• Você está em: 
  • Home
  • Notícias

26/03/2015 - MUITO OBRIGADO! ASSESSORIA DE IMPRENSA DO SINDVIGRIO PRESTA HOMENAGEM AO PROFESSOR HÉLIO ALONSO

Fundador das Faculdades Integradas Hélio Alonso - Facha, faleceu na madrugada desta quinta-feira,26/03, aos 86 anos, tendo sido responsável pela formação de diversos profissionais de comunicação.

Como no slogan da Faculdade diz: “Em todos lugar tem alguém da Facha” em nossa assessoria não poderia ser diferente!

Muito obrigado, descanse em paz, mestre.

 

Bruno Maciel - Publicitário

Gisele Martins - Jornalista (Estagiária)

 

17/03/2015 - CONTRIBUIÇÃO NEGOCIAL E CONFEDERATIVA LIMITADA A R$ 38,70

O Sindicato dos Vigilantes do Município do Rio de Janeiro limitou o desconto da Contribuição Negocial (abril/2015) e da Contribuição Confederativa (setembro/2015) a 38,70 reais para todos os Empregados de Empresas de Segurança e Vigilância. Agora mesmo os vigilantes SPP, Escolta Armada, Supervisores, Administrativo e demais funções terão o desconto de apenas 38,70 reais.

 

 

Desta forma será realizado um desconto na folha de abril no valor 38,70 e o outro desconto na folha de setembro, também de 38,70 reais.

 

Com essas contribuições os trabalhadores garantem que o Sindicato mantenha as portas abertas a semana toda, de segunda a sexta feira, das 8:15 às 18:00, oferecendo:

 

          Assistência jurídica gratuita

          Balcão de emprego no Centro e em Campo Grande

          Convênios com cursos de formação de vigilantes

          Descontos em Faculdades e cursos de inglês

          Combate as Empresas irregulares

          Sub Sede em Campo Grande

          Campanha salarial com melhores índices do país

          Manifestações e paralisações

 

Todos os dias os Diretores do Sindicato correm toda a cidade visitando os postos de trabalho para atender os vigilantes e tomar as providências para a sua defesa.

 

A nossa luta levou em apenas dois anos o tíquete refeição de R$ 10,10 para R$ 16,50 (61% de aumento). Para os próximos anos vamos melhorar ainda mais.

 

Hoje o Sindicato chama você para este novo momento de conquistas. Venha somar com esta Nova Diretoria!

 

O Sindicato é a casa do Trabalhador! Juntos somos fortes

 



16/03/2015 - ASSINADA A NOVA CONVENÇÃO COLETIVA

Foi assinada hoje (16) a nova Convenção Coletiva dos profissionais da Segurança Privada. Os sindicatos ligados à Federação dos Vigilantes do Estado do RJ se reuniram na sede do Sindicato Patronal para assinar a Convenção Coletiva e dar entrada no Ministério do Trabalho.

    

Na Convenção 2015/2016 consta, o reajuste de 9% no piso e 27% no tíquete refeição. O vigilante passa a ganhar R$ 1.162,00 de piso salarial, R$ 16,50 de alimentação e R$ 348,59 de Periculosidade.

Outras conquistas foram:

  • Diária de eventos de R$ 100,00 para R$ 120,00,
  • Gratificação de motociclistas / motoristas de 20% estendido para quem pilota/dirige dentro posto (antes era pago apenas para quem pilotava/dirigia em via pública);
  • Seguro de vida calculado sobre a remuneração do mês anterior ao sinistro (antes era calculado sobre o piso do vigilante apenas).
  • O vigilante envolvido em assaltos agora terá que se afastar por 3 plantões (garantida a sua remuneração) para que receba tratamento psicológico na sede da empresa.

Foi reescrita a clausula da periculosidade onde ficou claro que este adicional incide sobre horas extras, adicional noturno, férias, 13º salário, FGTS, INSS e aviso prévio.

