• Você está em: 
  • Home
  • Notícias

19/12/2014 - PORTAS GIRATÓRIAS GERAM CONSTRANGIMENTO NAS AGÊNCIAS BANCÁRIAS

Problemas nas portas giratórias de agências bancárias estão causando constrangimento para os clientes e vigilantes. Estes reclamam que as portas giratórias são obsoletas, sem manutenção, muitas vezes travam ou liberam sem controle algum.

 

               

 

clique e veja a matéria  - http://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/cidade-alerta-rj/videos/clientes-relatam-constrangimentos-em-agencias-bancarias-18122014

 

Atualmente o número de bancários e vigilantes está caindo drasticamente, enquanto os assaltos aumentam. Hoje, na maioria das agencias dois vigilantes ficam em escala de revezamento, trabalhando na proteção de clientes e bancários, em pé e, muitas vezes, exaustos.

 

Segundo Antonio Carlos, presidente do SINDVIGRIO, no curso de formação, é passado aos vigilantes que apenas o gerente do banco tem o poder de decisão de autorizar ou não a entrada do cliente na agência. Se caso ocorra algo com o cliente sendo necessária a intervenção do vigilante, este deverá comunicar ao gerente para que resolva o problema. Mas não é o que ocorre. O vigilante fica na linha de frente sendo desrespeitado por clientes mais nervosos.

 

O efetivo bancário também diminui, e em conseqüência, os vigilantes têm que resolver questões da gerência. “Hoje em dia os vigilantes auxiliam os clientes na entrada dos bancos, o que é errado! O correto seria ter bancários se revezando na porta do banco para resolver problemas dos clientes”, concluiu o sindicalista.

11/12/2014 - VIGILANTES DE ESCOLTA ARMADA TÊM BAIXAS DIÁRIAS NAS RODOVIAS

Quase que diariamente um vigilante de escolta armada no país morre vitima de assaltos à cargas valiosas. Até onde vai parar a insegurança nas vias e o descaso dos empresários com as condições de trabalho dos vigilantes? É inadmissível que vigilantes escoltem cargas milionárias com apenas dois vigilantes armados com revolver 38 e um carro de baixa potência sem nenhum tipo de blindagem. Os bandidos assaltam agora com fuzis, metralhadoras e bombas de uso exclusivo do exército.

Hoje, por volta das 5 horas homens fortemente armados roubaram um caminhão que carregava equipamentos eletrônicos, na altura do Jardim América. Os vigilantes reagiram ao assalto e trocaram tiros com os bandidos. Um Vigilante morreu e outro foi encaminhado ao hospital.

 O diretor do Sindicato de Carro Forte e Escolta Armada, Humberto Rocha e Leandro Cerqueira, delegado sindical do SINDVIGRIO encontram-se no Hospital Getúlio Vargas, na Penha, dando apoio ao companheiro e seus familiares. Segundo boletim médico o estado de saúde do vigilante é estável, mas ficará em observação por 48 horas. Infelizmente o outro vigilante morreu no local.  

 --------------------------------------------------------------------------------

Já não é de hoje que os vigilantes de escolta armada e transporte de valores sofrem assaltos nas estradas e morrem. Na semana passada um vigilante foi morto com tiro na cabeça depois de uma tentativa de assalto a um caminhão de eletrodomésticos na Fazenda Botafogo, Zona Norte do Rio. De acordo com informações, ele e mais um colega faziam a escolta do veículo quando foram abordados por homens armados, nas proximidades da Rua do Canal, uns dos acessos para a Avenida Brasil. 

Todos os Sindicatos de transporte de valores e escolta armada do Brasil, junto com a CONTRASP, travam uma luta nacional com a Polícia Federal e o Ministério da Justiça para atualizar a legislação, que rege o segmento. Essa é a luta da Federação dos Vigilantes, que segundo Antônio Carlos Alves Índio, é necessário “a repontencialização de blindagem nível 4, para os carros fortes,  uma vez que os bandidos estão assaltando com armamento .30 e .50 exclusivo de uso militar. A blindagem hoje somente segura armamento de fuzil 762. Para a escolta armada a Federação exige quatro homens armados com PT 380 e mais um homem com uma escopeta 12mm em carro blindado, no mínimo 1.6, camionete”, conclui Alves. 

