• Você está em: 
  • Home
  • Notícias

29/05/2015 - SEM SEGURANÇA FIXA, ESTAÇÕES DO BRT ATRAEM BANDIDOS E USUÁRIOS DE DROGAS

Sensação de medo permanece entre funcionários e passageiros

 

GUSTAVO RIBEIRO

Rio - No dia 13 de fevereiro, um bandido armado assaltou a bilheteria da Estação Guiomar Novaes do BRT Transoeste, no Recreio. O local voltou a ser alvo de criminosos quatro dias depois, e, pela terceira vez, em 22 de março. O DIA esteve na estação na tarde de sábado e constatou que a sensação de medo permanece entre funcionários e passageiros. Não havia um segurança ou policial próximo para contar história.

Assim como em outras estações visitadas anteontem pela reportagem, o controlador de acesso — responsável por liberar as gratuidades nas roletas — era o único “vigia” do local, mesmo não tendo treinamento para atuar como segurança. Os funcionários dizem que policiais militares de folga, contratados pelo Proeis (Programa Estadual de Integração na Segurança), passam às vezes pelas estações, mas a presença deles não seria regular.

“A quantidade de policiais fardados nas estações diminuiu bastante depois que a PM reforçou o policiamento em comunidades pacificadas e retirou do BRT esses policiais”, contou um motorista, que não quis se identificar.

Quem tenta tomar um ônibus no Terminal Fundão à noite também se expõe ao risco de assaltos. Sem seguranças, o local teve dez refletores furtados no dia 25 de março, que ainda não foram repostos. No dia 29 do mesmo mês, o ladrão voltou para roubar outros refletores e só foi preso porque funcionários conseguiram imobilizá-lo até a chegada da polícia.

“Fomos ameaçados pelo bandido. Estamos constantemente expostos, ainda mais agora que a estação está um breu”, reclamou um funcionário. A Estação Maré, onde relatos dão conta de que a presença de bandidos armados e usuários de drogas é frequente, também estava sem policiamento. Três homens — não se sabe se eram menores — foram flagrados adotando uma estratégia ousada para embarcar sem pagar. Eles já sabiam onde fica um sensor na parte externa da estação e acionaram o dispositivo para abrir a porta. Acuados, os funcionários não puderam impedir.

Como O DIA publicou, 52 crimes de naturezas diversas, entre assaltos a passageiros e bilheterias, incêndios, depredações, agressões e ameaças contra funcionários, foram registrados pelo Consórcio BRT de janeiro até 20 de abril. No mesmo período do ano passado, foram 21 casos (aumento de 147%).

O Terminal Alvorada foi o local com mais episódios: 28 nos dois anos. Perguntado sobre a presença de seguranças, um controlador de acesso disse que eles não existem. Apenas um PM foi visto na porta do terminal na tarde de sábado. O Centro de Controle Operacional, no entanto, estava protegido por dois seguranças armados.

“Só há policiais na hora do rush para controlar filas em algumas estações. Depois, eles vão embora”, relatou a passageira Luciana Pereira da Silva, 32, que disse já ter presenciado uma tentativa de sequestro a um ônibus no BRT Transoeste.

PMs fazem rondas, diz consórcio

O DIA perguntou ao consórcio como os passageiros poderiam identificar os seguranças em situações de emergência. A empresa informou que a segurança é realizada por PMs do Proeis. Eles não ficam parados nas estações.

“O efetivo circula pelos corredores e conta com o apoio do policiamento regular feito pela Polícia Militar nos bairros cortados pelo BRT. Além disso, as imagens de nossas câmeras podem ser vistas do Centro de Operações da Prefeitura, e a Guarda Municipal mantém um representante em nosso Centro de Controle Operacional, o que contribui no pronto acionamento das autoridades”, disse a empresa em nota.

O consórcio apontou que a existência de câmeras nos ônibus e estações reforça a segurança e que funcionários do CCO acionam em tempo real os PMs do Proeis para as ocorrências relatadas.

Secretaria diz que empresa é a responsável

Questionada se o BRT deveria ter seguranças, a exemplo do metrô, trens e barcas, a Secretaria Municipal de Transportes informou: “Cabe ao consórcio a manutenção operacional do sistema. O concessionário, por sua vez, informa que a segurança é feita por PMs do Proeis”. O BRT argumentou que “o número de ocorrências precisa ser ponderado com a base de passageiros transportados” e que o sistema é mais seguro que ônibus convencionais.

O número de policiais não foi informado. A Polícia Militar afirmou que a estratégia de policiamento é definida com o consórcio, bem como o efetivo e os planos de reforço.

29/05/2015 - ISP APONTA AUMENTO DE QUASE 35% NO NÚMERO DE ROUBO DE CARGAS NO RJ

 

Assaltos na região das favelas da Pedreira e do Chapadão se destacam.

Três morreram e 4 se feriram em tiroteio em Costa Barros nesta segunda.

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2015/05/isp-aponta-aumento-de-mais-de-30-no-numero-de-roubo-de-cargas-no-rj.html

O número de roubos de cargas vem aumentando no estado do Rio de Janeiro. Em mais um caso, registrado nesta segunda-feira (25), os bandidos que roubavam um caminhão foram surpreendidos por traficantes do Complexo do Chapadão, em Costa Barros, Zona Norte da capital, dando início a um intenso tiroteio. Três pessoas que passavam no local foram mortas e outras quatro ficaram feridas. Quem trabalha com o transporte de cargas, convive com o medo e a insegurança.