Antonio Carlos, presidente do SindVigRio, explica que esta clausula foi reescrita e aprimorada, uma vez que muitas empresas, não pagava corretamente alegando a falta da clausula na CCT, garantindo de vez o direito a periculosidade.

 

 

13/03/2015 - REAJUSTE DE 9%: PISO DOS VIGILANTES VAI PARA R$ 1.162,00

CATEGORIA APROVA REAJUSTE EM ASSEMBLÉIA

 

Os vigilantes aprovaram em duas assembléias realizadas no dia 11 de março, no Sindicato dos Vigilantes, o reajuste de 9% no piso e 27% no tíquete refeição. O vigilante passa a ganhar R$ 1.162,00 de piso salarial, R$ 16,50 de alimentação e R$ 348,59 de Periculosidade. 

 Outras conquistas foram:

  • Diária de eventos de R$ 100,00 para R$ 120,00, 20%,
  • Gratificação de motociclistas / motoristas de 20% estendido para quem pilota/dirige dentro posto (antes era pago apenas para quem pilotava/dirigia em via pública);
  • Seguro de vida calculado sobre a remuneração do mês anterior ao sinistro (antes era calculado sobre o piso do vigilante apenas).

Na avaliação dos sindicatos filiados à Federação dos Vigilantes do Rio, foi conseguido o segundo maior percentual do país em relação aos outros Estados da Federação, o que demonstra que a luta da categoria tem representado avanços. O piso da categoria está longe do merecido, mas hoje os 30% de periculosidade é uma realidade e graças a luta dos vigilantes do Estado do Rio de Janeiro que acreditaram nesta luta em 2008.


 

 


12/03/2015 - SHOPPINGS REFORÇAM A SEGURANÇA DEPOIS DE CASOS DE SEQUESTRO-RELÂMPAGO E ASSALTOS

Vigilantes em carros, motocicletas e a pé, por vezes armados, fazem rondas e montam guarda em pontos estratégicos

 

RIO — Para muitos, pareciam oásis de tranquilidade em meio à violência urbana. Mas o sequestro de uma médica no estacionamento do Shopping da Gávea, no fim de fevereiro, trouxe à tona uma crescente sensação de insegurança em centros comerciais da Região Metropolitana. Outros crimes, incluindo assaltos a clientes, acenderam o alerta. Em resposta, vários estabelecimentos, como o Rio Sul, o BarraShopping, o Shopping Tijuca, o Plaza Niterói e o próprio Shopping da Gávea, afirmam ter reforçado a vigilância. Nesta quarta-feira, uma equipe de reportagem do GLOBO foi a seis centros comerciais. Neles, vigilantes em carros, motocicletas e a pé, por vezes armados, faziam rondas e montavam guarda em pontos estratégicos.

 

 

No BarraShopping, onde, em janeiro, dois clientes foram rendidos por bandidos no estacionamento, havia seguranças parados em todas as entradas no início da tarde. Além deles, vigilantes circulavam de motocicleta ou a pé por todo o estacionamento. Em apenas cinco minutos, das 12h30m às 12h35m, a equipe do GLOBO cruzou com sete deles. Segundo o shopping, além de aumentar o efetivo da vigilância privada, foi ampliado o monitoramento eletrônico e o investimento em tecnologia para a segurança dos clientes. A administração do centro comercial também informou que vem conversando com autoridades sobre segurança pública na Barra. No início da tarde, uma patrulha da Polícia Militar também estava posicionada num dos acessos ao shopping, na Avenida das Américas.

 

Na mesma região, homens armados faziam a vigilância nas entradas do estacionamento do Village Mall. O mesmo acontecia nos acessos ao Shopping Leblon, incluindo a portaria exclusiva para pedestres da Avenida Afrânio de Melo Franco. Do lado de dentro, motociclistas (sem armas) circulavam pelo estacionamento. Mesmo assim, a advogada Marianna Memória disse que se sentia insegura.

 

 

 

— Este sempre foi um lugar bastante vigiado. Mas, por conta dos últimos acontecimentos, tenho receio até aqui. Os shoppings eram lugares seguros. Agora, em qualquer lugar fico com medo. Tiro colares e anéis para fazer compras, algo que nunca havia pensado fazer um dia — disse Marianna.