O sindicalista alerta que esta luta é nacional. O segmento de Transporte de Valores e escolta sofrem com a insegurança nas vias principalmente os que transportam cargas valiosas como cigarro, eletrônicos, remédios e bebidas. 

Segundo Sérgio Luis, vice presidente da Federação de Vigilantes, no Rio um caminhão de mercadorias é roubado a cada 12 hs principalmente em áreas próximas de comunidades não pacificadas, dominadas pelo tráfico de drogas. 

Os sindicatos ligados à Federação dos Vigilantes do RJ denunciam que muitos carros da escolta e blindados não estão em bom estado necessitando de manutenção. A Federação está lutando pela melhoria da legislação atual para garantir o mínimo de segurança, pois atualmente as empresas de escolta armada operam com apenas dois vigilantes, em um carro 1.0, com horas excessivas de trabalho, colocando em risco a vida dos trabalhadores, apenas para que as tomadoras de serviço possam garantir descontos na contratação dos seguros para as suas cargas.

08/12/2014 - VIGILANTES DE TRANSPORTE DE VALORES E ESCOLTA ARMADA PEDEM SOCORRO

 Já não é de hoje que os vigilantes de escolta armada e transporte de valores sofrem assaltos nas estradas e morrem. Na semana passada um vigilante foi morto com tiro na cabeça depois de uma tentativa de assalto a um caminhão de eletrodomésticos na Fazenda Botafogo, Zona Norte do Rio. De acordo com informações, ele e mais um colega faziam a escolta do veículo quando foram abordados por homens armados, nas proximidades da Rua do Canal, uns dos acessos para a Avenida Brasil.

 

Todos os Sindicatos de transporte de valores e escolta armada do Brasil, junto com a CONTRASP – Confederação Nacional dos Trabalhadores na Segurança Privada, travam uma luta nacional com a Polícia Federal e o Ministério da Justiça para atualizar a legislação, que rege o segmento. Essa é a luta da Federação dos Vigilantes, que segundo Antônio Carlos Alves Filho (Índio), é necessário “a repontencialização de blindagem nível 4, para os carros fortes,  uma vez que os bandidos estão assaltando com armamento .30 e .50 exclusivo de uso militar. A blindagem hoje somente segura armamento de fuzil 762. Para a escolta armada a Federação exige quatro homens armados com PT 380 e mais um homem com uma escopeta 12mm em carro blindado, no mínimo 1.6, camionete”, conclui Índio.

O sindicalista alerta que esta luta é nacional. O segmento de Transporte de Valores e escolta sofrem com a insegurança nas vias principalmente os que transportam cargas valiosas como cigarro, eletrônicos, remédios e bebidas. 

Segundo Sérgio Luis, presidente da Federação de Vigilantes, no Rio um caminhão de mercadorias é roubado a cada 12 hs principalmente em áreas próximas de comunidades não pacificadas, dominadas pelo tráfico de drogas.

Os sindicatos ligados à Federação dos Vigilantes do RJ denunciam que muitos carros da escolta e blindados não estão em bom estado necessitando de manutenção. A Federação está lutando pela melhoria da legislação atual para garantir o mínimo de segurança, pois atualmente as empresas de escolta armada operam com apenas dois vigilantes, em um carro 1.0, com horas excessivas de trabalho, colocando em risco a vida dos trabalhadores, apenas para que as tomadoras de serviço possam garantir  descontos na contratação dos seguros para as suas cargas.    