 

 

Dados do Instituto de Segurança Pública (ISP) do estado aumentam o medo de quem faz o transporte de cargas na região das favelas da Pedreira e do Chapadão. O número de roubos de cargas subiu quase 35% (34,9%) nos quatro primeiros meses deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado. A Delegacia de Roubos de Carga informou que já existem sete inquéritos para identificar os autores desse tipo de crime.

 

“É muito terror. A gente não sabe se volta pra casa, entendeu?”, desabafou um caminhoneiro.

 

Na última sexta-feira, caminhoneiros fizeram manifestação em frente à Refinaria de Duque de Caxias (Reduc), na Baixada Fluminense, pedindo mais segurança.

 

Terror em Costa Barros

 

 

Três mortos e quatro feridos foi o saldo de vítimas da disputa pela carga de um caminhão roubado nesta segunda-feira. Criminosos do Complexo da Pedreira roubaram um caminhão de bebidas na Avenida Brasil. Na fuga, quando passavam perto do Morro do Chapadão, o motor parou de funcionar por causa do sistema de rastreamento. Os assaltantes foram atacados por traficantes da comunidade, dando início ao confronto.

 

Adriano de Araújo, de 26 anos, que estava em um carro, Fabrício Almeida da Silva, de 17 anos, que estava em uma moto, e Wellington Pimentel de Azeredo, de 42 anos, que dirigia uma betoneira, foram atingidos por balas perdidas e morreram. Outras quatro pessoas foram baleadas e socorridas com vida. Todos estavam no meio do fogo cruzado.

 

A polícia acredita que os três mortos no ataque são inocentes. Agora, os investigadores da Divisão de Homicídios querem saber que tipo de munição atingiu as vítimas e de onde partiram os tiros. Os agentes tentam encontrar testemunhas e imagens de câmeras de segurança da região que possam auxiliar a esclarecer melhor o ocorrido.

 

 

As quatro pessoas baleadas no assalto internadas. Mateus Silva dos Santos, de 20, está no Hospital Albert Schweitzer. Segundo a polícia, ele está em liberdade condicional e responde por roubo. A mãe dele diz que o rapaz vive de vender balas. Aroldo do Nascimento, de 52 anos, está no Hospital Miguel Couto. Cristiano Figueroa está no Hospital Salgado Filho e Márcio Alex Olímpio dos Reis, de 42 anos, recebeu atendimento na UPA com fratura na perna.

 

A Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas informou que as quadrilhas que agem na região do Chapadão já foram identificadas e seis chefes presos. A corporação destacou ainda que as operações continuam nas áreas onde há registros de roubos de cargas.

28/05/2015 - SENADO APROVA PROPOSTA QUE MEXE COM AS REGRAS DA APOSENTADORIA

Senadores aprovaram medida provisória do ajuste fiscal que dificulta o acesso à pensão por morte e que acaba com o fator previdenciário.

O Senado aprovou a medida provisória que dificulta o acesso à pensão por morte. Esse mesmo projeto mexe com a regra que hoje obriga o trabalhador a ficar mais tempo na ativa para ter aposentadoria integral.


Pela nova regra aprovada por deputados e senadores, homens terão direito à aposentadoria integral quando a soma do tempo de contribuição e a idade der 95. No caso das mulheres, a conta tem que dar 85, sendo 30 anos o tempo mínimo de contribuição.

A presidente Dilma deve vetar o fim do fator previdenciário e abrir um debate sobre uma alternativa para substituí-lo.

A expectativa de todos nós congressistas é de que esse veto, se houver, possa ser derrubado.

O Senado ainda precisa votar a medida provisória que prevê aumento de imposto. É mais uma medida impopular, porque aumenta os impostos sobre os produtos importados. Os senadores mais uma vez terão que votar uma medida sem nenhuma alteração, do jeito que veio da Câmara dos Deputados, inclusive com autorização para que seja construído um anexo com gabinetes mais luxuosos para os deputados, com lojas comerciais que poderiam ser exploradas pela iniciativa privada, o chamado Parla Shopping, o shopping do Parlamento.

27/05/2015 - VIGILANTES DA RIO TRILHOS, SECRETARIA DE TRANSPORTES E BONDINHO DE SANTA TERESA ESTÃO PARADOS POR FALTA DE PAGAMENTOS

 EMPRESA SERVO (INSS) PREVISÃO DE PAGAMENTO HOJE !



26/05/2015 - SECRETARIA DE TRANSPORTES E INSS PODEM FICAR SEM SEGURANÇA NESTA QUARTA-FEIRA, DIA 27


 

Os vigilantes da empresa HBS que prestam serviço à secretaria estadual de Transportes e Rio Trilhos, estão sem receber os salários de abril e sem o reajuste salarial de 9%, concedido em março à categoria. A falta de pagamento atingiu 30 vigilantes que prestam serviços ao Bondinho de Santa Teresa, sede da secretaria de Transportes, em Copacabana, e depósitos da secretaria em vários bairros. O auxílio refeição e o vale transporte também não têm sido entregues aos trabalhadores.

Já os vigilantes da empresa Servo que trabalham no INSS também não receberam os salários de abril, bem como o tíquete refeição e o vale transporte. A Servo é uma das empresas que presta serviço ao Ministério do Trabalho.

O SindVigRio aguarda que os salários atrasados com o devido reajuste sejam pagos até o fim do expediente bancário de hoje. Caso o pagamento não seja depositado na conta dos vigilantes, haverá paralisação na segurança do INSS e na sede da secretaria estadual de Transportes, em Copacabana.

 

 

25/05/2015 - SINDICATO APRESENTA DATAS PARA HOMOLOGAÇÕES DOS VIGILANTES DA FACILITY

Ficou acertado na reunião entre o Sindicato e o representante da Empresa Facility que os vigilantes demitidos que ainda não foram homologados, começarão na semana que vem dias 02, 03, 05, 08 e 09 de junho. Serão homologados 50 vigilantes por dia.