 

No Rio Sul, em Botafogo, vigilantes das áreas internas não estavam armados. Mas, nas duas entradas principais do lugar (na Avenida Lauro Sodré e na Rua Lauro Müller), assim como nos pisos de estacionamento, seguranças circulavam com revólveres. Funcionário de uma loja, o estoquista Edson Francisco afirmou que, até pouco tempo, nunca se preocupou em reparar se os seguranças andavam armados. Ele disse que a medida não o faz se sentir mais tranquilo.

 

— Poderiam ter armas de choque, por exemplo. Mas de fogo não. Vai que, numa reação, acontece uma troca de tiros? — perguntou Francisco, reivindicando mais segurança no entorno do shopping. — Na Lauro Müller, tem um ponto de ônibus que é muito perigoso. Nos da Lauro Sodré, volta e meia escutamos histórias de assaltos. Frequento também outros shoppings, como o Top Shopping e o Grande Rio, na Baixada. Lá é como aqui. A segurança pública também precisa ser reforçada.

 

 

A cliente Thaís Teixeira, estudante de administração, pensa de forma parecida. Quanto aos vigilantes armados, no entanto, ela afirmou estar dividida:

 

 

 

— Por um lado, pode inibir a ação de bandidos. Mas também representa um risco em caso de alguma reação a um assalto, com tantas pessoas circulando por perto.

 

Segundo o Rio Sul, já havia vigilantes armados em alguns pontos mesmo antes dos últimos episódios de violência em shoppings. A administração, porém, informou que reforçou seu efetivo e acrescentou que já estuda aprimorar seu sistema de segurança, o que poderá incluir o aumento da vigilância eletrônica.

 

O grupo BRMalls — que administra empreendimentos como o Casa & Gourmet, o Ilha Plaza, o Norte Shopping, o Recreio Shopping, o Shopping Tijuca e o West Shopping — informou que, por causa dos últimos casos de violência, contratou novos vigilantes e intensificou o treinamento da equipe. No NorteShopping, nesta segunda-feira, seguranças circulavam a pé nos acessos e nas áreas internas. No estacionamento, faziam rondas de moto. À tarde, eles detiveram um homem que praticara um furto numa loja. Bruno de Lima e Silva foi entregue a PMs, que o levaram para a 25ª DP (Engenho Novo), onde acabou sendo autuado.

 

CRÍTICAS À SEGURANÇA NO SHOPPING DA GÁVEA

 

O Shopping da Gávea, onde ocorreu o sequestro da médica, informou ter ampliado o efetivo de segurança e investido em mais equipamentos de monitoramento, além de ter solicitado maior apoio dos órgãos públicos. O produtor de teatro Maurício Alves, no entanto, disse não ter visto seguranças enquanto tentava estacionar, no fim da tarde desta quarta-feira.

 

— Não vi um sequer. Apesar disso, o shopping ainda é um lugar onde me sinto seguro — afirmou Alves.

 

Em nota, a Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce) destacou que o setor faz constantes investimentos em segurança, incluindo a instalação de câmeras de segurança e a qualificação de profissionais. “As empresas responsáveis pela segurança nesses estabelecimentos comerciais mantêm o propósito permanente de cooperar, sem limitação de esforços, com as autoridades policiais no combate a ocorrências dentro de suas instalações. Sem prejuízo de seu empenho incondicional, essas empresas não substituem o Estado no papel de prestador de serviços de segurança pública”, afirmou a Abrasce.

 

Segundo a associação, há 64 shoppings no Estado do Rio (37 na capital), que recebem 53,9 milhões de visitantes e movimentam R$ 16,6 bilhões em vendas por ano.

