• Você está em: 
  • Home
  • Notícias

27/09/2016 - SINDVIGRIO NÃO ABRE MÃO DA DEFESA DOS INSTRUTORES DE CURSOS

Após meses de negociação com o SINDESP, os Cursos de Formação de Vigilantes e a ABCFAV a resposta enviada por ofício no mês de setembro pelo SINDESP ao SINDVIGRIO foi que negociação continuará apenas na próxima Convenção Coletiva em 2017.

Diante da resistência dos Cursos e do SINDESP em negociar as condições de trabalho e direitos dos instrutores, a Diretoria do Sindicato dos Vigilantes já solicitou fiscalização do Ministério do Trabalho nos Cursos, informando que os mesmos não respeitam os direitos trabalhistas estabelecidos em Convenção Coletiva e na legislação e ainda que os instrutores são contratados sem assinatura da CTPS.

Para os Diretores do SINDVIGRIO a negociação pode ser uma boa forma de solução de conflitos, mas diante da intransigência dos patrões e donos de cursos não há outra medida a não ser utilizar os meios legais e judiciais na defesa dos trabalhadores.

26/09/2016 - ASSALTOS À ESCOLTA ARMADA AUMENTAM

ASSALTOS À ESCOLTA AUMENTAM E DEPUTADOS CONTINUAM SENTADOS EM CIMA DO ESTATUTO DA SEGURANÇA PRIVADA

  • Dia 20 de setembro, terça-feira, 3 vigilantes da CTS foram sequestrados na Linha Vermelha, em Duque de Caxias e levados para a Favela FICAP, ao final foram soltos.
  • Dia 22 de setembro, quinta-feira, 2 policiais militares da reserva foram assassinados na escolta das Casas Bahia, na Dutra, em Austin. Os bandidos levaram o armamento dos vigilantes.
  • Dia 24 de setembro, sábado, na Pavuna, resultando em dois vigilantes sequestrados e levados para um julgamento realizado por bandidos, ao final foram soltos.

Voltou a crescer o número de assaltos à carga no grande Rio. Diante da ineficiência da política de segurança pública do Governo do Estado os vigilantes de escolta estão cada vez enfrentando a violência na pista.

O Sindicato dos Vigilantes do Rio de Janeiro há anos discute o Estatuto da Segurança Privada e propõe mudanças no texto aprovado na Comissão Especial de Segurança Privada e que está prestes a ser votado no Plenário da Câmara dos Deputados.

As entidades sindicais dos vigilantes propõe várias mudanças no projeto de lei 4238/2012 (Estatuto da Segurança Privada) em especial no capítulo da escolta armada, garantindo camioneta blindada, efetivo mínimo de 4 vigilantes e permissão para utilização de fuzil. Para os dirigentes sindicais o objetivo é garantir a vida dos vigilantes, dar condições que estes saiam ilesos nas ações criminosas e não tenham seus destinos nas mãos de bandidos.

O trabalhador não pode pagar pela falência da segurança pública em nosso país. Esperamos que Congresso Nacional faça as mudanças exigidas e vote o Estatuto.

É importante que os vigilantes de todo Brasil se envolvam com este debate, acessando o site www.camara.leg.br, acompanhando o processo legislativo e ligando e escrevendo para os deputados. Neste momento precisamos pressionar os deputados federais e senadores. A hora de mudar a segurança privada é agora.


23/09/2016 - CONTRASP DECLARA GUERRA À COVARDIA DO SANTANDER

Em reunião dia 19 de setembro na sede da CONTRASP - Confederação Nacional dos Trabalhadores na Segurança Privada,  em Brasília, as 7 federações estaduais (RJ, PR, SC, RS, SP, NO e NE e a Interestadual), estabeleceram um plano de ação unificado de combate à conduta abusiva do Banco Santander que obriga o vigilante a almoçar antes das 10 horas ou após às 16:00 horas, acabando com a rendição do almoço.


7 Federações Estaduais de Vigilantes na reunião da CONTRASP

Na reunião, houve ainda o debate e a definição do plano de luta contra o PL 4467/2016, que proíbe a contratação de vigilante nos municípios que possuem Guarda Municipal.

A Federação do Rio de Janeiro, representada pelo presidente Sergio Luiz (Serjão) e pelo secretário geral da CONTRASP, Fernando Bandeira,  destacou a importância da aprovação do Estatuto da Segurança Privada, que está na pauta da Câmara dos Deputados, aguardando aprovação. 

O Estatuto trata do plano de carreira, piso nacional com base na orientação do DIEESE (R$ 3.991,00), gestor de segurança privada, vigilante supervisor, mudança no armamento, entre outras reivindicações.