Esta medida foi emergencial para poder liberar a chave de conectividade da Caixa Econômica para sacar o fundo de garantia e dar entrada no benefício do seguro desemprego. A homologação será com ressalva no pagamento pois a empresa disse que não tem condições de pagar a multa de 40% da rescisão contratual.

É importante que os vigilantes tragam carteira de trabalho, identidade com foto e exame demissional.  

Vigilantes que trabalham no Município do Rio de Janeiro: Caso o seu nome não esteja na lista favor ligar para o sindicato e informar no 3861-7050.

VIGILANTES DA FACILITY. FIQUEM ATENTOS NA DATA.

CONFIRA ABAIXO A LISTA. 

02/06 – 08:30


ADEMAR SOARES DE ALMEIDA JUNIOR


ADILSON PINTO NOGUEIRA


ADILSON SOARES LOPES


ADJANE GOMES BORGES


ADRIANA DE OLIVEIRA BORGES


ADRIANO SANTOS DA SILVA


ADRIANO VILARINO SOARES


AGUINALDO SILVEIRA DE OLIVEIRA


ALAN KARDEC DA CRUZ TOLEDO


ALAN SILVESTRE FARIA


ALESSANDRO MARINS ALVES


ALEX DE MOURA PIMENTA


ALEX SANDRO MARTINEZ RIBEIRO


ALEX SANDRO PAULO DA COSTA


ALEXANDRE MARCELO DE OLIVEIRA


ALEXSANDER ALVES DE OLIVEIRA


ALFREDO CARNEIRO DE LIMA


ALLAN DOS SANTOS DA SILVA


ALMIR GONCALVES BENEDITO


ALUISIO DOS SANTOS ALVES


AMAURI FRANCISCO MOREIRA


ANA CAROLINA BAPTISTA DE OLIVEIRA PACHECO


ANA RAQUEL DINIZ GONCALVES


ANDERSON DA SILVA TERRA


ANDRE LUIS CAVALCANTE SANTOS


02/06 – 14:00


ANDRE LUIZ DA SILVA BARBOSA


ANDRE MENEZES DE CARVALHO


ANDRE WILSON SILVA DOS REIS


ANDREIA SILVA DOS REIS


ANGELO MARCIO OTTOLINI JUSTO


ANTONIO CARLOS DA SILVA LICINIO LINS


ANTONIO MARCOS GONCALVES CACHOEIRA


ARY DA SILVA


ATILA DE ARAUJO SOUZA


AUGUSTO CESAR DA CRUZ MIQUELINE


BRUNO JOSE DE SA VIEIRA


CALEBE DOS SANTOS ANDRADE


CARLOS ANDRE CHAVES MARQUES


CARLOS AUGUSTO VIEIRA DE MELLO


CARLOS CESAR SANTOS ALVES


CARLOS DE SOUZA ALMEIDA


CARLOS EDUARDO TEIXEIRA LEOPOLDINO


CARLOS JOSE ALVES


CARLOS JOSE PESSANHA


CARLOS QUERINO DA SILVA


CARLOS RENAN BATISTA


CHARLES FERREIRA DE OLIVEIRA


CINARA MARIANA DE OLIVEIRA


CLAUDIA CRISTIANA DE JESUS


CLAUDIO MARCIO DE ARAUJO BEZERRA


03/06 – 08:30


CLAUDIO RODRIGUES DA CONCEICAO


CLAYTON MARINHO DOS SANTOS


CLERIO FERREIRA


DANIEL ARRUDA DA SILVA


DANIEL GOUVEIA SANTANA


DANIEL RODRIGUES MARTINS


DARILSON GOMES DE SOUZA


DARIO MONIZ GUERREIRO


DAVID DE AZEVEDO


DEBORA MENDES DE OLIVEIRA


DIOGO SIQUEIRA APOLINARIO


DOUGLAS PONTES PEREIRA


EDIVALDO ALVES DE ALMEIDA


EDMAR XAVIER MACHADO


EDSON MIRANDA SANTOS


EDUARDO RIBEIRO DE MESQUITA


EDUARDO RODRIGUES CHAVES


EDUARDO SOUZA DE OLIVEIRA RAMOS


EDVALDO DE SOUZA


ELENILSON AQUINO DE ARAUJO


ELENILTON FALCAO THOME


ELI NOVAIS DE OLIVEIRA


ELIANE DA CONCEICAO GOVEIA


ELIANE PESSANHA PIRES


ELIEZER BARBOSA SOARES DA SILVA


02/06 – 14:00


ELIZEU DOS SANTOS


ELLEN DE ASSIS TEIXEIRA


ELTON CARLOS DE MENDONCA ROSA


EMERSON FERNANDES DE MELLO


ERICA MARIA BARRETO LINS


EROS VIEIRA DE LIMA


EVANDRO FRANCISCO DE PAULA


EVERSON GEORGE DE SOUZA


EVERTON ROBERTO DE MATTOS SILVA


FABIANA PEREIRA DE LIMA


FABIO ANDERSON ALVES SOUZA


FABIO DE OLIVEIRA LIMA


FABIO FERREIRA DE SA


FELIPE CESAR COSTA DE LIMA


FERNANDO ALVES GUEDES DA SILVA


FERNANDO AMBIRES AGUIAR


FERNANDO DE SOUZA BASILIO


FERNANDO MARIANO DA SILVA


FLAVIO LIRA DE VERA


FLAVIO ROBERTO DE LIMA


FRANCISCO CARLOS MACEDO OLIVEIRA


GEILSON DA SILVA CHAGAS


GEIZIANE DO NASCIMENTO FERREIRA


GEYSON MARINS PECANHA


HARLEI LEANDRO ALMEIDA DA SILVA


05/06 – 08:30


HELENO DA SILVA MATHEUS