05/12/2014 - LITORAL COSTA VERDE - VIGILANTES REAFIRMAM MANDATO DA DIRETORIA DO SINDICATO

A Chapa única “PROSSEGUIR E CONQUISTAR” confirmou que o verdadeiro sindicalismo em Angra dos Reis e Região, existe de fato. Vigilantes aprovaram a gestão anterior e reafirmou que a direção do Sindicato dos Vigilantes presidido por Maurício, é a representação ideal que a categoria quer na região. 

                            

A chapa eleita, presidida por Mauricio da Conceição Silva ficou assim constituída: vice-presidente Agnaldo Menezes; secretario geral - Miguel Ângelo Campos da Silva; Tesoureiro geral - Rogério Nascimento Almeida; Diretor Jurídico - Ademir Paulina Leandro; Diretor Social - José Cláudio de Souza; Diretor de Relações Intersindicais - Eduardo Eucário; Diretor de Imprensa e divulgação - Marcelo Eucário; Diretor de Patrimônio - Paulo Roberto da Costa Cruz; diretor de Cultura esporte e lazer - Marcio Braga da Silva. O mandato dos eleitos vai de 2015 a 2019 e lutará por mais direitos e impedindo que as empresas desrespeitem os direitos conquistados pelos vigilantes.

  

Maurício e seus diretores mostraram que o verdadeiro sindicalismo é o que vai para as ruas, mobiliza o trabalhador, fica sintonizado com ele, não o sindicalismo que senta à mesa e negocia com o patrão. “Agora mais do que nunca precisamos prosseguir com a luta da categoria e conquistar mais direitos, respeito e um elo de união entre o trabalhador e o Sindicato. Os vigilantes de Angra e Região já mostraram união na batalha da ultima greve”.Não conseguimos o sonhado índice ideal. Mas fizemos história!”, concluiu o presidente reeleito Maurício.

 

Informação e Foto: Diretor Sebastião Neto - SINDVIGRIO

04/12/2014 - PERICULOSIDADE DEVE INCIDIR SOBRE 13º SALÁRIO E FÉRIAS.

O Departamento Jurídico do SindVig recebe diariamente telefonemas e e-mails expressando dúvidas sobre as leis que garantem os direitos do vigilante. Neste início de dezembro chegaram muitas dúvidas e questionamentos sobre o pagamento do 13º salário, férias e adicionais.

 

            “Sou Vigilante e de acordo com a CLT tenho direito ao adicional de periculosidade de 30% sobre meu salário. Minha dúvida é a seguinte: nós vigilantes temos direito ao pagamento do adicional de periculosidade também no 13º e nas férias?” A resposta é sim. Todo vigilante tem direito ao adicional de periculosidade na base de cálculos das férias e 13º salário, rescisão, FGTS e INSS.

                       

Dra Ana Lucia, advogada do Sindicato, explica que as empresas devem fazer o pagamento da periculosidade tanto nas férias como no 13º. A base de cálculo será feita sobre o salário mais o adicional.  Caso qualquer empresa desrespeite esta norma o vigilante deve informar imediatamente ao Sindicato para que resolva a irregularidade.

 

A primeira parcela do 13º salário tem que ser paga até 30 de novembro e a segunda até 20 de dezembro. Se a empresa optar por pagar em parcela única a mesma deve ser realizada até 30 de novembro.

 

O Departamento Jurídico do SindVig funciona de segunda a sexta das 10:00 às 17:00 horas na sede do sindicato.

03/12/2014 - NOTA DE SOLIDARIEDADE AOS VIGILANTES MORTOS EM GOIÁS

A Federação dos Vigilantes do Estado do RJ e seus sindicatos associados se solidarizam com os familiares dos Vigilantes de transporte de valores de Goiás que foram brutalmente assassinados quando trafegavam pela BR 153 em Morrinhos, no sul de Goiás. O comboio de três carros fortes foi interceptado por assaltantes fortemente armados utilizando armamento de uso exclusivo do Exército. A pista foi bloqueado por dois caminhões e caminhonetes.