 
Fernando Bandeira Secretário Geral da CONTRASP e fundador do SINDVIGRIO

Sérgio Luiz (c) presidente da Federação dos Vigilantes do Estado do Rio de Janeiro


19/09/2016 - MOBILIZAÇÃO NACIONAL DIA 22/09 - NENHUM DIREITO A MENOS

Trabalhadores unidos em defesa dos direitos sociais e trabalhistas


Confirmando a unidade em torno da defesa e da ampliação dos direitos sociais e trabalhistas, as centrais sindicais (CUT, Força Sindical, UGT, CTB, CSB, NCST, CSP-Conlutas, Intersindical) convocaram para o próximo dia 22 de setembro um grande mobilização nacional.

Mais uma vez, empresários, banqueiros e governos querem jogar a crise da economia nas costas da classe trabalhadora. Reflexo disso é a proposta de reforma da Previdência Social, que vêm sendo anunciada pelo governo, e as mudanças nas leis trabalhistas, fazendo prevalecer o negociado sobre o legislado e a tentativa de acelerar a votação do PLC 30, que generaliza a terceirização e precarização para todas as atividades.

Os trabalhadores não aceitarão perder direitos históricos conquistados com muita luta e sacrifício. A lógica rentista não atende às necessidades do Brasil, pelo contrário, aprofunda a pobreza, o desemprego, diminui os salários e elimina direitos.

Defendemos um projeto nacional de desenvolvimento centrado na retomada do crescimento econômico, com geração de empregos e distribuição de renda. Queremos trabalho decente, aposentadoria digna e a redução da jornada de trabalho sem redução de salário.

Em São Paulo, no dia 22,  a programação começa pela manhã, a partir das 10h em frente à Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), momento em que as centrais entregarão pauta em defesa dos direitos sociais e trabalhistas; às 11h, está previsto o início do ato político; às 14h, a manifestação seguirá para a frente do Masp.

A unidade da classe trabalhadora é fundamental para barrar a agenda regressiva em curso. Nenhum Direito a Menos!

 

Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – CTB

Central Única dos Trabalhadores - CUT

Força Sindical

União Geral dos Trabalhadores - UGT

Central dos Sindicatos Brasileiros - CSB

Nova Central Sindical de Trabalhadores – NCST

Central Sindical e Popular - CSP-Conlutas

Central da Classe Trabalhadora - Intersindical

16/09/2016 - CENTRAIS SINDICAIS CRITICAM REFORMA TRABALHISTA E PLANEJAM PROTESTO

Centrais sindicais criticam reforma trabalhista e planejam protesto

As declarações do governo sobre mudanças na legislação trabalhista têm deixado sindicalistas não só irritados como também confusos.

Em nota, a entidade afirma que o governo "precisa ter mais prudência na divulgação de medidas que estão sendo feitas de forma atabalhoada e fatiada" e que repudia a retirada de direitos já estabelecidos, como a jornada de oito horas diárias.


Presidentes das Centrais Sindicais - Foto Daniel Cardoso

Na quinta (8), o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, afirmou em discurso a sindicalistas que uma das propostas para a reforma da legislação é dar segurança jurídica a acordos coletivos que ampliem a jornada diária para até 12 horas, dentro da limitação semanal de 48 horas.

Depois da repercussão negativa da fala, a pasta realizou ação nas redes sociais nesta sexta (9) e divulgou nota à imprensa para esclarecer que não defende ampliação da jornada de trabalho.

Sérgio Nobre, secretário-geral da Central Única dos Trabalhadores (CUT), preferiu não comentar as declaração de Nogueira porque, até o momento, está tudo uma "confusão", diz. Ele afirma que a entidade é contra qualquer reforma na Previdência e na legislação trabalhista.

"Na nossa avaliação, o país precisa de uma agenda de crescimento. Essas reformas são equivocadas", diz.

Movimentos trabalhistas organizam manifestações contra o que entendem como retirada de direitos pelo governo. As Centrais Sindicais planejam um ato nacional para o dia 22 de setembro.

Uma semana depois, no dia 29, metalúrgicos prometem realizar uma paralisação em todo o país contra as propostas de reformas.

Fonte: Folha de São Paulo.

15/09/2016 - PRORROGADO ATÉ 31/12 PRAZO PARA SAQUE DO ABONO SALARIAL

O Ministério do Trabalho, por solicitação dos Conselheiros das Centrais Sindicais junto ao CODEFAT - Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador, ampliou mais uma vez o prazo para saque do abono salarial (ano-base 2014) que foi prorrogado para até 31 de dezembro/2016. Mais de 1 milhão de trabalhadores no Brasil tem direito ao benefício do PIS/Pasep, ano-base 2014 e ainda não sacaram o benefício.