HELENO SANTOS DE MACEDO


HELIO DE SOUZA COSTA


HELIO GOMES DA COSTA


ISAQUE DA COSTA FRANCA


IVANILDO NOGUEIRA DA SILVA


JAILSON GALVAO BITTENCOURT


JAIR RAMOS FERREIRA


JANAILSON LIMA GONCALVES


JANAINA DIAS GOMES


JARDES DA SILVA


JERONIMO DE SOUZA FRANCISCO


JOAO BATISTA DE SA LEITE


JOAO PAULO DA SILVA PAULA


JOAO VITOR GOMES DO CARMO


JORGE ANTONIO SANTOS DE OLIVEIRA


JORGE LUIS MAIA DE OLIVEIRA


JORGE LUIZ ANTONIO


JORGE MONTEIRO RODRIGUES


JOSE CARLOS PIRES


JOSE EUZEBIO DE GOUVEA


JOSE VANDERLEI DA SILVA


JOSIAS BARBOZA DA SILVA


JOSUE ROBSON DE SOUZA GASPAR


JUANICE CONCEICAO CARLOS


05/06 – 14:00


KATIA CILENE DA SILVA ROCHA


LAERCIO DA SILVA


LAERTE CAVALCANTI DE OLIVEIRA


LEANDRO COUTINHO SARDINHA


LEANDRO DA SILVA SANTOS


LEANDRO GONZAGA MACHADO


LEANDRO MENDES ALVES


LEANDRO SANTOS DA SILVA


LEONARDO BRAGANCA SIQUEIRA MACHADO


LEONARDO PACIFICO DO VALLE


LEONARDO TAVARES VIEIRA


LEONIDAS NOGUEIRA DE ASSIS


LINDOMAR MARINHO FERNANDES


LUCIANO DA SILVA CUNHA


LUCICLEI DE SOUZA SOARES


LUCIO DOS SANTOS NUNES


LUDIANY SANTOS DE OLIVEIRA


LUIS AFONSO DE FARIAS MAURICIO


LUIZ CARLOS ALVES DE SOUZA


LUIZ CARLOS NASCENTES DE OLIVEIRA


LUIZ CLAUDIO COSTA


LUIZ CLAUDIO MAIA DE CASTRO


LUIZ CLAUDIO TELES FREITAS


LUIZ FERNANDO GOMES DE CARVALHO


LUIZ FONTES DE OLIVEIRA


08/06 – 08:30



LUIZ GONCALVES MOREIRA


LUIZ GUSTAVO DE SOUZA GOMES


LUIZ JOSE APARECIDO DOS SANTOS


LUIZ PAULO LOPES DE SOUZA


LUIZ STENI SI XAVIER DOS SANTOS


MARCELO DA SILVA CAVALCANTI


MARCELO DA SILVA COSTA


MARCELO DE SOUZA


MARCELO DIAS DOS SANTOS


MARCELO DOS SANTOS MORAIS


MARCELO FERREIRA DOS SANTOS


MARCELO LOPES DA SILVA


MARCELO LUIZ GOMES DOS REIS


MARCELO MOREIRA DA SILVA JUNIOR


MARCELO SANTOS RODRIGUES


MARCIA MEIRELLES DA SILVA


MARCIA REGINA LOURENCO DA SILVA


MARCIO ANDRE NOBRE


MARCIO ANTONIO SANTOS DE OLIVEIRA


MARCIO RODRIGUES ALMEIDA


MARCO AURELIO SANTOS DO CARMO


MARCOS ALVES DE OLIVEIRA


MARCOS ANTONIO DE CASTRO RODRIGUES


MARCOS ANTONIO LUIZ


MARCOS ANTONIO PEREIRA PINTO


08/06 – 14:00


MARCOS EDUARDO CORREA DE BARCELOS


MARCOS JOSE VIEIRA NUNES


MARCOS VINICIUS ALVES DIAS


MARCUS VINICIUS AQUINO DE OLIVEIRA


MARIA CLARA ARAUJO FERNANDES


MARIA LUZINETE DOS SANTOS SILVA


MARIA RITA BAPTISTA GOMES


MAURICIO ANTONIO LOPES


MAURO VINICIUS PINHEIRO NOGUEIRA


MICHAEL LEAL DE SOUZA


MOISES GOMES VIEIRA


NAELSON DA SILVA APOLINARIO


NARCISO DA CONCEICAO JUNIOR


NATALIA MORAES


NATHALIA ROCHA SOARES DA SILVA


NILSON LEITE DOMINGOS


ODAIR DOS REIS


ORLANDO HENRIQUE MARTINS


OTAVIO CHALEGRE CACERES


PATRICIA DE OLIVEIRA LIMA NUNES


PAULO BARBOSA PEREIRA


PAULO CEZAR DE OLIVEIRA


PAULO RICARDO RODRIGUES PEREIRA


PAULO ROBERTO VIEGAS FILHO


PAULO VITOR PAIVA MESQUITA


09/06 – 08:30


PEDRO PAULO PACHECO FERREIRA


RAFAEL ANTONIO DE MAGALHAES


RAFAEL BARROS BARNABE


RAFAEL DO NASCIMENTO QUINTANILHA


RAFAEL DOS SANTOS SIQUEIRA


RAFAEL TEIXEIRA DE SOUSA


RAMILSON LEITE FERREIRA


RAPHAEL DE JESUS DIAS DA SILVA


RENAN CORTES DA SILVA ROCHA


RENATO MARTINS GONCALVES


RICARDO DE ASSIS SILVA


ROBERTO DOS SANTOS DE FARIAS


ROBERTO PEREIRA DO NASCIMENTO


ROBLEDO RAIMUNDO RODRIGUES


ROBSON CRUZ DE MELLO


ROBSON DA SILVA LOPES


RODRIGO FERREIRA SANTIAGO


RODRIGO LUIZ DA SILVEIRA FERREIRA LOPES


RODRIGO SANTOS DE FIGUEIREDO


ROGERIO REIS DA SILVA


RONALD MOURA DE OLIVEIRA


ROSALIA LEAL DE SOUZA


ROSEANE SOUZA DE ARAUJO


ROSUILSON CAETANO PAULO