 

            Carros-fortes usaram faixas pretas em sinal de luto

 

O crime ocorreu na tarde de segunda-feira, 1º de dezembro. Adriano Ferreira Babosa, de 36 anos, Argon Romel de Lima, de 46, e Jean Santiago Queiros Santos, de 28, não resistiram aos ferimentos e morreram no local.

 

     A Federação dos Vigilantes do Estado do Rio esta unida com demais entidades da categoria  para conquistar mais segurança e regras mais rígidas de trabalho que proporcionem mais segurança para os profissionais do transporte de valores.


Veja a matéria completa em http://g1.globo.com/goias/noticia/2014/12/corpos-de-segurancas-mortos-em-assalto-carros-fortes-sao-velados.html

30/11/2014 - SINDICATO APRESENTA PROPOSTA QUE SERÁ APRECIADA EM ASSEMBLÉIA

No dia 21 de novembro houve a segunda reunião no Sindesp, quando os sindicatos dos vigilantes entregaram a pauta aos empresários exigindo que retomassem as negociações de 2014. Os empresários afirmaram que não iriam discutir a convenção de 2014 alegando que a maior parte das empresas não teria feito os reajustes, não tendo, portanto, suporte financeiro para um novo, descumprindo, assim a cláusula 4ª da CCT. O Sindesp fez apelo aos sindicalistas que iniciassem a discussão da convenção de 2015 o mais breve possível.

 

Proposta apresentada pelos empresários

            

Os empresários apresentaram uma pauta de proposta para a convenção de 2015 que os sindicatos colocarão para assembléia em suas bases. Inicialmente as propostas foram: 



1 - Estender a gratificação de 20% aos motoristas e motociclistas que trabalham fora das vias públicas;


2 - Alteração na cláusula do seguro de vida estabelecendo o valor da apólice sobre a remuneração e não sobre o piso;


3 - Aumento do valor da remuneração dos vigilantes que trabalham em eventos para R$ 120,00;


4 - Plano de saúde para o vigilante sendo 50% pago pelo próprio e 50% pela empresa;


5 - Estabelecer que o vigilante de rendição de almoço de 11:00 as 15:00 horas, receberá o pagamento proporcional ao período trabalhado;


6 - Reciclagem será feita em 5 dias corridos não podendo ser feita nos finais de semana, de acordo com a CCT.

 

O Sindicato marcará em breve uma assembléia para apresentação da pauta e discussão.

26/11/2014 - PATRONAL SE RECUSA A REABRIR NEGOCIAÇÕES DE 2014

Os sindicatos que integram a Federação Estadual dos Vigilantes estiveram reunidos no dia 12/11 na sede do sindicato. Foram discutidos Plano de Saúde pago pelas empresas, elevação do tíquete refeição para R$ 15, reabertura da clausula 4ª da CCT, redução da Jornada de Trabalho, ampliação do mercado para as mulheres vigilantes e reajuste salarial acima da correção inflacionária, menor desconto do tíquete refeição, entre outros itens de interesse da categoria.

 

Além do Rio, compareceram à reunião os seguintes sindicatos: Campos, Macaé, Nova Iguaçu e Queimados, Volta Redonda, Angra dos Reis e Sindicato dos Empregados em Transporte de Valores do interior.

     

 

À tarde, todos os representantes dos sindicatos se reuniram com a diretoria do sindicato patronal, no Rio Comprido. Os trabalhadores queriam negociar o que não foi negociado em setembro, como o valor do tíquete e demais cláusulas sociais.

 

                         Presidente da Contrasp apela para recuperação salarial

 

Presente à reunião, o presidente da nova Confederação dos trabalhadores da Segurança Privada – CONTRASP – João Soares que fez uma análise dos pisos salariais em diversos estados do Brasil. E o Rio, de acordo com ele, fica abaixo de estados como Espírito Santo, Tocantins, Amapá, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, São Paulo e Paraná. Em tom conciliatório, o sindicalista pediu a união entre as partes para que se chegue a um consenso nesta campanha salarial. Diante da importância do Rio no cenário nacional, o presidente João Soares, fez um apelo para que os patrões recuperem as condições salariais do vigilante que é o principal cartão de visita da empresa.