Tem direito ao Abono Salarial o trabalhador se enquadre nos seguintes requisitos:

-A remuneração do trabalhador não pode exceder a faixa dos 2 salários mínimos por mês;

-O trabalhador precisa ter inscrição no PIS há mais de 5 anos;

-Ter trabalhado com carteira assinada no ano anterior por mais de 30 dias;

-O trabalho tem que ter sido feito em uma empresa que esteja em dia com a entrega da RAIS para o Ministério do Trabalho.


-A relação dos trabalhadores, por Estados, poderá ser visualizada no site do Ministério do Trabalho, no link abaixo:

http://trabalho.gov.br/abono-salarial/consulta-abono-salarial-por-nome-ano-base-2014

Sugerimos envidar esforços para tentar localizar os trabalhadores que tem direito ao benefício, através de divulgação nas empresas, rádios, bem como por ocasião das rescisões de contrato de trabalho homologadas pelos Sindicatos, dentre outros.

Fonte: NCST

13/09/2016 - VIGILANTES SÃO CONTRA POLÍTICA DO SANTANDER

Na manha desta terça feira, (13) o sindicato protestou na porta do banco Santander contra decisão autoritária de mudar o horário de almoço dos vigilantes, provocando demissões em massa da categoria.

O procedimento adotado pelo banco coloca em risco a vida dos vigilantes, bancários e clientes. Caso o banco não reveja sua decisão, novas paralisações acontecerão.













12/09/2016 - ATENÇÃO VIGILANTES: MANIFESTAÇÃO AMANHÃ, DIA 13, NO DO BANCO SANTANDER

.

09/09/2016 - GOVERNO TEMER E OS DIRIETOS TRABALHISTAS

Governo quer reforma trabalhista com jornada de 12 horas diárias

Ministro do Trabalho explica que contratos com jornadas superiores a oito horas diárias são frequentemente questionados pela Justiça. O documento também propõe novo modelo de contrato, baseado em horas trabalhadas e produtividade

Apesar de toda a cautela que a equipe do governo Michel Temer manteve sobre as propostas de mudanças nas regras trabalhistas, o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, informou na noite de ontem (quinta, 8), durante reunião com sindicalistas, que entre as medidas em pauta está a proposta que formalizará jornadas diárias de até 12 horas, desde que o empregado não exceda o limite de 48 horas semanais. A reforma será encaminhada ao Congresso até o fim deste ano.

“Tem trabalhador que prefere trabalhar um tempo a mais, uns minutos a mais diariamente, e folgar no sábado. [...] O freio será de 12 horas [de trabalho por dia], inclusive, com horas extras. Não estou falando de aumentar a jornada diária para 12 horas”, explicou Nogueira em reunião da Executiva Nacional da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB).

Atualmente, contratos de trabalho com jornadas superiores a oito horas diárias são frequentemente questionadas pela Justiça do Trabalho, que ainda não reconhece formalmente o período mais longo. A jornada de trabalho de 44 horas semanais será mantida, mas a nova regra trabalhista irá prever o acréscimo de outras quatro horas extras.

O documento deve contemplar também a criação de dois novos modelos de contrato. A pasta avalia considerar o tipo que inclui horas trabalhadas e produtividade, além do modelo que já vigora atualmente, baseado na jornada de trabalho. O objetivo das medidas é aumentar a segurança jurídica de contratos que não estão estipulados pela legislação trabalhista, a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Ronaldo Nogueira ressaltou que não haverá retirada de direitos trabalhistas. “Não há hipótese de mexermos no FGTS [Fundo de Garantia do Tempo de Serviço], no 13º [salário], de fatiar as férias e a jornada semanal. Esses direitos serão consolidados. Temos um número imenso de trabalhadores que precisam ser alcançados pelas políticas públicas do Ministério do Trabalho”, disse Nogueira.

Em agosto, o ministro já havia anunciado que o governo mandará uma proposta de atualização da legislação trabalhista ao Congresso. Na ocasião, Ronaldo Nogueira garantiu que os direitos dos trabalhadores serão mantidos. Ele disse que “o trabalhador não será traído pelo ministro do Trabalho”. Para Nogueira, a reforma vai criar oportunidades de ocupação com renda e consolidar os direitos.

* Com informações da Agência Brasil

05/09/2016 - SANTANDER NÃO RESPEITA OS DIREITOS DOS VIGILANTES

.

25/08/2016 - ATENÇÃO VIGILANTES DA HBS


VIGILANTES HBS

 

Como todos sabem, a empresa HBS está constantemente atrasando salários, férias e vale alimentação.

 

Não é possível que alguns clientes continuem contratando empresas que vem atropelando a Convenção Coletiva da Categoria e a própria lei.

 

Eles também são responsáveis por isso tudo! Segundo a Sumula 331 do TST a responsabilidade é subsidiária. Se a empresa não paga, o cliente deve pagar!

 

A união de todos é fundamental para garantirmos o mínimo de nosso direito.  