RUAN CARLOS DE CARVALHO WENCESLAU


SANDRO DE JESUS CARDOSO


SANDRO INACIO DOS SANTOS


SANDRO SANTANA DA SILVA


SERGIO INACIO DA SILVA


SERGIO LUIS SERAFIM


SERGIO LUIZ FERREIRA DE CARVALHO


09/06 – 14:00


SERGIO MONTEIRO DAMASCENO


SERGIO OLIVEIRA CANDEAS


SERGIO ROSA DE MELLO


SIDNEY JOSE ALVES


SIDNEY LOMEU DA CAMARA


SILVANA AVELINO DOS SANTOS


SILVIO GERALDO COSTA FILHO


SIRIO CAMILLO LEITE FILHO


TATIANA ALOISIO DA SILVA


TATIANA PAULA CARDOSO E SILVA


THIAGO DA SILVA OLIVEIRA


THIAGO DO AMARAL MORAES


THIAGO LIMA DA SILVA


THIAGO PAULO DE SOUZA CASTRO


THIAGO SANTOS FERREIRA


TIAGO RODRIGUES BENEDITO


VALENTINO LOPES ISAU


WAGNER VIEIRA DE ALMEIDA


WALLACE COSTA DOS SANTOS


WALLACE RAMOS LOPES


WALTER HUGO SIMOES RIBEIRO


WELINGTON DOS SANTOS


WELLINGTON ALVES CORREA


WELLINGTON BERNARDO DOS SANTOS


WELLINGTON DA SILVA LIMA


WELLINGTON PEREIRA PINHEIRO


WELLINGTON RODRIGO DE ALMEIDA


WESLEY DE ANDRADE RODRIGUES DOS SANTOS


WESLLEY CAMPOS BARBOSA


WILLIAM LOPES SOARES


WILLIAN NASCIMENTO DA SILVA



22/05/2015 - ESCOLTA ARMADA CRUZARAM OS BRAÇOS EM CABO FRIO

Cansados de serem escravizados e explorados pela Empresa Seculos os vigilantes de escolta armada cruzaram os braços em Cabo Frio.

As irregularidades são muitas. A pior delas pagar um valor inferior ao da clausula da Convenção Coletiva e obrigam os profissionais da escolta a assinar o recebimento do contra cheque com valor diferente do que foi depositado. Além de não pagarem tíquete refeição e vale transporte alegando que estes já estão embutido no valor.

Segundo o presidente do sindvalores/rj, Índio, a empresa desconhece totalmente os direitos que a categoria conquistou ao longo do tempo inseridas na Convenção Coletiva. Ou por conveniência diz não conhecer.

Segundo Humberto Rocha, diretor da Federação dos Vigilantes, muitas empresas colocam os vigilantes de escolta em regime de escravidão, a ponto de deixarem alguns vigilantes fora de casa 15, 20 dias em longas rotas, longe da família e quando na hora do pagamento, a empresa sem cerimônia alguma ainda sonegam direitos trabalhistas.

O Sindicato solicita aos vigilantes de escolta que denuncie as empresas que escraviza os trabalhadores. Iremos onde for! O Avanço vem com união da categoria.

19/05/2015 - SINDVIGRIO CONSEGUIU REAJUSTE COM GANHO REAL ACIMA DA INFLAÇÃO MESMO EM TEMPO DE CRISE

SINDVIGRIO CONSEGUIU O REAJUSTE DE 9% NO PISO E 27% NO TIQUETE REFEIÇÃO

 

A Luta do SINDVIGRIO elevou em apenas dois anos o tíquete refeição de R$ 10,10 para R$ 16,50 significando um aumento de 61% de aumento

 

Outras conquistas foram:

 

  • Diária de eventos de R$ 100,00 para R$ 120,00,
  • Gratificação de motociclistas / motoristas de 20% estendido para quem pilota/dirige dentro posto (antes era pago apenas para quem pilotava/dirigia em via pública);
  • Seguro de vida calculado sobre a remuneração do mês anterior ao sinistro (antes era calculado sobre o piso do vigilante apenas).
  • O vigilante envolvido em assaltos agora terá que se afastar por 3 plantões (garantida a sua remuneração) para que receba tratamento psicológico na sede da empresa.

Na avaliação dos sindicatos filiados à Federação dos Vigilantes do Rio, foi conseguido o segundo maior percentual do país em relação aos outros Estados da Federação, o que demonstra que a luta da categoria tem representado avanços.

 

  

VEJA A MATÉIA QUE SAIU NO JORNAL O GLOBO DE HOJE INFORMANDO JUSTAMENTE O CONTÁRIO. REAJUSTES INFERIORES AO INPC.