             

 

O representante do Patronal, Frederico Crim, disse para esquecerem o que havia sido acertado para setembro e, a partir de novembro, que a Federação apresentasse a pauta de reivindicações dos vigilantes que foi entregue no mesmo dia da primeira rodada de negociações. “Vocês podem pedir o que quiserem, nós vamos nos reunir e avaliar”, concluiu Frederico.

 

Uma nova reunião foi marcada para o dia 21 de novembro a fim da categoria conhecer a proposta dos patrões.

19/11/2014 - GARANTA A SUA CESTA DE NATAL! INSCRIÇÕES ATÉ DIA 29/11

18/11/2014 - SEMINÁRIO DA NOVA CENTRAL NA REGIÃO SERRANA

Nos dias 13 e 14 de novembro importante seminário organizado pela Nova Central / Rio, ocorreu em Teresópolis, na região serrana do Rio. No encontro. procedeu-se a filiação á Nova Central, dos sindicatos: Servidores Públicos de Magé, Sindicato dos Vestuários de Três Rios, Sindicato de Condomínios e a Federação do Vestiário de Nova Friburgo. Na palestra de abertura foi debatida a Conjuntura do Movimento Sindical e as Portarias do MTE, pelos presidentes da Nova Central Nacional e Estadual, respectivamente José Calixto Ramos e Sebastião José.  

                 

Novo Congresso é conservador, diz José Calixto

            José Calixto falou sobre a conjuntura atual observando que terminadas as eleições, já se sabe a composição do novo Congresso que não é favorável aos trabalhadores já que a bancada de sindicalistas perdeu metade de seus membros, ficando reduzida a 51 parlamentares, enquanto a dos empresários e ruralistas cresceu, somando 330 membros. Calixto ressaltou que nesta conjuntura de crise econômica é possível que a agenda dos trabalhadores seja prejudicada o que exigirá muito trabalho dos sindicalistas, principalmente tendo em vista a configuração do novo Congresso.

            Sebastião Soares, diretor de Formação Sindical da Nova Central nacional fez importante palestra sobre Gestão Sindical, enumerando os vários tipos e os princípios morais e éticos que norteiam cada um.

                 

A greve é um direito inscrito na Constituição Federal

            Também importantes foram as palestras de Antônio Queirós do Diap que falou sobre a Política Sindical e as Diretrizes da Nova Central no Novo Cenário. Toninho, como é conhecido, manifestou sua preocupação pelo perfil do novo Congresso, muito conservador, o que influirá de forma perversa nas votações de matérias de interesse dos trabalhadores. Ressaltou que é preciso ter sindicatos e movimentos sociais mobilizados para suportar a pressão empresarial para diminuir os direitos trabalhistas. A palestra da Dra Marinês Trindade enfocou o direito de greve, que está na Constituição Federal, e os requisitos necessários a serem observados pelos sindicalistas quando fizerem uso desta ferramenta. Ressaltou que a greve é aumento de patamar civilizatório, sendo necessário que os sindicatos se apetrechem para conduziram bem as greves, já que a sociedade está mais conservadora.

      

            Fernando Bandeira, presidente do Sindicato, compareceu ao evento com delegação de vigilantes: Sérgio Luis, Maria Goretti, Sonia Maria, Mauro César Guimarães, Daniel Cardoso Teixeira, Pedro Paulo da Silva, Sebastião Neto, Luis Carlos da Silva, Manoel Nascimento (Nova Friburgo), Marcos Antônio (Belford Roxo), Sérgio Bruno (Nova Iguaçu) e Sueli da Cruz (Nova Iguaçu)..

