% que está valendo desde dezembro.”

Já o vice-presidente do SindVigRio, Antônio Carlos, garantiu que o sindicato não medirá esforços e continuará cobrando o pagamento retroativo dos 30% de periculosidade, até que os patrões efetuem o pagamento devido. Ele acrescentou que o Sindicato está preparando ações na Justiça contra as empresas que estão desrespeitando a aplicação da Lei 12.740/12, e que esse crime contra os trabalhadores, está sendo denunciado ao Ministério Público do Trabalho e ao próprio Ministério do Trabalho.

 

 

 

 



Exibindo 267 a 280 de 611« 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 »