 

 

ANTES LOCAIS PROTEGIDOS, HOJE ÁREAS COM MAZELAS URBANAS

 

Quando chegaram ao Brasil, na década de 80, os shopping centers vendiam um modelo bem definido: eram espaços à parte na cidade, de temperatura agradável, onde muita gente entrava de dia, saindo apenas à noite. Esses centros comerciais deixavam as mazelas do lado de fora, como observa o sociólogo Ricardo Freitas, professor da Uerj:

 

— Os shoppings eram uma negação da cidade e do espaço público. Eram lugares assépticos, seguros, que segregavam uma parte da população. Com a expansão para bairros de menor poder aquisitivo, a população, de forma geral, entendeu que o shopping é um lugar possível de ser frequentado.

 

— Desde o rolezinho, que foi uma manifestação e uma tentativa de inclusão pelo consumo, quebrou-se o paradigma de que shopping não é para todos. Ele faz parte do Rio, e os episódios de violência mostram que a questão da segurança pública é uma só — diz Freitas, para quem os bandidos que agem em shoppings são “sofisticados”. — O fator surpresa é importante.

 

 

 

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/shoppings-reforcam-seguranca-depois-de-casos-de-sequestro-relampago-assaltos-15571224#ixzz3UCmmEKjD 
© 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização. 

10/03/2015 - SINDICATO DENUNCIA MAIS UMA VEZ CONTRATAÇÃO DE VIGIAS E PORTEIROS NO LUGAR DE VIGILANTES

Em entrevista no programa Balanço Geral do apresentador Wager Montes, O Presidente do Sindicato dos Vigilantes do Município do RJ, Antonio Carlos, revela que os Shoppings não tem seguranças profissionais.

 

O que esses estabelecimentos fazem são contratar vigias e porteiros que trabalham de terno e gravata, radio comunicador aparentando ser vigilantes, mas não são. 

      

      

 

A diferença é que estes não tem curso, não está preparado profissionalmente para fazer a segurança dos clientes e do patrimônio, eles não tem os antecedentes criminais verificado pela empresa e são é cadastrado na Policia Federal.

 

Quando o Shopping substitui o vigilante pelo vigia ou porteiro, ele esta colocando em risco não só a segurança do patrimônio do shopping como também dos clientes.  

 

Confira na integra a reportagem completa clicando no link abaixo

 

http://videos.r7.com/confira-como-e-feita-a-seguranca-em-estacionamentos-de-shoppings-e-supermercados-do-rio/idmedia/54fe121a0cf2b8cb67163dee.html

 

09/03/2015 - ASSEMBLEIA DE NEGOCIAÇÃO SALARIAL - 11/03

08/03/2015 - SINDICATO DE VIGILANTES DÁ DICAS DE COMO EVITAR ASSALTOS E SEQUESTROS RELÂMPAGOS EM SHOPPINGS E SUPERMECADOS

Com os últimos casos de seqüestros relâmpagos em estacionamentos de shoppings e supermercados no Rio de Janeiro, a equipe da TV Record conversou com um especialista para saber como se proteger.

 

               

 

Veja toda matéria clicando no link abaixo

 

http://videos.r7.com/sequestros-relampagos-aterrorizam-estacionamentos-de-shoppings-e-supermercados/idmedia/54fa29620cf2b8cb67163d1f.html

 

06/03/2015 - SINDICATO JÁ VEM DENUNCIANDO ASSALTOS A SHOPPING

Não é de hoje que o Sindicato dos Vigilantes do Município do RJ vem denunciando que os shoppings centers são os principais alvos dos assaltantes no RJ. Somente neste ano mais de 10 assaltos foram contabilizados na lista da policia civil.

O problema é que os shoppings trocam a mão de obra especializada, por porteiros, vigias, controladores de acesso e fiscais de salão, no intuito reduzirem custos.

Com essa troca, shoppings e supermercados passam uma idéia de segurança para a população, a partir do momento e que esses profissionais usam os uniformes - terno e gravata – mas não estão habilitados a fazerem a segurança.