 

 

Reajuste dos salários foi inferior à inflação em 11% dos acordos no primeiro trimestre Fatia é três vezes maior do que em igual período do ano passado

 

POR CLARICE SPITZ / MARCELLO CORRÊA

 

RIO - Com inflação mais alta e o passo mais lento da economia, o ambiente para as negociações salariais está mais difícil. Dados relativos a acordos e convenções coletivas registrados no Ministério do Trabalho (MTE) nos três primeiros meses do ano mostram aumento no número de negociações que terminam sem que o trabalhador consiga sequer repor as perdas geradas pela inflação. Ao mesmo tempo, há uma redução gradativa no percentual do reajuste acima da inflação, das categorias que conseguem obter algum ganho real. No primeiro trimestre deste ano, 10,94% das negociações foram fechadas com correção inferior ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que acumulou alta de 7,68% nos doze meses encerrados em março. É o triplo do registrado em igual período do ano passado, quando apenas 3,54% dos 5.031 acordos resultaram em índice menor que o INPC, na época em 5,38%.

 

O patamar dos ganhos reais também era outro. No primeiro trimestre de 2014, os aumentos reais ficaram entre 1,82% e 2,05%, acima da inflação. Neste ano, estão decrescentes: 1,64%, em janeiro, 0,93% em fevereiro e 0,64%, em março, em média. O levantamento do site Salários.org.br usou como base 2.121 convenções e acordos coletivos fechados este ano, por cerca de 50 categorias com data-base entre janeiro e março.

 

A base de dados é alimentada diariamente. E para o professor do Departamento de Economia da Faculdade de Economia e Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP) e coordenador do site Salários.org.br, da Fipe, Hélio Zylberstajn, já há uma tendência delineada de ganhos reais menores e negociações mais travadas em 2015. Segundo ele, a inflação é principal obstáculo para o poder de barganha dos sindicatos.

 

— Como a inflação está alta e o mercado está recessivo, as empresas estão resistindo a dar aumento real e está mais difícil fechar acordos — afirma.

 

NÚMERO DE ACORDOS CAI

 

Os dados também indicam que o processo de perdas está avançando. Em março deste ano, 30,4% dos acordos fechados não tiveram ganho real, contra 7,9% em igual mês de 2014. Já a parcela dos acordos com índices acima da inflação caíram de 92,2% no terceiro mês do ano passado para 69,6% este ano.

 

O próprio número de acordos e convenções protocolados — que corresponde a menos da metade do ano passado — também é um indicativo de que as negociações estão mais complicadas, explica Zylberstajn.

 

O coordenador de Relações Sindicais do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), José Silvestre, também vê um ambiente de restrição maior para os acordos firmados no primeiro trimestre.

 

— Quanto mais elevada a inflação, maior a dificuldade de ganho real. Os dados do mercado de trabalho mostram uma perda de dinamismo muito grande, mas, em que pese a economia ter sido pior em 2014 do que em 2013, o ganho real médio foi superior no ano passado, de 1,39%, em média, ante 1,2% do ano anterior — afirma Silvestre, que espera por um número crescente de greves pela manutenção de direitos ao longo do ano.

 

Um outro “termômetro” das negociações salariais é a quantidade que terminou em dissídio. Quando trabalhadores e patrões não chegam a um acordo, a alternativa é partir para a Justiça, por meio de dissídio coletivo. O Tribunal Superior do Trabalho (TST) ainda não tem um balanço preciso do número de dissídios por reajuste salarial recebidos neste ano, mas, para o ministro Ives Gandra Filho, vice-presidente do TST e responsável pelas conciliações trabalhistas, a expectativa é de mais dificuldades para alcançar um consenso. Para Gandra, os problemas devem ser maiores nas estatais, influenciadas pelo ajuste fiscal do governo.

 

— A tendência é vir a ter mais dissídios. Você está num contexto de inflação subindo. O governo começa a pressionar para que não haja reajuste. O trabalhador não vai aceitar — afirma.

 

A sócia do escritório Gama Lima e Guimarães, Patricia Guimarães, considera que, se no início do ano a inflação é o principal entrave para as negociações, na segunda metade do ano — data-base de categorias como bancários e petroleiros — a deterioração do mercado de trabalho, com taxas de desemprego maiores, deverá nortear as negociações e fazer com que os acordos passem a incluir garantias de manutenção de empregos.

 

— As negociações estão mais complicadas e muitas categorias não estão conseguindo fechar. O sindicato trabalha com a lógica de que a empresa conseguiu ter lucro no ano passado e deve conceder reajuste, e as empresas, em cima do cenário de crise que está dado para a frente — afirma.

 

                                         

                                       

                                            Vigilante Rafael Piteira

 

No Sindicato dos Vigilantes do Rio de Janeiro, que representa cerca de 35 mil trabalhadores, o sentimento é que a negociação neste ano foi mais dura. Em março, a categoria conseguiu reajuste de 9%, aumento real de 1,32%, menor que o obtido em 2014 (2,07%). No ano passado, a taxa nominal negociada foi menor, de 8%, mas a inflação medida pelo INPC estava mais baixa. Neste ano, o sindicato chegou a pedir aumento de 15%, mas cedeu.

 

Para Rafael Piteira, vigilante há cinco anos, o salário da categoria está defasado diante do aumento das despesas, principalmente a conta de luz.

 

— As contas todas subiram, e o que ganho já não é suficiente para pagá-las. A conta de luz está caríssima. Além disso, as empresas estão atrasando o salário e, por isso, eu só consigo pagar depois do vencimento, com multa — reclama o vigilante, que recebeu o salário de março com 20 dias de atraso.