            Bandeira que é Diretor de Organização Política da Nova Central nacional elogiou a iniciativa de Sebastião José e Sérgio Luis Vice-Presidente da Central Estadual, de organizarem o Seminário, lembrando como o Sindicato dos Vigilantes foi protagonista da fundação da Nova Central, a mais importante dentre todas, pois é a que melhor defende os princípios trabalhistas e sindicais.   

17/11/2014 - SINDICATO DOS VIGILANTES FALA SOBRE INVASÃO DO SHOPPING GUADALUPE E DENUNCIA TROCA DE VIGILANTES POR PORTEIROS

O programa Balanço Geral da TV Record desta Sexta feira (14/11) noticiou a invasão ao Shopping Guadalupe por bandidos que estavam transportando armamento entre comunidades dominadas pelo tráfico e invadiram o shopping na fuga, quando perseguidos por Policiais Militares.

 

Segundo Antonio Carlos, vice-presidente do Sindicato, o papel desses trabalhadores é com a prevenção de ações criminosas. Porém, em situações como esta, na manhã de sexta feira, a orientação é que não reajam para que os bandidos possam fugir sem colocar em risco a vida de outras pessoas.

 

         

 

O Sindicato aproveita para denunciar que muitas empresas trocam a mão de obra especializada em segurança privada, por porteiros, fiscais de salão e controladores de acesso, sem o preparo devido.

 

Com essa troca as empresas passam uma idéia de segurança para a população, a partir do momento e que os profissionais usam os uniformes  - terno e gravata, mas não estão habilitados a fazerem realmente a segurança. Somente Vigilantes podem fazer esse tipo de trabalho, uma vez que são qualificados e habilitados para tal. A substituição desses profissionais na maioria das vezes é para reduzir custos.

 

Hoje, um porteiro recebe pouco mais de R$ 900,00. No caso do vigilante o piso da categoria é bem maior, de R$ 1.066,00, com direito a periculosidade e outros benefícios conquistados ao longo dos anos. 


veja a matéria completa em: 

http://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/balanco-geral-rj/videos/comerciantes-ficam-com-medo-de-assaltos-em-shoppings-do-rio-14112014

10/11/2014 - ABERTAS INSCRIÇÕES PARA CESTA DE NATAL ATÉ 29 DE NOVEMBRO

De hoje (10/11) até 29 de novembro estão abertas as inscrições para o recebimento das tradicionais cestas de Natal da categoria. Para ter direito ao benefício, basta ser associado e apresentar o último contracheque. O atendimento está sendo feito na sede do Sindicato – Rua André Cavalcanti nº 126, no Centro; ou na subsede de Campo Grande, situada à Rua Albertina nº 70, próximo à estação ferroviária. O horário é das 8:15h às 18h, de segunda a sexta-feira, e aos sábados, das 8:15h às 12h.

 

Para quem se inscreveu no prazo a entrega das cestas será entre 9 e 22 de dezembro, no Centro, e de 10 a 22 de dezembro, em Campo Grande.

 

Este ano não haverá a festa de fim de ano dos vigilantes. Entretanto, a sede campestre de Guaratiba estará aberta ao associado e dependentes a partir de janeiro próximo. Agora é uma realidade. Os associados e familiares poderão o ano todo usufruir de uma ótima estrutura: piscinas semi-olímpica e infantil, churrasqueiras, salão de jogos, playground, campo de futebol e muito verde numa das regiões mais bonitas do Rio.

 

Com a chegada do BRT da Avenida das Américas, o acesso à sede campestre dos vigilantes – Rua do Fragoso nº 555 – ficou mais fácil.

Associado veio se inscrever para receber a cesta de Natal




30/10/2014 - EM NOVEMBRO INSCRIÇÕES ABERTAS PARA A CESTA DE NATAL DOS ASSOCIADOS

24/10/2014 - EMPRESA DAS ELEIÇÕES DE NITERÓI POR BIOMETRIA TEM CONTRATO INVESTIGADO PELO TSE



Exibindo 1 a 14 de 551 1 2 3 4 5 »