Somente Vigilantes podem fazer esse trabalho, uma vez que são qualificados e habilitados para tal. A diferença está na qualificação e no porte de arma. Todo vigilante em serviço trabalha armado diferente dos não qualificados (porteiros e vigias)

Além do curso de formação de vigilantes que é feito autorizado pela Policia Federal, há também cursos de renovação de 2 em 2 anos, tendo que apresentar certidão negativas e nada consta na policia. Também não podem estar respondendo inquérito criminal ou qualquer tipo de processo.

De acordo com a policia civil, em 2015 foram registrados quatro casos de seqüestro relâmpago e seis assaltos a lojas em shoppings e supermercados do RJ. 

05/03/2015 - PROFESSORES DO PARANÁ SÃO ALVO DO TJ E DO GOVERNADOR

O Tribunal de Justiça do Paraná, a pedido do Governador Beto Richa, declarou que a greve dos professores, que já dura mais de três semanas, fosse considerada ilegal.

JUSTIFICATIVA!

A justificativa do Governador e do Tribunal é que a greve está causando muito prejuízo no calendário escolar. 

E OS PROFESSORES?

O prejuízo que os professores reclamam que o Governo insiste em propor mudanças na Previdência do Estado sem apresentar nenhuma alternativa e os constantes atrasos no pagamento não contam?!


CENÁRIO SEMELHANTE ACONTECEU COM OS VIGILANTES DO RIO DE JANEIRO NA GREVE HISTÓRICA DE 2013!

03/03/2015 - VS BRASIL DÁ CALOTE NOS VIGILANTES!!!

Cerca de 30 vigilantes protestaram hoje (3/03), na porta do Ministério do Trabalho contra a falta de respeito aos trabalhadores por parte da Empresa VS Brasil. Esse desrespeito com os direitos trabalhistas não é de agora, vem desde que a empresa mudou de nome de Locanty para VS Brasil e atinge mais de 200 vigilantes.

 

 

As broncas são muitas. Dentre elas destacam-se:

 

  • Falta de pagamento desde janeiro;
  • Os vigilantes trabalham sem receber o Vale Refeição e Vale Transporte;
  • Atraso no 13º salário;
  • Pagamento de férias dois meses depois;
  • Demite por justa causa sem justificar os motivos;
  • A empresa desconta a contribuição previdenciária do trabalhador, porém não faz o depósito na Caixa,
  • A empresa demite, não homologa e não paga as verbas rescisórias.

 

A Diretoria do Sindicato e os Vigilantes que participaram da manifestação foram atendidos pelo chefe de Fiscalização do Ministério do Trabalho, Augusto de Lima, que informou a imediata fiscalização da empresa. O Sindicato solicitará em paralelo, uma mediação entre os trabalhadores e a empresa através de mesa redonda, a ser agendada.

 

Em janeiro o Sindicato enviou um oficio solicitando mesa redonda, porém nenhum representante da empresa compareceu. No dia 12 de fevereiro foi entregue ao Superintendente Regional do Trabalho, Antonio Albuquerque, o pedido de solicitação a colaboração da superintendência na garantia dos direitos dos profissionais e os salários dos empregados.

 

      

 

Os vigilantes disseram que postos da Cidade da Polícia, Base, PAM de Irajá, Detran da Ilha do Governador e de Itaguaí, Maternidade Leila Diniz, Caixa Econômica, Clinica da Família na Tijuca, são os mais prejudicados. Nestes postos estão sem receber desde Janeiro.

 

02/03/2015 - DINÂMICA E SINDICATO DE SÃO JOÃO DE MERITI SE UNEM PARA FRAUDAR HOMOLOGAÇÕES!

          

 

A Empresa Dinâmica perdeu o posto do Banco do Brasil atingindo 360 vigilantes que lá trabalham. Todos os vigilantes devem fazer suas homologações na sede do Sindicato do Município do RJ, na Rua André Cavalcante 126 Bairro de Fátima.

 

Mas não é isso o que está acontecendo! Neste sábado (28 DE FEVEREIRO) o Sindicato de São João de Meriti, presidido pelo Sr. Renê Batalha, homologou de forma fraudulenta 200 vigilantes. Nesta homologação não houve baixa na CTPS, os vigilantes não receberam o pagamento, o valor da multa foi descontado do valor do pagamento e ainda tiveram que assinar recibo do que não receberam.