 

O Sindicato convoca para dia 30/08 (terça feira) uma paralisação de protesto. MINGÚEM ASSUME O POSTO!

 

O Sindicato vai percorrer todos os postos e fazer assembléias para deliberar o rumo da categoria!

 

Não podemos aceitar constantes

atrasos no salário!

 

A PARTICIPAÇÃO DE CADA UM É FUNDAMENTAL !!!

 

DIA 30/08 - TERÇA FEIRA - PARALISAÇÃO DE PROTESTO

 

Sindicato dos Vigilantes do Município do Rio de Janeiro

 

23/08/2016 - MEDALHA DE LATA PARA O GOVERNO

Por falta de pagamento cerca de 40 vigilantes da empresa Primus Segurança e Vigilância que trabalham para a EBC - Empresa Brasil de Comunicação - cruzaram os braços sob protesto.


Segundo a empresa Primus, não houve o repasse das verbas do Governo Federal (via Ministério do Planejamento) para a EBC. Já são 4 faturas em atraso.

Em reunião, a empresa primus solicitou a EBC prioridade no pagamento bem como a repactuação do contrato. A EBC se comprometeu em acionar os responsáveis do repasse no Tesouro Nacional em Brasília. Ficou acordado uma próxima reunião no dia 30 as 10hs na EBC.

Até lá, todos os vigilantes que trabalham na EBC estão parados


Vigilantes cruzam os braços por falta de pagamento

 

17/08/2016 - INVASÃO NA PROTEGE GERA PÂNICO EM SÃO PAULO

Vigilantes da protege enfrentaram mais de 40 minutos de tiros, explosões e invasão na empresa de transporte de valores nesta madrugada (17) de pânico em São Paulo.

O Sindicato dos Vigilantes do Rio teme que ações como esta possam vir acontecer no Estado do Rio. Alerta que a troca de armamento dos vigilantes deve ser modificada urgentemente.  

De um lado temos Calibre .50, fuzis de grosso calibre, pistolas, muita munição, granadas e caminhões. De outro lado temos, armamento calibre 12 e revolveres. A desproporcionalidade é gritante!

O Sindicato e a Federação dos Vigilantes do RJ lutam e conclama as entidade de grau superiores que façam o que for possível para melhoria de armamento da segurança privada. Esta é uma questão de mudança na legislação e autorização da Polícia Federal.

-Esta foi a quarta grande ação de bandidos contra prédios de empresas transportadoras de valores registradas este ano. Outros três assaltos aterrorizantes aconteceram em Campinas, Ribeirão Preto e Santos.

A atuação dos Vigilantes e as barreiras do sistema de segurança impediram o roubo e maiores conseqüências. Um vigilante foi ferido e não há informações sobre valores.-

 

15/08/2016 - SINDVIGRIO FISCALIZA EVENTOS OLÍMPICOS

Além de notificar todos os clientes, empresas, organizações esportivas envolvidas nas Olimpíadas, o Sindicato percorre todas as casas, eventos e festas montadas para divulgação dos países, fiscalizando como estão as contratações dos vigilantes nesses eventos.

Na Ultima sexta feira (12) o Sindicato fiscalizou alguns locais como a casa da Áustria na Sede do clube Botafogo, Casa da Suíça na Lagoa, Casa da Holanda no Leblon, e Casa da Jamaica na hípica.  


Na Casa da Suiça alguns vigilantes disseram estar ganhando entre R$80,00 e R$112,00 o evento.
Quando deveriam ganhar R$135,00
Trabalhadores almoçam improvisadamente dentro de carros

Foram detectados algumas irregularidades como valores pagos a menor, falta de local para alimentação e escalas em desacordo com a Convenção Coletiva.

A direção do Sindicato não conseguiu localizar a empresa VIP PROTECTY como também verificou que a empresa UNIPAZ SEGURANÇA E VIGILÂNCIA está com nome diferente e não consta autorização da Polícia Federal.

As outras empresas o Sindicato está exigindo soluções.

Importante lembrar que o Sindicato tem um canal de denuncias assegurando o anonimato. Caso sua empresa esteja burlando ou descumprindo algum direito trabalhista, denuncie. Ligue para 3861-7050. 

O Sindicato já fiscalizou os postos:

  • Barra Blue Beach Point;

  • Centro de convenções da bolsa do Rio;

  • Casa do Mosquito Copacabana;

  • AABB no Leblon;

  • Le Monde;

  • Centro cultural do Ministério da Saúde;

  • Centro de convenções SulAmerica;

  • Colégio São Paulo;

  • Museu histórico nacional;

  • Armazém 2 - Armazém 3;

  • Paço imperial;

  • Entre outros postos.


Exibindo a 13 de 856« 1 2 3 4 »