 

SITUAÇÃO DEVE SE COMPLICAR MAIS NO SEGUNDO SEMESTRE

 

A piora no ambiente das mesas de negociações já preocupa os sindicatos que ainda vão iniciar a discussão do acordo coletivo. Com grandes campanhas salariais concentradas no segundo semestre, a expectativa é de negociações mais tensas. Para Iran Santos, presidente do Sindimina-RJ, que representa os trabalhadores da mineração do Rio de Janeiro, a crise econômica vai influenciar as conversas com a Vale, que emprega a maior parte da categoria:

 

— Se a negociação fosse hoje, certamente seria difícil, considerando a queda do preço do minério de ferro.

 

Já o Sindicato dos Bancários de São Paulo ainda não tem previsão sobre a campanha deste ano, que começa em julho, mas destacou que o “setor bancário continua aumentando lucros”, indicando que o pedido de reajuste pode ser alto.

 

 

Entre as categorias que já começaram a negociar no início deste ano estão os comerciários de Minas Gerais, que obtiveram 0,3% de aumento real. No Rio, onde o sindicato do setor está sob intervenção, os trabalhadores do varejo conseguiram apenas o índice de inflação. A data-base foi adiada para setembro, à espera da eleição da nova diretoria.

 

Diretamente envolvido pela crise da Petrobras, o Sindmar, dos oficiais da Marinha Mercante, vê um quadro ainda mais grave que a dificuldades para negociar salários: desemprego. A categoria tem seis mil postos de trabalho em todo o país e, segundo o presidente do sindicato, Severino Almeida, já contabiliza aproximadamente 500 demissões nos últimos meses.

 

— Para empresas que perderam os contratos, não há redução salarial que resolva. Você não salva contrato com queda de salário — afirma.

  

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/economia/reajuste-dos-salarios-foi-inferior-inflacao-em-11-dos-acordos-no-primeiro-trimestre-16198374#ixzz3aawI7bip

© 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

 

18/05/2015 - LUZ NO FIM DO TUNEL PARA OS DEMITIDOS DA FACILITY

Na mesa redonda agendada pelo Ministério Publico do Trabalho na manhã desta segunda feira, os demitidos da empresa facility vêem agora uma luz no fim do túnel.

O Sindicato informou à Procuradora Regional do Trabalho, Junia Bonfante e à Procuradora do Trabalho, Carina Rodrigues, a falta de pagamento de verbas rescisórias dos contratos de trabalho rescindidos a partir de Junho de 2014. O sindicato informou que há anos tem tido problemas com a empresa com relação a atraso de salários, entre outras clausulas da CLT e da Convenção Coletiva.

                   

Ficou então acertado entre a empresa e o sindicato que se reunirá nesta quinta feira para efetuar um acordo com cronograma para homologação dos vigilantes, com a ressalva do pagamento, para fins de liberação das guias do FGTS e do Seguro Desemprego.

                            

A Procuradora orientou que desta reunião deverá ser elaborada uma ata com os termos gerais do acordo no qual conste a responsabilidade da empresa pelo pagamento integral de verbas rescisórias, depósito integral do FGTS e da indenização de 40%, além da multa do art. 477 da CLT e fixar um valor a titulo de dano moral.

A empresa deverá em 15 dias apresentar ao MPT documentos dos trabalhadores com contratos ativos, relação dos trabalhadores dispensados sem pagamento, com reclamação trabalhista em curso, entre outros. 

                    

15/05/2015 - SUCATEAMENTO DERRUBA DIRETOR-GERAL DO INCA

O Dia

O sucateamento no Instituto Nacional do Câncer (Inca) fez cair o diretor-geral Luiz Antonio Santini (foto). Referência no país no tratamento da doença, o órgão passa por uma crise onde faltam materiais básicos para tratamentos, cirurgias são adiadas e servidores que correm risco com a estrutura mínima de trabalho — como mostrou a coluna no último dia 4. A mudança foi anunciada por meio de comunicado interno do Inca, o qual O DIA teve acesso. No lugar de Santini, assumiu ontem o substituto Reinaldo Rondinelli, de forma provisória.

Santini não falou da crise e se limitou a informar em nota que a decisão do desligamento como diretor-geral foi tomada em comum acordo com o Ministério da Saúde, e ressaltou a preservação do Inca como uma referência para a saúde pública. Ele ficou nove anos no cargo.

Na tentativa de encontrar uma solução que tire o Inca da pior crise de sua história, o deputado federal Dr. João (PR-RJ) entra na próxima quarta-feira com requerimento de audiência pública na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados. Serão convidados o ministro da Saúde Arthur Chioro, um representante do Sindsprev-RJ e o substituto Reinaldo Rondinelli. “Vamos normalizar o Inca. Ninguém mais consegue atender os pacientes”, disse o parlamentar.

INDICAÇÃO SINDICAL

A ida a Brasília para resolver a crise no Inca servirá para o núcleo sindical exigir que o diretor da instituição seja uma indicação dos servidores, e não mais do governo. Eles não querem Rondinelli nem de forma provisória. “É a continuação de Santini, precisamos de uma pessoa técnica”, ressalta representante do Sindsprev-RJ, que preferiu não divulgar o nome.

REPOSIÇÃO PROVISÓRIA

A Fundação do Câncer, que fornece mão de obra especializada para o instituto, vai repor os medicamentos que estão em falta até a situação ser regularizada. A falta de material ocorre há mais de seis. As quatro unidades (HCs 1, 2, 3 e 4) já haviam adotado a troca de materiais entre os hospitais para o atendimento não ser afetado.

DESABASTECIMENTO

Na semana passada, o Ministério Público Federal acolheu as denúncias do Sinsprev-RJ contra o Inca diante do desabastecimento grave que assola o órgão federal. A instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar a prática de atos ilícitos no Inca está sendo articulada junto ao Congresso.