 

Segundo informações, no próximo sábado dia 7 de março a empresa Dinâmica pretende realizar mais homologações fraudulentas com o Sindicato de Dão João de Meriti.

 

O Sindicato dos Vigilantes do Município do Rio de Janeiro faz um alerta para que os vigilantes da empresa Dinâmica, posto Banco do Brasil, não compareçam ao Sindicato de São João de Meriti e se dirijam ao Sindicato do Município do RJ na Rua André Cavalcante, 126.

 

A empresa Dinâmica está unida com o Sindicato de São João de Meriti para desrespeitar os direitos dos trabalhadores. A Diretoria do Sindicato dos Vigilantes do MUNICÍPIO do Rio de Janeiro já havia alertado os vigilantes através de panfletagem sobre esse perigo, e também já realizou várias denúncias contra a empresa Dinâmica e vai continuar atuando contra a empresa e o Sindicato.

 

ATENÇÃO VIGILANTES: Ligue para seu Sindicato e se informe – 3861-7050

25/02/2015 - COMUNICADO SINDVIGRIO - SÓ A UNIÃO PODE CONQUISTAR!

Hoje (25 de fevereiro) houve mais uma rodada de negociação entre os sindicatos dos trabalhadores com o SINDESP (Sindicato das Empresas de Segurança). Não houve acordo para fechamento da nova Convenção, os empresários alegam que aguardam a resposta dos Sindicatos de Vigilantes que receberam a proposta de 8% de reajuste sobre o Piso e 25% sobre o tíquete refeição.

 

Neste momento o SINDESP (Sindicato das Empresas de Segurança) mantém duas negociações, sendo oferecida duas propostas: 10% de reajuste para o grupo liderado pela Federação dos Vigilantes e os Sindicatos do Rio de Janeiro, Campos, Macaé, N. Friburgo, Volta Redonda, Nova Iguaçu, Angra dos Reis, Belford Roxo e Sindicato de Carro Forte e Escolta Armada do Interior do RJ. E outra negociação com os Sindicatos de Vigilantes de Petrópolis, de Duque de Caxias e de Niterói, que receberam a proposta de 8% sobre o Piso Salarial.

 

A Diretoria da Federação dos Vigilantes tem mantido diálogo com os Sindicatos que receberam a proposta de 8% para que não aceitem a proposta e somem forças para conquistarmos um reajuste digno para a categoria.

23/02/2015 - VIGILANTES REAFIRMAM CONFIANÇA NA DIRETORIA DO SINDICATO

A CATEGORIA reunida em Assembléia, na sede do SindVigRio, discutiu as propostas apresentadas pelos empresários que tem como alguns dos pontos principais:

  • REAJUSTE NO PISO SALARIAL DE 10% (7% DE INFLAÇÃO + 3% DE GANHO REAL) E;
  • 25% DE REAJUSTE NO TÍQUETE REFEIÇÃO

Na Assembléia foi apresentado alguns dos reajustes conquistados em outros estados do Brasil e verificou-se que o patamar de 10% de reajuste no piso é positivo, porém a categoria exige mais avanços em outras cláusulas que não apenas as econômicas.

Os vigilantes entenderam que este reajuste de 10% comparado com outros estados está em um patamar positivo: "- em São Paulo os vigilantes tiveram um reajuste de 6,33%, em Brasilia com greve dos vigilantes o reajuste foi de 7,5% e no Paraná foi de 7,69%."

Na Assembléia foi reivindicado melhores condições de trabalho para os vigilantes, em especial para os companheiros da bancária e da Escolta Armada, que estão sendo vítimas de assaltos a bancos e a cargas, alvos do crime organizado no Rio de Janeiro.

Com a Assembléia as negociações continuam e a Diretoria do Sindicato buscará mais avanços junto aos empresários na reunião do dia 25 de fevereiro.

          

 




Exibindo a 13 de 586« 1 2 3 4 »