SAÍDA APÓS AMEAÇAS

A queda de Santini se dá um ano após ele ameaçar os servidores durante uma greve, segundo queixa de servidores à coluna. Na época, o gabinete da direção do HC4 (Vila Isabel) foi ocupado em protesto. No local foram encontradas garrafas de bebidas alcoólicas. Os servidores deixaram o gabinete logo depois.

TAMBÉM INVESTIGADO

Santini respondeu em 2014 a um processo por improbidade administrativa no Ministério Público Federal. E Rondinelli também é investigado. Ele negociou a compra do sistema de informática do Inca sem licitação. Os servidores dizem que a ferramenta é “péssima” e “pouco funcional”, mas custou em torno de R$ 420 milhõe.

REUNIÃO SEM AVANÇO

Terminou sem avanço a reunião entre os sindicatos dos servidores públicos federais e os representantes dos ministérios do Planejamento e do Trabalho e Emprego. O governo federal não trouxe nenhum avanço sobre data-base, os direitos de negociação coletiva, direito de greve e a liberação de dirigentes sindicais.

15/05/2015 - ENTENDA A PROPOSTA DE APOSENTADORIA 85/95, ALTERNATIVA AO FATOR PREVIDENCIÁRIO

Na noite da última quarta-feira (13), a Câmara dos Deputados aprovou uma emenda na Medida Provisória 664/14 (do ajuste fiscal) que cria uma alternativa ao cálculo do fator previdenciário na hora do trabalhador se aposentar: chamada regra 85/95.

 

Pela proposta, o trabalhador que fosse se aposentar antes dos 60 anos (no caso de mulheres) e 65 anos (no caso de homens) poderia optar pelo cálculo do fator previdenciário (que desconta o valor recebido de quem se aposenta antes da idade) ou pela nova regra, que levaria em conta a soma da idade e do tempo de serviço do trabalhador.

 

Pelas regras aprovadas na Câmara, mulheres que tivessem a soma de idade e tempo de serviço maior de 85 anos (por exemplo, 55 anos de idade e 30 de trabalho) teriam direito a 100% da aposentadoria. No caso dos homens, a soma teria de ser mais de 95 anos (por exemplo, 60 anos de idade e 36 de contribuição).

 

O autor da emenda, deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), disse que a regra significa um avanço para o fim do fator. “O fator previdenciário reduz em 40% a aposentadoria dos trabalhadores e tem de acabar porque é uma grande injustiça”.

 

A aprovação da emenda, por 232 votos a 210, foi considerada a primeira derrota do governo dentro do pacote de ajuste fiscal. O Executivo desejava discutir o assunto em um prazo de 180 dias para envolver  trabalhadores, empresários e parlamentares no debate.

 

De acordo com o líder governista, José Guimarães (PT-CE), a matéria deve ser vetada se passar no Senado: “Essa emenda não resolve por completo a questão, que é mais complexa e precisa ser discutida na busca de uma fórmula final”, afirmou.

 

Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara, aponta que o veto deve ser o caminho natural. Porém, ele aponta que a aprovação deve acelerar a tramitação da matéria: “O que o governo deverá fazer é abreviar esse tempo de 180 dias para, quando vetar, ter condição para que a proposta que vai sair seja aceita por todos, e será. O governo já tinha sinalizado que ia dar uma solução. Então, provavelmente, essa solução que o governo vai dar é a que vai prevalecer”, disse o presidente.

 

*com informações da Agência Câmara

15/05/2015 - VIGILANTES PARAM NAS UPAs DE MARECHAL HERMES, REALENGO, BANGÚ RICARDO DE ALBUQUERQUE

Sem pagamento na conta os vigilantes das UPAs de Marechal Hermes, Realengo, Bangu e Ricardo de Albuquerque pararam suas atividades até que a empresa HBS Segurança e Vigilância salde suas dividas com os trabalhadores terceirizados da administração pública.

  

O Sindicato percorre neste momento todas as UPA’s mobilizando os vigilantes.

 

 

 

14/05/2015 - CRISE NO GOVERNO DO ESTADO. VIGILANTES PODEM PARAR!

CRISE DO GOVERNO DO ESTADO

13/05/2015 - 13 DE MAIO - DIA DO VIGILANTE! VAMOS REFLETIR NESSA DATA

13 de maio – Día do Vigilante! Trabalhadores vamos nos unir!

 

13 de maio é o Dia do Vigilante! A data foi escolhida para libertar os vigilantes da escravidão que sofriam nas décadas de 70 e 80, quando o patrão cobrava uniforme e pagava só salário mínimo - 13 de maio também é o Dia da abolição da escravatura.

 

Ao longo desse tempo todo ganhamos batalhas importantes como pisos salariais, adicional de periculosidade e o risco de vida. Mas é preciso estar sempre vigilante para garantir direitos e avançar nas conquistas.

 

  

 

O Dia do Vigilante foi criado por uma lei estadual do então deputado (PDT), Fernando Bandeira, fundador do Sindicato dos Vigilantes do Município do Rio de Janeiro. Hoje o momento não é de comemoração, mas de lembrar as lutas para assegurar os direitos dos trabalhadores vigilantes que continuam sofrendo nas mãos de empresários ruins que não pagam corretamente e desrespeitam direitos garantidos na CLT.

 

No dia dedicado a categoria vamos refletir sobre os problemas, e, sobretudo, reconhecer que hoje estamos numa situação melhor que em décadas passadas.

Vigilantes vamos nos unir em torno do seu sindicato, a sua verdadeira trincheira de lutas! Conte conosco!



Exibindo 267 a 280 de 884« 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 »